Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Objetivos 2020: Revisão Trimestral

Objetivos 2020: Mapa Mental Revisão Trimestral

No início de 2020 tracei os meus objetivos anuais com a ajuda de um mapa mental. Neste artigo irei fazer uma revisão do mapa: modificando, acrescentando ou mesmo eliminando alguns objetivos, de forma a ter uma atualização dos objetivos em função das prioridades atuais. O exemplo da pandemia do Covid-19 é um bom exemplo de como as circunstâncias mudam, sendo necessário adaptar-nos a realidade atual na definição dos nos nossos objetivos pessoais.

As áreas de desenvolvimento, ou categorias de objetivos: pessoal, social, trabalho, dinheiro, saúde, casa e espiritual, por outro lado, mantêm-se as mesmas.

Existem dois erros que levam a que grande parte das pessoas a não manterem as suas resoluções ou objetivos de ano novo.

1.º Erro: Não rever regularmente os objetivos

O primeiro erro que a maioria das pessoas comete é não rever os seus objetivos de uma forma regular. A solução passa por agendar no calendário vários momentos ao longo do ano para esta tarefa. Eu, por exemplo, tenho agendado fazer uma revisão e atualização dos meus objetivos trimestralmente, como estou a fazer agora. Desta forma, já sei que no final de Março, Junho, Setembro e Dezembro de 2020 tenho de dedicar tempo à tarefa de revisão dos objetivos. Utilizo a aplicação gratuita XMind para a criação de mapas mentais.

2.º Erro: Não criar listas de tarefas

O segundo erro que a maioria das pessoas comete, é depois de reverem e atualizarem os seus objetivos, não criam projetos e tarefas que permitam a organização e a concretização dos mesmos. A utilização de um programa para a gestão de listas de tarefas é uma excelente opção para evitar este erro. Uso a aplicação Nirvana para organizar as minhas listas de tarefas, que foi desenvolvida de acordo com o método de gestão do tempo GTD. Esta aplicação é paga para tirar partido de grande parte das funcionalidades, mas existem outras alternativas gratuitas ou freemium como é o caso da Microsoft To DoTick Tick ou Todoist.

Dicas para a criação de objetivos, projetos e tarefas

  • Os objetivos em cada área ou categoria, são escritos seguindo a fórmula SMART (específico, mensurável, atingível, relevante e temporal), que é universalmente aceite pelos maiores especialistas em produtividade pessoal e gestão do tempo. Não vale a pena complicar mais neste aspeto.
  • Uma forma de validar um objetivo, uma espécie de “prova dos nove”, é perguntar o porquê, ou qual a razão da existência do objetivo. A resposta dará ou não o propósito de validação, a motivação por detrás de cada objetivo.
  • Um projeto é um conjunto de várias tarefas relacionadas, e a descrição do mesmo deve responder à seguinte pergunta: Como é que consigo medir o sucesso deste projeto?
  • Uma tarefa é definida por uma ação específica, não devendo haver dúvidas quanto ao que fazer.

Conclusão

Muitas pessoas estabelecem resoluções de ano novo, mas infelizmente grande parte delas desiste pelo caminho. O fracasso na prossecução dos objetivos tem origem em dois erros: não rever os objetivos regularmente e não criar listas de tarefas. Como em qualquer atividade que vale a pena na vida, a definição e revisão de objetivos exige experiência e aprender com os erros, sem nunca desistir pelo caminho.

Icons by Icons8

 

Momentos da Semana

Primeira semana em teletrabalho

Esta semana ficou marcada pela primeira semana na íntegra em teletrabalho, de segunda a sexta-feira. Os novos tempos requerem novos hábitos, sendo que notei que em casa é mais cansativo trabalhar que no escritório, possivelmente porque estou mais concentrado e não existem aquelas “mini pausas” em que se fala com um colega ou outro, aliviando a tensão do dia.

Praticar yoga online em direto

Nas dificuldades surgem oportunidades. O método de yoga que pratico não existe na minha área de residência, e sempre fui muito consistente fazendo yoga em casa quase diariamente ao longo dos últimos anos, com uma grande auto motivação e dedicação. Não compreendia porque não havia aulas em direto, para quem não tinha um professor perto. Agora tudo mudou, e muitas escolas de yoga ensinam o método que pratico em vídeo conferência. Fiz a minha primeira aula online em direto da Irlanda, sendo que vou comprar um passe online para continuar a prática junto da comunidade.

Quase a concluir o blogue leis do poder

Estou quase no final da maratona 48 Leis do Poder, em que escrevo uma lei por dia no blogue 48-leis-do-poder-blogs.sapo.pt. Nunca falhei um dia, e se tudo correr como previsto, terminarei este projeto durante a próxima semana. Esta obra de Robert Greene é um dos livros essenciais para quem quer conhecer como as manobras e os jogos do poder funcionam, sendo útil a quem queria progredir numa organização, fazer carreira na política ou apenas evitar manipulações daqueles que nos tentam usar para seu próprio benefício.

Investir na bolsa de valores

Continuo com o investimento na bolsa, através da negociação de ações recorrendo ao que é conhecido como day trading, comprando e vendendo a mesma ação no próprio dia. Trata-se de um método muito ativo de rentabilização financeira nos mercados, exigindo muitas horas, dias e semanas de trabalho a analisar títulos acionistas. Os mercados estão extremamente voláteis com o impacto do Covid-19, apresentado muitos riscos, mas também muitas oportunidades.

Introdução à Bolsa de Valores: Conhecer os Principais Índices de Ações Mundiais

Este tempo de recolha e contenção com a pandemia do Covid-19 condiciona a nossa atividade, porque deixamos de fazer muitas coisas que tomamos como facto adquirido.

Mas se por um lado não podemos nos envolver em certas rotinas, por outro lado é libertado tempo para desenvolver outras tarefas que possam ser executadas a partir de casa.

Aprender sobre a bolsa de valores

Uma destas tarefas, e para quem tem interesse ou inclinação para tal, é aprender sobre os mercados financeiros e a bolsa de valores. As baixas taxas de juro praticadas pelos bancos nos depósitos poupança e outros produtos similares, é um alerta para se procurarem formas alternativas de rentabilizar o dinheiro, por pouco que seja.

Neste artigo vou introduzir os mercados financeiros ao leitor ou leitora interessado nesta temática. Trata-se de uma área vasta e complexa à primeira vista, mas como em qualquer nova disciplina que se aprende, deve ser decomposta nas suas partes, e estudada passo a passo. No final do artigo encontra um pequeno exercício para colocar em prática o conhecimento.

Os mercados financeiros são compostos por muitos produtos em que se incluem as ações, obrigações, futuros, opções, forex, derivados, etc. Para efeitos de simplificação e introdução irei aqui abordar apenas o mercado de ações.

Acompanhar as notícias financeiras

O primeiro passado na aprendizagem dos mercados financeiros é acompanhar regularmente as notícias financeiras e conhecer os principais índices mundiais de ações. Um índice engloba um conjunto de várias empresas representativas de um segmento económico, e é constituído por ações que se compra e vende nas bolsas de valores.  Para tal, recomendo a aplicação do Yahoo Finance pela sua simplicidade, disponível tanto no Android como no IOS.

Na imagem seguinte encontra-se a página das notícias financeiras que podem influenciar os mercados, como por exemplo o impacto do coronavírus que estamos agora a viver. Digo que pode influenciar, porque não existe tal coisa como certezas no investimento da bolsa. Os mercados podem perfeitamente ser irracionais, que são compostos por um coletivo de pessoas, e irem contra o que se esperava de uma notícia.

Yahoo Finance Notícas

Ao clicar na aba dos mercados do Yahoo Finance tem acesso às principais bolsas de valores mundiais localizadas nos EUA, Europa e Ásia.

Índices Americanos

Os principais índices americanos são o Dow, S&P500 e Nasdaq. O Dow acompanha as 30 maiores empresas americanas como a Coca-Cola e McDonalds’s. O S&P 500 acompanha as 500 maiores empresas americanas em diversas indústrias e setores como a 3M Company e AT&T. O Nasdaq acompanha aproximadamente 3.000 empresas no setor tecnológico e de inovação como a Apple e Microsoft.

Yahoo Finance - Dow, S&P 500 e Nasdaq

Índices Europeus

Os principais índices europeus são o FTSE 100, DAX e CAC 40. O FTSE 100 é constituído pelas 100 ações mais representativas da Bolsa de Valores de Londres com o Barclays ou Royal Mail. O DAX é uma relação das 30 empresas com melhor performance da Alemanha como a Adidas, Allianz ou BMW. O CAC 40 reúne as 40 maiores empresas de França com a Accor e Peugeot.

Yahoo Finance - FTSE 100, DAX e CAC 40

Índices Asiáticos

Os principais índices amercados são o Nikkei, Hang Seng e Shanghai. Nikkei é o principal índice económico da Bolsa de Valores de Tóquio e conta com empresas como a Toyota, Honda ou Daikin. Hang Seng é o índice da Bolsa de Valores de Hong Kong tem empresas como a Industrial and Commercial Bank of China ou China Mobile Limited. O indíce da Bolsa de Valores de Shanghai tem empresas como a Air China ou Bank of China.

Yahoo Finance - NIkkei, Hang Seng e Shangai

A sua tarefa

Dedicar 15 minutos ao final do dia para ler os cabeçalhos das principais notícias do dia e consultar a evolução dos preços dos índices, respondendo a três perguntas:

Os índices subiram ou desceram hoje?

Houve alguma relação com as notícias?

Qual a evolução dos índices na última semana, mês, 1 ano, 5 anos?

 

Estado de Emergência Dia 1: Todos Em Casa

Depois de decretado o estado de emergência nacional, os serviços não essenciais da minha organização foram todos para casa em teletrabalho. Eu já estava a trabalhar a partir de casa no regime de rotatividade, mas agora é oficial: todos estão em casa com exceção daqueles cujas funções no terreno são fundamentais, e que devemos louvar por fazer o seu trabalho nestas condições.

Na minha rotina pouco mudou, pois levanto-me à mesma hora, visto-me como se fosse para o emprego, e começo a trabalhar no meu computador como habitual. Como já evitava fazer reuniões ao máximo, por causa da diminuição de produtividade, a questão de não ter reuniões presenciais até é uma bênção (dificuldade transformada em oportunidade!). Imagino que exista muita gente em pânico, pois não sabe fazer outra coisa que não reuniões.

Em relação à necessidade de exercício físico, já há muitos anos que pratico yoga em casa, e neste aspeto não mudou rigorosamente nada. Continuo ao final da tarde a estender o tapete numa divisão da casa e começar a prática. Sabe tão bem, é como fazer uma espécie de restart ao final do dia.

Talvez a minha facilidade de adaptação a esta nova rotina prenda-se com o facto de ser um indivíduo com uma personalidade maioritariamente introvertida, que ganha energia estando concentrada nas minhas ideias, ao contrário de um extrovertido que ganha a sua energia socializando com outros.

Não sei quanto tempo o estado de emergência irá permanecer, mas não existe altura melhor para fazer uma reflexão, e aproveitar o tempo para encontrar formas de ser mais produtivo.

Iniciei o Teletrabalho

Depois da publicação do Decreto-Lei n.º 10-A/2020 na passada sexta-feira com mais medidas excecionais de combate ao COVID 19, dentro das quais se inclui a possibilidade de teletrabalho requerida pela entidade empregadora ou trabalhador sem necessidade de acordo, iniciei o primeiro dia a trabalhar a partir de casa.

Até esta data, o trabalho à distância era só reservado a pessoas com filhos com menos de 12 anos.

A minha organização decidiu nos serviços não considerados essências, distribuir o pessoal a 50%. Significa isto que uns colegas irão começar agora em teletrabalho durante duas semanas (em que me incluo eu), regressando depois para os restantes colegas entrarem em trabalho remoto.

Ainda ponderei requerer unilateralmente a possibilidade de ficar em casa a 100% sem necessidade de rotatividade, e de acordo com o previsto no Decreto-Lei acima referido, mas como consegui ser esperto o suficiente para ir na primeira fase de teletrabalho, acabou por não ser necessário. Daqui a 15 dias, avaliarei novamente a situação e o vírus terá entrado numa nova fase, devendo haver novas medidas.

Confesso que gosto mais de trabalhar no escritório do que em casa, por causa da componente social, mas tempos excecionais exigem medidas excecionais.

Hábitos Checklist #10 (semana de 9 a 15 de março)

Mapa de hábitos diários n.º 10

Esta semana com o início da expansão da pandemia Covid-19, todos os hábitos diários permaneceram os mesmos, com a exceção de "tomar café com colegas/família", pela necessidade óbvia de isolamento social sempre que possível.

A prática de yoga é feita em casa, pelo que continuarei esta atividade física e meditativa regular sem quebra na rotina.

Existem dois hábitos que merecem destaque e que tenho seguido "religiosamente": 1) escrever artigo lei do poder e 2) atualizar diário da bolsa.

Dominar as leis do poder é um objetivo pessoal, para controlas as dinâmicas sociais e evitar manipulações. Ou seja, quero ser eu a "dar as cartas", em vez de esperar que os outros decidam o meu destino e permeiem as minhas ações.

O investimento na bolsa é outra das principias atividades, associado ao objetivo de atingir a independência financeira através do trading. Desenvolvi um "desejo obsessivo" por esta atividade e não vejo outra opção que não seja atingir o objetivo.

Estou a evoluir muito lentamente na prática do falar menos e ouvir mais, e esta semana vou adaptar este hábito. Em vem de concentrar-me apenas em falar menos, vou acrescentar o falar mais devagar sempre que possível.

De resto é dedicar mais tempo ao relaxamento da visão, já que passo tanto tempo no computador, seja no trabalho, a negociar nos mercados financeiros ou a escrever artigos.

Coronavírus: Mitigar o Risco Com o Teletrabalho

A pandemia do coronavirus ainda está agora a começar. Muitas organizações e empresas já fecharam os serviços ao público. Outras começam agora a colocar alguns trabalhadores em teletrabalho nos serviços considerados não essenciais.

Mas a medida do trabalho remoto tarda a ser implementada. Até ao momento, as entidades competentes só pensaram em enviar para teletrabalho pessoas com crianças menores de 12 anos, e isto porque as escolas fecham.

Mas quanto ao resto da população? Porque não dar a possibilidade a todos os outros que consigam trabalhar remotamente? Não colocando desta forma em risco o próprio e todos os outros com o qual entram um contacto?

Deparando-me com está situação, contactei um superior hierarquico dentro da minha organização, explicando a minha preocupação, e se iam ser tomadas medidas para os trabalhadores poderem trabalhar à distância.

A resposta foi de total desresponsabilização e ignorância. Remeteu o assunto para um grupo de trabalho criado para o efeito, e informou que eu e os meus colegas podíamos fazer teletrabalho com exceção das reuniões de projeto.

Fiquei astonico com a última informação. Em que século estamos para as reuniões de projeto terem de ser obrigatoriamente presenciais? Como é possível existir tamanha ignorância em pessoas em certos cargos de chefia?

Ainda considerei preparar um e-mail ao cuidado da hierarquia máxima da organização, expondo as minhas preocupações, e fazendo uma proposta com as condições de teletrabalho. No final desisti, ficando sozinho com a minha indignação.

Segunda-feira regressarei ao serviço, esperando pelo melhor, mas sem estar preparado para o pior, ao contrário do que o primeiro ministro dizia na passada quinta-feira em direto na televisão portuguesa.

A partir de agora, os casos de infectados irão multiplicar-se. Veja-se o que está a acontecer na vizinha Espanha, para não falar de Itália. Com este comportamento negligente dos cargos dirigentes, e porque trabalho numa grande organização, já não se trata de saber se alguém irá ser infectado internamente, mas quando irá ser infectado, e quem será o paciente zero, que possivelmente poderia ser evitado com medidas mais rigorosas.

As Implicações do Coronovírus na Minha Organização

As implicações do coronavírus estão a ser maiores do que se esperava. Depois do pânico em Itália, o mesmo começa a acontecer em Portugal. A minha organização não foi exceção, com a implantação recente do plano de contingência – COVID 19.

O atendimento ao público e reuniões externas presenciais foram suspensos, ficando disponíveis unicamente por canais de comunicação alternativos. As ações de formação foram canceladas. O sistema de ponto ainda arcaico com a impressão digital foi suspenso.

Muitos hábitos foram alterados, e as pessoas estão apreensivas quanto ao futuro, mas ainda existe alguma serenidade preventiva. Pelo menos valha-nos isso.

Nos projetos em que participo estou a gerir tudo à distância com as partes interessadas externas, e também internas na medida do possível, embora neste último caso seja mais difícil porque as pessoas na minha organização ainda estão muito habituadas ao contacto presencial.

Pessoalmente prefiro ter o mínimo de reuniões possível, que considero o inimigo número um da produtividade pessoal, pelo menos do ponto de vista técnico. Já do ponto de vista de desenvolvimento de relações interpessoais, algumas reuniões de trabalho poderão ser úteis, especialmente se forem com aqueles que nos podem ajudar nas nossas carreiras.

Será importante encontrar aqui um equilíbrio com o número de reuniões a realizar e a caracterização da sua importância.

Espero sinceramente que esta pandemia, como foi decretada pela Organização Mundial da Saúde, passe rapidamente, e que as pessoas possam regressar à sua vida normal.

15 Qualidades Diplomáticas Para uma Negociação de Sucesso

Quer queiramos, quer não, todos precisamos de negociar nas nossas vidas. Pode incluir alguma situação no trabalho, escolher um restaurante para almoçar ou jantar com um amigo, ou selecionar o próximo local de férias com a família.

Um diplomata é um excelente negociador por natureza, no trabalho e na vida. Mesmo que não sigamos uma carreira diplomática, existe muito que podemos aprender com os melhores profissionais nesta área. Robert D. Balckwill esteve mais de quadro décadas na Sala Oval da Casa Branca nos Estados Unidos negociando casos difíceis.

Trata-se portanto de uma pessoa muito experiente nestas matérias, partilhando connosco as 15 características essenciais de um diplomata de sucesso.

  1. Possui um grande interesse e paixão pela arte e ofício da diplomacia e negociação.
  2. Demonstra um temperamento analítico.
  3. Escreve bem e rápido.
  4. É verbalmente fluente e conciso.
  5. Assegura uma meticulosa atenção ao detalhe.
  6. É um efetivo e exigente negociador.
  7. Tem resistência mental e física a longo-prazo.
  8. Aceita um grande desafio.
  9. Estuda história.
  10. Transmite prudentemente a sua opinião ao poder.
  11. É leal e confiável com o seu chefe.
  12. Cultiva resiliência contra as derrotas.
  13. Adquire experiência relevante para o seu trabalho.
  14. Conhece a sua ideologia e valores.
  15. Aproveita a sorte quando esta aparece.

A diplomacia não é reservada apenas a profissionais de carreira, e as suas qualidades podem ser aproveitadas e transferidas para as vidas profissionais e pessoais de todos. Comece já a construir estas 15 competências fundamentais de um diplomata ou negociador de sucesso.