Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Desafio Escrever 30 Artigos em 30 dias: 2.ª Edição

Mulher a escrever em portátil

Quando iniciei este blogue lancei o objetivo pessoal de escrever 30 artigos em 30 dias. O primeiro artigo tinha como finalidade marcar a intenção e dar o impulso inicial a este blogue com novos conteúdos, além de criar o hábito regular da escrita.

Não consegui publicar todos os artigos diariamente como previsto, mas acabei por escrever os 30 artigos, e atualmente já se contam mais de 100 artigos neste blogue, um número que nunca pensei que fosse atingido inicialmente.

Um ano depois resolvi lançar de novo o desafio escrever 30 artigos em 30 dias. Mas em vez do número mínimo de 300 palavras por artigo no desafio inicial, resolvi agora inverter a equação, e estipular o máximo de 300 palavras.

Ultimamente tenho refletido sobre o conceito de minimalismo. O dicionário Priberam define minimalismo como o sistema, doutrina ou tendência que defende a redução ao mínimo do que compõe algo. No fundo é trabalhar com o essencial e aquilo que se considera importante.

Mas desenganem-se aqueles que pensam que o minimalismo é sinónimo de facilitismo, pois no caso da escrita, saber transmitir em menos palavras uma mensagem digna de atenção pode ser tanto ou mais difícil do que se tivermos espaço ilimitado para escrever. Temos de nos concentrar no essencial e talvez deixar de fora muita coisa que gostaríamos de dizer.

Publicar textos mais curtos obriga ao foco no que é importante e dá a possibilidade de escrever com maior frequencia e sobre um maior número de temas.

O objetivo é o desenvolvimento da minha produtividade pessoal, um verdadeiro diário, partilhando os meus interesses e experiências com outros leitores que assim também possam beneficiar.

Introdução aos Mercados Financeiros

Mão com caneta junto a gráficos e calculadora

Em setembro o Banco Central Europeu (BCE) voltou a descer as taxas de juro de depósito de -0,4% para -0,5%. A taxa de juro de depósito é a taxa que os bancos comerciais na zona euro recebem do BCE para depositarem o seu dinheiro. Neste caso, como a taxa é negativa, os bancos têm de pagar dinheiro nos seus depósitos.

Consequência dos juros negativos

A consequência direta dos juros negativos são os depósitos a prazo dos consumidores com juros perto do 0% de rendimento. Só não estão negativos porque que caso contrário as pessoas levantariam todo o seu dinheiro dos bancos. Por este motivo as comissões das operações bancárias continuam a aumentar, como forma de compensação por parte das entidades financeiras.

Lupa com gráfico

Alternativas de investimento

Como não compensa ter o dinheiro parado no banco, os investidores deslocaram os seus investimentos para investimentos alternativos como o imobiliário e os mercados financeiros. O resultado tem sido o aumento galopante dos preços das casas, e do período de crescimento mais longo de sempre do maior índice de ações do mundo, o índice norte-americano s&p 500, que engloba as 500 empresas mais relevantes da economia americana (análogo ao PSI20 em Portugal mas com um dimensão completamente diferente).

Os mercados financeiros são atualmente muito complexos. Nomes como opções, futuros, valores imobiliários, exchanged traded funds (ETF’s) e produtos derivados (CFD’s) fazem parte do vocabulário das praças financeiras, que pode levar a pessoa comum a desistir logo à partida de obter um maior conhecimento.

A boa notícia é que basta apenas conhecer e investir num tipo de produto para se conseguir obter um bom rendimento, pelo que no resto deste artigo, e para efeitos de simplificação, irei apenas falar sobre o mercado de ações.

Prédios com vários andares

O investimento em ações

O aumento da volatilidade de preços no mercado acionista traduz-se em novas oportunidades, mas também em novos riscos. Como pode o investidor médio aproveitar esta volatilidade a seu favor sem ficar na bancarrota?

Existem duas medidas que podem ser tomadas para colocar as probabilidades a favor do investidor. Nos mercados financeiros não existem certezas, apenas probabilidades de lucros e perdas.

Calendário

Prazo da aplicação financeira

Quando se fala no investimento em ações o prazo de aplicação é o primeiro fator a considerar. Vai-se negociar numa ação mantendo a mesma 1) dias a semanas, 2) semanas a meses ou 3) meses a anos?

A resposta a esta pergunta depende da disponibilidade que o investidor tem para acompanhar os mercados, sendo que quanto mais curto for o prazo da aplicação, maior é a necessidade de tempo para seguir as ações.

Os investidores de curto prazo também são conhecidos como traders.

Globo mundial com várias localizações

Como selecionar as melhores ações

Existem duas principais escolas de pensamento no que toca à análise das ações: a análise fundamental e a análise técnica.

Análise fundamental

A análise fundamental foca-se na informação dos relatórios de atividades das empresa e nos indicadores económicos no geral. Está análise pretende determinar o valor das empresas e comparar com o valor de mercado de forma a descobrir oportunidades de negócio. Um dos investidores mais famosos do mundo, Warren Buffet, utiliza este tipo de análise.

Análise técnica

A análise técnica foca-se no movimento dos preços, ou no estudo dos gráficos, com o objetivo de prever movimentos futuros. Está análise utiliza os preços históricos das ações desenhando padrões gráficos com o objetivo de detetar novas oportunidades de negócio. George Soros é um dos investidores mais conhecidos do mundo utilizando esta análise.

Megafone

Gestão do risco

Pela natureza incerta do mercado de ações não se pode esperar que se ganhe sempre em todos os negócios, e à semelhança do que acontece com as empresas. O sucesso dos investimentos é medido pela soma de todos os lucros e prejuízos.

A gestão do risco surge para auxiliar o investidor, com a finalidade de identificar e analisar os riscos, e criar medidas para os eliminar ou mitigar. Por exemplo, a execução de um stop loss após a compra de uma ação é uma das medidas de redução do risco, fazendo com que o investidor não perca mais do que uma quantia predeterminada.

Outra forma de redução do risco é testar a estratégia de investimento em ações numa conta simulada (isto é, sem dinheiro real), até se ganhar alguma consistência nos resultados.

Conclusão

As taxas de juro negativas do BCE conduziu a que particulares e investidores procurassem outras formas de rendimento em alternativa aos tradicionais depósitos a prazo e produtos mais conservadores. Isto conduz a um novo desafio, que é a necessidade de conhecimento deste tipo de produtos financeiros. O mercado de ações constitui para os interessados que querem dedicar tempo ao seu conhecimento, uma opção de aplicação das suas poupanças.

Icons made by Freepik from www.flaticon.com

A Problemática das Formações Obrigatórias não Úteis numa Organização, e o que Fazer para Conseguir ser Produtivo e Manter a Reputação

Auditório com Cadeiras de Madeira

Mais uma semana de formação profissional, com três dias ocupado em sala. Se a isto acrescentar o feriado na sexta-feira, resta um dia útil para produzir trabalho nesta semana.

A maioria das ações de formação nas organizações são processadas para cumprir a obrigatoriedade das 35 horas de formação anual de acordo com o código do trabalho, que mesmo assim muitas empresas acabam por não cumprir.

Devido à obrigatoriedade legal das formações, muitas ações acabam por ter pouca qualidade, deixando os formando ocupados em atividades menos úteis, quando poderiam estar a ser mais produtivos no seu trabalho. Isto não significa que esteja contra as formações, mas a favor de formações de qualidade que vão de encontro às verdadeiras necessidades das pessoas.

Neste artigo quero explorar algumas ideias para a gestão do calendário no caso de formações obrigatórias menos úteis.

Bloquear a agenda com os compromissos futuros

Todas as formações profissionais, bem como os feriados, devem de ser bloqueados atempadamente no calendário, para um melhor planeamento da agenda.

Assim quando se faz a revisão semanal dos projetos e tarefas (senão não faz uma revisão deste tipo devia considerar), deverá incluir na lista de verificação a consulta do calendário das duas semanas seguintes. No meu caso, se tivesse feito esta verificação prévia, teria apercebido do feriado de sexta-feira, e não teria confirmado compromissos para o único dia útil de trabalho desta semana.

Dicas não convencionais para produzir em dias de formação profissional obrigatória

De seguida deixo algumas dicas pouco populares para conseguir "roubar tempo" e produzir ainda alguma coisa num dia de formação (isto se for possível). Inicialmente não achava correto aplicar alguma destas dicas, mas tenho observado que grande parte dos líderes nas organizações recorrem às mesmas para conseguir dar andamento ao seu serviço.

O tempo é das poucas coisas da vida que não se consegue recuperar nem comprar, portanto não há que ter vergonha. Tente é ser discreto na aplicação destas dicas como é óbvio.

As dicas para ganhar tempo estão dividas para as atividades fora e dentro da sala de formação.

Fora da sala de formação

  • Chegar ligeiramente mais tarde.
  • Fazer intervalos mais alargados.
  • Falar com o formador previamente da necessidade de ausência para um compromisso importante (esta dica só pode ser utilizada uma vez durante a formação para ser credível).

Dentro da sala de formação

  • Ler e preparar emails de resposta.
  • Ler e enviar mensagens com instruções de trabalho ou esclarecimentos.
  • Refletir num problema a resolver ou decisão a tomar.

Para não ficar mal visto com o formador e colegas é importante dedicar alguma atenção aos mesmos em alguns momentos da formação, tais como fazer perguntas e participar em discussões. Deste modo não fica com a sua reputação afetada, aproveitando o tempo produzir alguma coisa, que de outra forma ficaria por fazer, ou teria de fazer mais tarde.

Como Configurar Domínio Próprio no Sapo Blogs com o Namecheap

O Sapo Blogs permite que os utilizadores registem um domínio próprio com um novo endereço para os seus blogues. Por exemplo, um utilizador pode querer utilizar o domínio omeublogue.com em vez do domínio padrão omeublogue.blogs.sapo.pt.

A equipa do Sapo Blogs criou uma página de ajuda para a configuração de domínio próprio. No entanto, as instruções particulares variam de acordo com a empresa de registo. Neste artigo irei exemplificar como se configura um domínio próprio com a Namecheap, uma das empresas mais populares de registo de domínios, e que utilizei para configurar dailyhabitblog.com.

Passo 1: Verificar a disponibilidade e adquirir o novo domínio no Namecheap

Verificar a disponibilidade do domínio - Namecheap

Neste passo deverá ser escolhido um domínio único e memorável para o seu blogue. Se precisar de inspiração pode encontrar algumas dicas nestes artigos da Wix e Shopify.

Passo 2: Ir ao painel de gestão dos seus domínios

Página de configurações - Namecheap

Depois de aquirir o seu novo domínio ir à página de gestão dos domínios e clicar em "Manage" para continuar com a configuração.

Passo 3: Configurar a gestão avançada do DNS

Configuração avançada - Namecheap

Neste passo clicar em "Advanced DNS" e de seguida criar dois registos. Para criar um novo registo clicar em "Add new record" e introduzir os seguintes dados (ver figura):

1.º registo
Type: A Record
Host: @
Value: 213.13.145.64
TTL: Automatic

2.º registo
Type: A Record
Host: www
Value: 213.13.145.64
TTL: Automatic

Passo 4: Eliminar os registos a mais

Gestão avançada DNS - Namecheap

Este passo é muito importante. Depois de criar os registos no passo anterior, deve certificar-se de que os registos a mais da figura são eliminados, para não existirem conflitos.

Passo 5: Associar o domínio próprio no Sapo Blogs

Configurações do blogue no Sapo Blogs

Finalmente ir às Definições -> Configurações do seu blogue no Sapo Blogs e na associação ao blog escrever o seu novo domínio (ver figura). Clicar em guardar e a configuração está finalizada.

Ter em atenção que embora a configuração esteja terminada da sua parte, pode ter de aguardar alguns instantes até o Sapo finalizar todo o processo de configuração. Isto deve-se ao facto de todos os domínios na Sapo Blogs terem agora certificado SSL, uma das boas práticas de segurança na Internet.

Como Organizar e Preparar um Discurso

Homem a falar em público num anfiteatro

A ato de falar em público assusta a maioria das pessoas. Segundo um estudo realizado pelo Sunday Times consultado no Portal Educação, dentro das maiores fobias que causam nervosismo, ansiedade, inibição e medo às pessoas, o medo de falar em público aparece em primeiro lugar, seguido do medo do fracasso financeiro em segundo lugar seguido do medo das doenças e de morrer em terceiro lugar.

De acordo com este estudo as pessoas têm mais medo de falar em público do que morrer! Neste artigo quero partilhar com o leitor como pode organizar e preparar um discurso para que na próxima vez que tiver que enfrentar uma audiência se sinta mais preparado.

Eu também me incluía no grupo de indivíduos que tinha um pavor de falar perante outras pessoas, mas há uns anos atrás resolvi começar a aprender e a praticar sobre a arte de comunicar em público. Hoje em dia até dou alguns discursos em inglês, o que era completamente inimaginável na altura.

A arte de falar em público é dividida em duas componentes:

  1. O que se pretende comunicar, conhecido como a comunicação verbal.
  2. A forma ou modo como se comunica, conhecido como a comunicação não-verbal.

Ou seja, é tão importante o que dizemos como a forma como o dizemos.

Comunicação verbal

Na comunicação verbal, se levar alguma coisa deste artigo, o mais importante é a organização do discurso.

De acordo com a Toastmasters, existem sete tipos de discursos que pode utilizar consoante o objetivo pretendido, em que se dão exemplos de organização para cada tipo.

Cronológico

O João é apaixonado por comboios. Esta paixão vem desde a infância. Ele quer partilhar a história da ferrovia com o seu clube — a sua invenção, como mudou o mundo e o seu papel atual no setor dos transportes.

Temático

A Joana quer apresentar informações sobre raças de cães de três grupos diferentes — caçadores, companhia e galgos. Ela também quer dar exemplos de cada grupo numa feira de caninos.

Espacial

O Francisco quer discursar sobre a experiência de escalar uma das montanhas mais altas do mundo. Ele gostaria de explicar a iniciados na escalada o que acontece ao corpo nas diferentes altitudes de uma montanha.

Causal

A Sónia quer contar ao seu público que praticar exercícios regularmente contribui para uma melhor saúde.

Comparativa

O António está interessado nas estruturas econômicas de dois países. Ela gostaria de apresentar as semelhanças e as diferenças aos seus colegas do clube.

Problema/Solução

A Maria acha que a sua associação poderia estar sendo mais proactiva em iniciar contato com os seus visitantes. Ela quer criar uma lista de emails para atrair novos associados para a associação. Qual será a melhor maneira da Maria apresentar esta ideia em um discurso aos associados da associação?

Particular/Geral/Particular

O Tiago está a preparar um discurso sobre o impacto coletivo que uma atitude positiva pode ter e ele quer usar como exemplo um dia no seu escritório quando um colega, com quem trabalhou, abordou um projeto de forma positiva.

Comunicação não-verbal

Diz-se muitas vezes que a comunicação não-verbal é mais impactante que a comunicação verbal. A forma como se comunica só é verdadeiramente dominada através da experiência. Se tem pouca ou nenhuma experiência, a melhor forma de começar a adquirir esta competência é praticar o seu discurso sozinho ou sozinha várias vezes, até sentir alguma confiança.

Entretanto deixo as principais características de uma comunicação não-verbal eficaz, e de acordo com a Toastasmers, que pode utilizar na próxima vez que estiver perante uma plateia.

Clareza: a linguagem falada é clara e fácil de entender.

Contacto visual: usa eficazmente o contato visual para envolver o público.

Gestos: usa gestos com eficácia.

Consciência em relação ao público: demonstra consciência do envolvimento e das necessidades do público.

Nível de conforto: aparenta estar confortável perante o público.

Interesse: envolve o público com conteúdo interessante e bem elaborado (relacionado com a organização do discurso).

Variedade vocal: usa o tom, velocidade e volume como recursos da voz (uma das características mais difíceis de dominar) .

Conclusão

Falar em público pode ser constrangedor, ou mesmo aterrador, para quem não tem experiência, mas com a preparação certa é possível reduzir o medo até um nível aceitável e conseguir enfrentar uma audiência. Se tiver em atenção a organização e a preparação do seu discurso, e preparar o suficiente irá ver que não irá ser assim tão difícil como imagina. A sensação de dever cumprido após o discurso terminado é magnífica. Mais um desafio vencido!

The Start Up of You de Reid Hoffman e Ben Cashnocha, Resumo do Livro - As Minhas Notas

The start up of you - Livro de Reid Hoffman e Ben Cashnocha

The Startup of You, Adaptar ao Futuro, Investir em Si e Transformar a sua Carreira* de Reid Hoffman e Ben Cashnocha é um dos livros obrigatórios para quem quer aprender a gerir melhor a sua vida profissional. A premissa do livro é de que devemos tratar as nossas carreiras como uma verdadeira startup, uma empresa em início de atividade com constante necessidade de adaptação. Afinal, o empreendedorismo está nosso DNA.

Homem em desenvovimento deste a pré-história

O que mais me impressionou é o facto de que Hoffman, como cofundador da rede profissional do Linkedin, incentiva o desenvolvimento e o cuidado no contacto presencial e pessoal como potenciador das grandes oportunidades profissionais.

Desenvolver uma vantagem competitiva

Para vencer a concorrência, as empresas desenvolvem razões claras porque um cliente deve escolhê-las em detrimento de outras alternativas, ou seja, diferenciam-se.

Da mesma forma, num mundo onde "milhares de pessoas podem fazer o seu trabalho," tem de traçar um plano de carreira que o distinga dos outros profissionais. Não precisa de ser melhor que todos os outros, apenas ser melhor num determinado nicho.

Peças do puzzle: Competências, Aspirações e Mercado

Existem três peças do puzzle que compreendem a sua posição no mercado ou vantagem competitiva e, quando combinadas com um plano, determinam o caminho que deverá seguir.

  1. Competências: As suas soft skills (conhecimentos, habilidades, conexões) e hard skills (dinheiro, imóveis, etc.).
  2. Aspirações & Valores: Onde se vê no futuro.
  3. Realidades de mercado: O que as pessoas precisam e estão dispostas a pagar.

Estas três peças funcionam em conjunto. Competências que não geram rendimentos não o vão fazer chegar longe. Seguir a sua paixão e não ser bom naquilo que faz, também não o vai levar a lado nenhum. Senão houver mercado para os seus serviços, a competência e paixão também não lhe vão adiantar de muito.

Uma forma de melhorar a sua vantagem competitiva é atualizar as suas competências ou mudar a realidade de mercado. Hoffman e Cashnocha dão o exemplo de um jogador de basquetebol que não teve sucesso nos Estados Unidos, mas que se transferiu para uma equipa europeia onde conseguiu vencer. As competências do jogador não mudaram, mas sim o mercado.

Planear para adaptar

Para maximizar a quantidade e qualidade de oportunidades, e adaptar-se, é necessário trabalhar em três planos.

Planos A, B e Z

Plano A

O que está a fazer agora e a implementação da sua principal vantagem competitiva, como o seu emprego ou negócio principal.

Plano B

O que está a desenvolver em paralelo à sua principal ocupação, para quando o seu plano A não funcionar ou encontrar uma forma melhor de atingir os seus objetivos, seguir o mesmo como plano principal.

Plano Z

O plano Z é o último de todos, e é o barco salva-vidas para quando todos os outros falham. É como um seguro, espera-se que nunca seja necessário, mas está lá em caso de extrema necessidade.

Desenvolver uma rede

As relações profissionais e pessoais são importantes para a sua carreira, porque em última análise, cada trabalho se resume a interagir com as pessoas. Pessoas controlam recursos, oportunidades e informação.

Rede social

O poder de um indivíduo é elevado exponencialmente com a ajuda de uma rede. Existem dois tipos de relações.

Aliados

Os aliados são as pessoas mais próximas de si e que consulta regularmente. Confia no seu discernimento, ajudando-se mutuamente na prossecução de oportunidades. Trata-se de um círculo interno com poucas pessoas.

Conhecidos

Embora não tão vital como os aliados, os conhecidos introduzem diversidade à sua rede. Tendem a ser de diferentes círculos sociais ou indústrias e assim podem ser úteis para encontrar oportunidades ou inteligência fora do seu círculo interno de aliados

As relações são como outra coisa qualquer: se não estão a ficar mais fortes, estão a ficar mais fracas. Fortaleça as suas relações através da partilha de artigos, apresentações, colaboração e outras ideias que tenha. Seja criativo!

Encontrar uma oportunidade única

As trajetórias das melhores carreiras não são lineares. Ao contrário, são marcadas por oportunidades ou momentos únicos que podem fazer toda a diferença e transformar a nossa carreira de um dia para o outro. Nunca se sabe verdadeiramente quando este momento pode surgir.

Homem em destaque

Hoffman e Cashnocha recomendam o desenvolvimento de dois importantes hábitos de comportamento com o objetivo de aumentar a probabilidade de sucesso:

  1. Estar em movimento e junto de novas ideias, pessoas e lugares formando novas combinações e oportunidades.
  2. Participar em associações, clubes ou conferências aumentando a sua exposição. Se sentir coragem criar o seu próprio projeto de networking e envolver os outros

É de realçar que irão existir alturas de muitas dificuldades ou falta de motivação. Estes momentos podem ser uma bênção disfarçada ajudando cada pessoa a melhorar e a resolver problemas que se traduzam em novas oportunidades. Afinal as maiores descobertas e sucessos de todos os tempos nasceram das dificuldades ou problemas iniciais que foram ultrapassados.

Assumir riscos inteligentes

O risco tende a ser mal visto. Associamo-lo as coisas como perder dinheiro nos mercados ou a não ter um emprego fixo. O risco por si só não é o inimigo, pois é uma parte constante da vida.

Interrogação?

Por outro lado, agir de um forma proactiva e inteligente sobre o risco é um pré-requisito para aproveitar as oportunidades. Se souber como gerir o risco, vai verificar que em certas situações, onde os outros vêm uma luz vermelha, poderá ver uma luz verde.

A melhor forma de aprender a lidar com o risco é envolver-se gradualmente em situações de incerteza que lhe deem algum desconforto. Ou seja, é enfrentar os seus medos, mas um passo de cada vez.

Conclusão

Comece a desenvolver a sua vantagem competitiva. Comece a desenvolver a sua rede. Comece a investir em novas competências. Comece a tomar riscos inteligentes. Comece a perseguir as grandes oportunidades. Acima de tudo, comece a diferenciar-se no planeamento da sua carreira e a encarar a mesma como uma verdadeira startup em constante adaptação.

*Traduzido do título original do livro The Start-up of You: Adapt to the Future, Invest in Yourself, and Transform Your Career.

Texto adaptado e imagens do site The Start up of You.

The Dailies Edição #10: Um Calendário Preenchido e o que Ando a Ler

Máquina de escrever com folha e café

Esta é a edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, onde partilho o que mais de importante ando a fazer e as minhas reflexões sobre como aproveitar melhor o tempo e o que ando a ler.

Esta artigo coincide também com a revisão semanal das listas de tarefas inspirada no método de gestão do tempo GTD, onde são atualizados todos os projetos e tarefas na aplicação Nirvana.

Um calendário cheio

Os próximos dias vão ser atípico parcialmente ocupados por formação no trabalho mais algumas reuniões que vão exigir disponibilidade.

Quem acompanha este blogue, sabe que não sou defensor da generalidade das reuniões nem de eventos, considerando um dos maiores inimigos da produtividade. Para exigirem a minha atenção têm de ser realmente importantes.

Fazer escolhas

Por questões de equilíbrio não vai ser possível dedicar tempo à atividade de consultoria de engenharia nos próximos meses, além de recentemente ter mais uma responsabilidade como coach dentro dos Toastmasters, que exerço de forma voluntária sem qualquer remuneração.

Este projeto de coaching está integrado no processo de reconhecimento como Distinguished Toastmaster Member, a mais alta distinção dada aos membros desta organização.

O que ando a ler

Atualmente estou a ler o livro de investimento nos mercados financeiros Trader Vic - Methods of a Wall Street Master de Victor Sperandeo. Trata-se de um livro já com alguns anos (1991) que muitos consideram como um dos mais importantes em trading, sendo destinado a um nível intermédio de conhecimento. Ultimamente tenho lido mais versões eletronicas, mas neste caso não foi possível encontrar uma versão digital, pelo que encomendei o livro online.

Trader Vic de Victor Sperandeo

Quando compro livros em inglês na versão de papel quero gastar o mínimo possível, e adquiro em segunda mão. Este mercado é gigante na Amazon e poupa-se habitualmente mais de metade do preço comparativamente ao novo.

Escusado será dizer que os investimentos na bolsa são para continuar, ainda em paper trading, ou seja, numa conta de simulação sem dinheiro real. Logo que os meus objetivos sejam atingidos passarei para a minha conta de trading na Degiro. Em breve publicarei aqui um artigo sobre as possibilidades do trading e como se ganha dinheiro nos mercados.

Kafka à Beira Mar de Haruki Murakami

Por que a vida não é só dinheiro encontro-me a ler um romance delicioso de Haruki Murakami, Kafka à Beira Mar. Está à mesa de cabeceira e é um ótimo apoio a uma noite tranquila.

É tudo por esta edição do the dailies regressando em breve!

O que é um Mapa Mental e Para que Serve (Inclui Caso Prático)

Mapa mental do blogue The Daily Habit - Pré-visualização

Um mapa mental é uma forma gráfica de representar ideias e conceitos. É uma ferramenta de pensamento visual que ajuda a estruturar as informações bem como analisar, compreender, resumir e gerar novas ideias.

Tive conhecimento desta ferramenta pela primeira vez através de um curso, integrada numa disciplina de inovação. Desde então utilizo mapas mentais para resolver problemas, pensar estrategicamente e organizar informação.

Num mapa mental, em vez das notas tradicionais com um texto linear, a informação é estruturada com o objetivo de se assemelhar mais à forma como o cérebro funciona de acordo o seu criador Tony Buzzan. Este método de representação visual pretende utilizar ambas as capacidades analíticas e criativas do cérebro, de acordo com Lite Mind.

Ideia

Como criar um mapa mental

O processo de criação de um mapa mental é simples e tem três passos.

Passo 1 – Começa-se com uma página em branco, escrevendo ou desenhando a ideia central (ver Daily Habit na imagem).

Passo 2 - Desenvolver os tópicos relacionados com a ideia central, conectando cada um deles com uma linha (ver produtividade, finanças e sucesso na imagem).

Passo 3 - Repetir o mesmo processo para os subtópicos, Pode continuar este processo gerando novos subtópicos de nível inferior até estar satisfeito. No meu exemplo tenho três níveis (ideia central, tópicos e subtópicos).

Existe uma aplicação informática gratuita para a criação de mapas mentais que vou falar mais à frente.

Vários livros

Possibilidades de utilização

Pode utilizar os mapas mentais em inúmeras situações tais como:

  • Tomar notas
  • Brainstorming (individualmente ou em grupo)
  • Resolução de problemas
  • Estudo e memorização
  • Planeamento
  • Pesquisa e organização de informação
  • Obter insights sobre assuntos complexos
  • Libertação da criatividade

Mapa mental completo do blogue The Daily Habit

Exemplo do mapa mental para o blogue The Daily Habit

A imagem mostra um exemplo prático de um mapa mental que criei para encontrar palavras-chave para este blogue com o objetivo de desenvolver conteúdos relacionados com os tópicos produtividade, finanças e sucesso, e sobre o qual escrevo.

Estes tópicos são generalistas pela sua natureza pelo que pretendia focar o trabalho num nicho de mercado que vá de encontro aos meus interesses mas em que também existam leitores. Ficaram de fora da pesquisa muitas outras palavras, sobre o qual provavelmente nunca iria escrever.

Utilizei a ferramenta gratuita Ubersuggest, de otimização de conteúdos, para o apoio na contagem das palavras mais procuradas no Google. Pode reparar que os subtópicos correspondem às palavras-chave ordenadas por popularidade. O número ao lado de cada palavra representa a estimativa de pesquisa mensal.

Mapa globo

Caminho a seguir no blogue

Depois de estruturar o mapa mental com as possibilidades de palavras-chave a abordar neste blogue, chego às seguintes conclusões para a gestão futura de conteúdos.

Produtividade: Escrever mais conteúdos sobre a importância de objetivos e metas para melhorar a motivação.

Finanças: Escrever mais conteúdos sobre a simplificação do investimento nos mercados financeiros para uma melhor rentabilização do dinheiro.

Sucesso: Escrever mais conteúdos sobre as competências de liderança e comunicação para o sucesso no trabalho.

A trabalhar com tablet

Software recomendado e gratuito

Um mapa mental pode ser desenhado à mão numa folha em branco, mas prefiro o uso da tecnologia porque é muito mais prático com a possibilidade de edição. O XMind é uma aplicação gratuita muito apelativa graficamente e com todas as principais funcionalidades.

Existe uma versão paga com funcionalidades adicionais, sendo destinado àqueles que querem explorar todas as utilidades da aplicação ou apoiar o seu desenvolvimento. A versão gratuita já tem todas as funcionalidades necessárias e é a que utilizo.

O XMind tem duas aplicações, o XMind Pro e o XMind Zen. A primeira aplicação é a mais completa mas só funciona no PC. A segunda aplicação tem menos funcionalidades mas é acessível em todos os dispositivos. Pessoalmente utilizo ambas. A versão Pro para mapas mentais mais exigentes e a versão Zen para mapas mentais mais simples ou para aceder rapidamente no telemóvel ou tablet (o mapa mental da imagem foi criado na versão Pro.

Conclusão

Espero que tenha gostado deste artigo, e do exemplo de como pode ser utilizado um mapa mental e suas potencialidades. Este processo de criação pode ser fascinante e rico, oferecendo uma dose de inovação e descoberta.

Icons made by Smashicons from www.flaticon.com

Pág. 1/2