Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

O que a Economia nos Pode Ensinar sobre a Gestão de Prioridades

Mulher em supermecado olhando para área de frutas

Sabe porque os Estados Unidos lideram a indústria cinematográfica, a Alemanha lidera a indústria automóvel, a China lidera a indústria têxtil e a França lidera a produção de queijos?

Isto pode ser explicado pelo conceito económico de custo de oportunidade, e pode ser aplicado tanto aos países como aos indivíduos como ferramenta de gestão de prioridades para uma maior produtividade.

O site Nota Positiva define custo de oportunidade nos casos em que "sempre que é tomada a decisão de utilizar um recurso para satisfazer uma determinada necessidade, perde-se a oportunidade de o utilizar para satisfazer uma outra necessidade".

Ou seja, o tempo é finito, as nações e indivíduos têm as mesmas 24 horas num dia, e se decidirmos dedicar tempo a determinadas atividades existem outras que inevitavelmente irão ficar para trás. Importa portanto escolher nas poucas horas que estamos acordados as atividades ou tarefas com a potencialidade de um maior impacto nas nossas vidas e no mundo.

Por exemplo, um indivíduo tirou um curso de medicina e especializou-se investindo anos de estudo. Se este médico escolher depois de formar-se ir trabalhar como rececionista de hotel está a prescindir de maiores rendimentos financeiros além de não poder ter um maior impacto no mundo salvando vidas.

Se o0utro indivíduo tirar um curso numa escola de hotelaria, e for trabalhar para uma obra como servente, está também possivelmente a prescindir de maiores rendimentos e de uma carreira na hotelaria. Não irá fazer aquilo para o qual foi treinado e investiu o seu tempo, como servir as pessoas que viajam em negócios ou lazer providenciando o seu descanso e conforto.

Com os países é semelhante. Se a Alemanha em vez de fabricar automóveis começasse a produzir têxteis, iria exportar menos e não produzia os melhores carros do mundo.

A lição a aprender de acordo com o conceito económico custo de oportunidade é gerirmos as nossas prioridades e fazer as melhores escolhas de acordo com aquilo que somos bons, temos formação ou experiência.

Na próxima vez quando estiver indeciso entre várias opções, pergunte a si mesmo: "Destas opções, qual a que tenho mais formação, conhecimento ou experiência e pode ter um maior impacto para mim e para as outras pessoas?"

The Dailies Edição #6: Humildade e foco

Secretária com máquina de escrever, agenda, caneta e café

Esta é a edição semanal da rubrica The Dailies, uma retrospetiva da semana que passou a nível da minha produtividade pessoal e o planeamento para a semana seguinte.

A importância da humildade na gestão das finanças pessoais

Depois da "euforia" da semana anterior com os ganhos nos mercados financeiros, esta última semana acumulou prejuízos na minha carteira de investimento. Ainda estou a tomar o "pulso" a este novo tipo de rentabilização das minhas poupanças, e é natural que cometa alguns ou mesmo muitos erros.

Os erros geralmente são os nossos melhores professores, e o meu sucesso inicial na bolsa deu origem a um excesso de confiança levando-me a correr maiores riscos. Maiores riscos dão a possibilidade de maiores ganhos, mas também de maiores perdas. A lição que aprendi foi a manter a humildade, e a caminhar um passo de cada vez não expondo-me a riscos desnecessários que incorram em grandes perdas, e aprendendo o máximo que conseguir pelo caminho.

A educação contínua como mecanismo de valorização profissional

Esta semana recebi também o meu certificado de conclusão de mestrado, depois de ter concluído uma tese no ano anterior. Tinha a licenciatura pré-bolonha dos cinco anos, e sempre senti uma grande injustiça de não ser equiparado aos mestrados pós-bolonha. Com a indecisão dos sucessivos governos em resolver esta situação, resolvi "arregaçar as mangas", e trabalhar na tese numa universidade de referência nacional.

Utilizei um caso profissional na tese para de alguma forma ter uma aplicação prática e obtive uma nota de relevo. Foi um ano de muita dedicação interligando os estudos com o meu trabalho, mas graças às minhas novas técnicas e prática na utilização da gestão do tempo, consegui vencer este desafio.

É preciso resistência para correr uma maratona

Todo o trabalho que tive deu-me uma confiança renovada, e acima de tudo estâmina. De acordo com o dicionário Priberam, estâmina significa energia duradoura ou capacidade de resistência.

Esta nova energia conduziu-me a estabelecer e a trabalhar em novos projetos. Se por um lado isto é bom, por outro lado leva a uma dispersão e à possibilidade de cansaço, com o limite de um esgotamento nervoso. Se algum dos leitores teve ou conhece alguém que passou por um esgotamento, sabe o prejudicial que é para a saúde e as consequências nefastas que pode ter na vida de uma pessoa.

Acredito portanto que o sucesso não pode acontecer à custa da saúde ou de descuidar outras áreas importantes como a família ou o lazer.

O planeamento da próxima semana

Quanto ao planeamento da próxima semana não vou desta vez utilizar os blocos de tempo ou áreas temáticas que utilizei anteriormente. Vou continuar a utilizar o método GTD de gestão do tempo, que já pratico com sucesso à cerca de três anos, e acrescentar um objetivo SMART à semana.

O GTD inclui as listas de tarefas em que estou a trabalhar ao nível do trabalho, pessoal, finanças pessoais e consultoria, e permite escolher a atividade a executar e que parece mais relevante no momento. Inicialmente não é uma técnica fácil requerendo prática, mas depois de alguma habituação pode ser uma grande ajuda na melhoria da produtividade pessoal.

O objetivo SMART que escolhi é a consultoria, com a pesquisa e escrita de cinco artigos na área que pretendo desenvolver profissionalmente extra-trabalho, um artigo por cada dia da semana útil.

Termina assim esta edição da rubrica semanal do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, regressando para a semana escrevendo sobre um tópico que nunca tinha aqui falado no blogue, que é a prática regular do yoga e como pode contribuir para melhorar o equilíbrio emocional e a produtividade.

Como Deixar de se Preocupar e Começar a Viver de Dale Carnegie, Resumo do Livro - As Minhas Notas

Como Deixar de se Preocupar e Comecar a Viver

Dale Carnegie ficou mundialmente famoso quando publicou o bestseller "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas". Em Como Deixar de se Preocupar e Começar a Viver, o autor volta a escrever sobre um problema que afeta grande parte das pessoas, que é o excesso de preocupação.

Este livro foi desenvolvido ao longo de seis de anos de pesquisa, descrevendo técnicas práticas para conhecer e aprender a lidar com a preocupação que incluem a redução dos pensamentos negativos, resolução de problemas, lidar com as críticas e aprender a cultivar uma atitude positiva.

O livro foi publicado originalmente em 1944, continuando sempre disponível nas livrarias e com muitos exemplares vendidos, demonstrando a intemporalidade da mensagem.

De seguida faço um breve resumo do livro com as minhas notas e descrevendo os principais tópicos.

Parte I - Entender o que é a preocupação

  1. Tentar viver um dia de cada vez, compartimentando cada momento.
  2. Quanto tiver um problema sério seguir os seguintes passos: Em primeiro lugar pergunte a si próprio: "O que de pior pode acontecer se não conseguir resolver o meu problema?" Em segundo lugar mentalize-se para aceitar o pior se necessário e em terceiro lugar tente tranquilamente melhorar a pior situação possível para o qual já se mentalizou.
  3. Existe um preço alto a pagar pela preocupação, que é a sua saúde.

Parte II - Como analisar uma preocupação

  1. Reunir os factos.
  2. Tomar uma decisão.
  3. Colocar em prática a decisão agindo.
  4. Resolver problemas através das seguintes questões: Qual é o problema? Qual é a causa do problema? Quais são as soluções possíveis? Qual é a melhor solução?

Parte III - Como acabar com o hábito da preocupação

  1. Manter-se ocupado.
  2. Não fazer uma tempestade num copo de água por causa de coisas pequenas e sem significado.
  3. Perguntar a si próprio: Quais são as probabilidades do pior acontecer?
  4. Aceitar o inevitável sobre o que não pode mudar.
  5. Depois do pior acontecer esqueça e continue com a sua vida.

Parte IV - Sete formas de cultivar uma atitude positiva

  1. Encher a mente de pensamentos de paz, coragem, saúde e esperança.
  2. Não pensar nem dar importância aos nossos inimigos ou a pessoas de que não gostamos.
  3. Não esperar a gratidão dos outros.
  4. Apreciar as nossas bênçãos.
  5. Não imitar os outros porque somos únicos.
  6. Fazer limonada com o limões que nos dão.
  7. Trazer felicidade aos outros.

Parte V - Como evitar a preocupação com as critícas

  1. As críticas injustas são muitas vezes uma forma disfarçada de elogio.
  2. Dê o seu melhor e depois ignore as críticas.
  3. Devemos ser críticos de nós mesmos em primeiro lugar, e depois solicitar aos outros critícas imparciais e construtivas.

Parte VI - Seis maneiras de evitar a fadiga e ter mais energia

  1. Descanse antes de estar cansado.
  2. Aprenda a relaxar no trabalho.
  3. Aprenda a relaxar em casa.
  4. Colocar em prática os seguintes hábitos: manter a secretária arrumada, fazer as tarefas por ordem de importância, resolver os problemas imediatamente sempre que possível, aprender a organizar, delegar e supervisionar.
  5. Crie entusiasmo no seu trabalho.
  6. Se tiver problemas em dormir lembre-se que a preocupação com a insónia é que é prejudicial, e não a insónia propriamente dita.

The Dailies Edição #5: Momento de viragem

Secretária com máquina de escrever, agenda, caneta e café

Esta é a edição semanal da rubrica The Dailies, uma retrospetiva da semana que passou a nível da minha produtividade pessoal e o planeamento para a semana seguinte.

Confesso que ao escrever estas linhas sinto-me muito entusiasmado por ver que o trabalho árduo dos últimos meses (e anos) começa a dar frutos, e nas áreas menos esperadas.

A nível profissional, à exceção do salário, encontro-me satisfeito com o trabalho que desempenho na minha organização. Tenho a possibilidade de participar e liderar projetos de grande dimensão com um horário decente.

Infelizmente, as possibilidades de progressão internas são muito reduzidos, para não dizer anémicas, pelo que tenho tentado sempre compensar externamente esta situação.

Depois de ter tentado várias formas de produzir rendimentos extras sem sucesso, eis que surge uma janela de oportunidade, num âmbito que menos esperava, o investimento nos mercados financeiros, e através do trading (Ler o meu artigo anterior para saber mais sobre este mecanismo de investimento com a parte dois do resumo do livro como Como Fazer Crescer o Seu Dinheiro ao Longo da Vida de Pedro Barata).

Já há alguns atrás tinha tentado fazer este tipo de investimento com resultados negativos. Por isso no final do ano passado retomei esta atividade com algumas reservas, e com a função de apenas ter um retorno um pouco melhor que os atuais juros dos depósitos a prazo ou certificados de aforro.

Neste momento as minhas expetativas para o futuro na área das finanças pessoais são muito otimistas prevendo a curto prazo realizar nos mercados financeiros o valor de 30 a 40% do meu ordenado atual.

O trading envolve riscos consideráveis, podendo ganhar-se muito dinheiro como perder. Para gerir este risco é preciso dedicar tempo ao estudo dos mercados com uma boa gestão financeira e não arriscar em produtos complexos para o entendimento do próprio. A grande vantagem, e ao contrário da maioria das organizações onde trabalhamos, é que os mercados premeiam a dedicação e o mérito.

Além dos investimentos financeiros, estou envolvido em mais dois projetos pós-laborais. A consultoria externa na minha área profissional e o coaching em produtividade pessoal e gestão do tempo. Estes projetos não estão a ser monetizados, significando que não estou a obter quaisquer rendimentos dos mesmos.

Para uma melhor gestão do tempo, durante a próxima semana um destes projetos pós-laborais terá de ficar pendente, neste caso o coaching. Escolho assim prosseguir com a consultoria na minha área profissional.

A técnica dos blocos de tempo irá estar bastante facilitada durante a próxima semana. Nesta técnica é reservado tempo no calendário apenas para as atividades importantes, não se devendo sobrecarregar o calendário para dar espaço aos imprevistos.

De reparar também que nos blocos de tempo não descrimino as tarefas, e apenas menciono a área em que vou trabalhar. Quando chega o momento do bloco de tempo consulto a minha lista de tarefas e escolho o que vou fazer. Isto tem a grande vantagem se por algum motivo não conseguir trabalhar no bloco de tempo previsto, não ter de modificar os eventos do calendário. Num artigo posterior irei descrever como crio as minhas listas de tarefas.

Os blocos de tempo atribuídos para a próxima semana:

-Segunda-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Terça-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Quarta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Quinta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Sexta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

Termina assim esta edição da rubrica semanal do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal.

Como Fazer Crescer o Seu Dinheiro ao Longo da Vida de Pedro Barata, Resumo do Livro - As minhas notas, Parte 2 (Trading)

Como Fazer Crescer o Dinheiro de Pedro Barata

À algum tempo que tinha feito o resumo do livro como fazer Como fazer Crescer o Dinheiro ao Longo da Vida de Pedro Barata.

Este livro refere na sua essência os principais mecanismos de investimento que cada um tem ao seu dispor para capitalizar as suas poupanças através de investimentos em ações, obrigações, fundos de investimento e imobiliário, de forma a assegurar uma boa reforma.

Investir a longo e curto prazo

A perspetiva do livro é no investimento de longo prazo, mas no final são referidas outras formas de investimento em que se inclui o trading. De acordo com Barata, os traders são também conhecidos como especuladores de mercado, e privilegiam estratégias de investimento de curto prazo. O especulador tenta antecipar-se à expetativa dos mercados e lucrar com isso dando preferência à análise técnica como por exemplo a análise de gráficos.

Na altura não tinha dado muita importância ao trading como ferramenta de investimento, pensando que seria uma "espécie de conto de fadas", e bom demais para ser verdade. No entanto comecei a informar-me mais sobre este tipo de investimento, estudando algumas referências bibliográficas e a acompanhar os mercados financeiros. Fiz o primeiro negócio no início de 2019 sem grandes expetativas, e num valor reduzido.

Com algum sucesso inicial modesto no trading até ao momento, resolvi rever a última parte do livro de Como fazer Crescer o Dinheiro ao Longo da Vida que apresenta algumas dicas para o trading, pelo que irei escrever neste artigo algumas notas e resumo do livro que considero relevantes.

Como nota pessoal, e de acordo com a minha experiência, quero referir que o trading requer muito estudo, prática e uma boa gestão financeira, pelo que não será concerteza para todos. Mas como Barata refere:

"O trading, quando efetuado de forma profissional, pode permitir ao investidor alcançar ganhos muito interessantes" - Pedro Barata

Penso que nesta citação Barata quis implicitamente dizer ganhos muito grandes quando referiu ganhos muito interessantes, para evitar ferir certas subscetibilidades, e tendo em conta a má opinião que o público tem no geral dos bancos e instituições financeiras.

Pontos importantes a reter

  • Algumas estatísticas mostram que um bom trader ganha em cerca de 60% das vezes, mas é possível fazer do trading profissão acertando apenas 50% das vezes. Basta que, para tal, deixe as posições ganhadoras fluir e corte rapidamente as posições perdedoras.
  • Tal como nos investimentos de longo prazo, na atividade de trading também é importante ter um objetivo como estratégia.
  • Na definição de objetivos Barata defende que não se deve ter objetivos diários para o trader não se sentir obrigado a negociar todos os dias. Há alturas em que o mercado não está de feição para implementar a estratégia escolhida, pelo que o melhor a fazer é não negociar.
  • Para entrar neste negócio, deverá ter sempre presente que tem de sobreviver o tempo suficiente até conseguir perceber os segredos e as especificações do próprio mercado.

15 Recomendações para investir através do trading

Barata deixa as seguintes recomendações para apoio na tomada de decisão dos investimentos seguindo a filosofia do trading

  1. Nunca especular usando dinheiro que não pode perder.
  2. O mercado tem sempre razão.
  3. Ter sempre um plano de ação.
  4. Dê pouco espaço aos rasgos de momento.
  5. Não seja demasiado ambicioso.
  6. Nunca investir mais dinheiro numa posição perdedora.
  7. Nunca comprar ações só porque transacionam a preços baixos.
  8. Nunca investir com base em rumores ou dicas de amigos.
  9. Evitar realizar os ganhos rapidamente e ficar com as perdas em carteira.
  10. Mantenha um diário de transações.
  11. O mercado tende a exagerar o seu comportamento quando são divulgadas más notícias.
  12. Se tiver dificuldade e perceber o comportamento do mercado, não faça nada.
  13. Seja um bom gestor do seu dinheiro.
  14. Não sobrestime a sua habilidade de prever o futuro.
  15. Baseie a sua estratégia de trading com base no que vê e não naquilo prevê.

The Dailies Edição #4: Focar no que Importa

Máquina de escrever, agenda, caenta e café

Esta é a quarta edição da rubrica especial do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal. Uma retrospetiva da semana que passou e o planeamento para a semana seguinte.

Na semana passada utilizei uma nova técnica de gestão do tempo, atribuindo temas a cada dia. Os temas diários, ao contrário dos blocos de tempo que dedicam determinados períodos do dia para tarefas ou áreas específicas, atribuem um dia completo para trabalhar maioritariamente numa área específica.

Isto não significa que não se lidem com interrupções inevitáveis ou reuniões programadas. O objetivo deste método é o foco principal no tema escolhido para o dia, atendendo pelo caminho às obrigações diárias noutras áreas. Isto permite que para ser produtivo num determinado dia, tudo o que é feito fora do tema, será abordado no seu essencial.

Esta nova forma de organizar a semana funcionou bem, e as áreas escolhidas para a próxima semana serão as mesmas da anterior:

-Segunda-feira: finanças pessoais.

-Terça-feira: carreira.

-Quarta-feira: carreira.

-Quinta-feira: coaching.

-Sexta-feira: coaching.

Grande parte do meu trabalho na carreira e coaching envolve a produção de conteúdos, como por exemplo este artigo que estou a escrever agora. Tratam-se de tarefas que me dão um gozo especial mas que exigem concentração e tempo dedicado. Além do mais não dão resultados imediatos, constituindo uma espécie de investimento no futuro que pode ter ou não retorno. Como todos os investimentos tem o seu risco.

O princípio de Pareto também conhecida como a regra 80/20 diz que 80% dos nossos resultados advém de 20% dos nossos esforços. Esta percentagem poderá não ser exata, e variar em função da situação em particular. No entanto, pretende demonstrar que para obtermos os melhores resultados não significa exatamente que tenhamos de trabalhar desenfreadamente, e sim concentrar-nos nas tarefas que podem fazer a diferença para chegarmos mais rapidamente aos nossos objetivos.

O princípio de Pareto levanta outra questão. Como sabemos quais os 20% das tarefas que produzem os 80% dos resultados? Quando não se tem conhecimento dum determinado tema pode ser difícil responder a esta pergunta, mas à medida que se vai aprofundando o conhecimento torna-se mais fácil.

É tudo por esta edição do The Dailies, regressando a rubrica no próximo sábado.

The Dailies, Edição #3: A Semana em Retrospetiva

Backpacker a olhar paisagem em montanha

Este artigo pretende fazer uma retrospetiva da minha semana a nível de produtividade pessoal e gestão do tempo. Do que correu bem e o que podia melhorar.

Anteriormente esta rubrica chamava-se The Brief, tendo o nome mudado para The Dailies nesta edição, para ir de encontro ao nome do blogue propriamente dito, e também inspirado pelo coach de produtividade Mark Vardy de Productivyist.

Método GTD de gestão de tarefas

O sistema que estou a utilizar para gerir as minhas tarefas é baseado no método GTD de David Allen, e que vem descrito no livro do mesmo autor GTD - Fazer Bem as Coisas. Logo no início quanto comprei este livro não consegui implementar o método. Só mais tarde, à cerca de dois anos, e após ter lido o livro the How to be a Produtivity Ninja de Graham Allcott, que exemplifica como pode ser implementado o sistema GTD, consegui introduzir o mesmo na minha gestão de tarefas.

Este método é muito bom para compartimentar as áreas da minha vida, mas não tão bom no estabelecimento de objetivos e de uma visão geral para o futuro. Ainda estou a testar um novo método que possa ajudar neste sentido com algum grau de satisfação.

Aplicação de gestão de tarefas e áreas da minha vida

No meu programa de gestão de tarefas, o Nirvana, tenho atualmente cinco áreas que estou a desenvolver: trabalho, pessoal, carreira, finanças e coaching.

A área do trabalho tem a ver com o meu emprego propriamente dito, e inclui todas as tarefas relacionadas com a organização onde estou a exercer funções profissionais atualmente.

A área pessoal é tudo o que faço a nível pessoal e familiar, incluindo saúde e tempos livres.

A área da carreira inclui o desenvolvimento profissional e a procura por novas oportunidades de trabalho.

A área das finanças pretende conhecer as possibilidades de investimento e aplicar as minhas poupanças nos melhores produtos.

Por fim, a área do coaching está relacionada com o projeto de produtividade pessoal e gestão do tempo, em que se inclui este blogue.

Equilibrar as várias áreas

Com o feriado do dia 1 de maio e as férias da Páscoa, a semana passada acabou por ficar desequilibrada, não dando a devida atenção a certas áreas. Por vezes penso que talvez tenha áreas a mais, contribuindo para uma diminuição da minha produtividade.

As áreas trabalho e pessoal são essenciais e não facultativas, porque providenciam os meus rendimentos e o bem estar emocional. Já as outras restantes três áreas (carreira, finanças e coaching) são discutíveis em função das minhas prioridades.

Nestas últimas três áreas importa saber o tempo que pretendo dedicar a cada uma. Por exemplo, escolher um depósito a prazo corrente ou um certificado de aforro não exige muito tempo. Basta escolher vários produtos existentes no mercado, fazer um comparativo e depois aderir ao mesmo, só reiniciando o processo um ano depois quanto vencerem os juros.

Por outro lado, para fazer investimentos nos mercados financeiros com a possibilidade de ter algum sucesso, é preciso dedicar bastante tempo para estudar os métodos de análise e outras particularidades deste tipo de investimento.

Dividir a semana em dias temáticos

O perigo de mudar de contexto frequentemente é que perdemos tempo na mudança do tipo de atividade. Este facto está presente num estudo referido no livro Scrum - A Arte de Fazer o Dobro do Trabalho em Metade do Tempo de Jeff Sutherland.

Se considerar cada contexto como área, e de acordo com a teoria de Sutherland, será pouco produtivo trabalhar por exemplo todos os dias nas cinco áreas atrás referidas, pois a mudança constante de contextos irá fragmentar o meu tempo e reduzir o meu foco.

Como já tinha tinha sido referido atrás no artigo não posso mudar o trabalho nem a vida pessoal, mas posso gerir como dedico o meu tempo às áreas da carreira, finanças e coaching.

Assim sendo, na próxima semana irei dividir os dias por temas, também inspirado por Vardy, um dos grandes proponentes deste método de gestão do tempo. Ou seja, além das atividades diárias inerentes ao meu trabalho e vida pessoal, irei dedicar os dias da semana às seguintes atividades:

-Segunda-feira: finanças.

-Terça-feira: carreira.

-Quarta-feira: carreira.

-Quinta-feira: coaching.

-Sexta-feira: coaching.

Termino assim esta edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal com a retrospetiva da minha gestão do tempo semanal. No próximo sábado será publicada nova edição.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D