Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

O Poder das Pausas na Comunicação Impulsiva

Homem de blazer zangado

Na minha tentativa de falar menos que a outra pessoa e ser um melhor ouvinte num contexto profissional tenho falhado redondamente.

Tentei usar o mantra “ouvir o dobro do que falo”, repetindo regularmente o mesmo na espetativa de melhorar, mas pouco efeito surtiu. Foi uma espécie de adaptação do tenho dois ouvidos e uma boca por alguma razão, para ouvir mais do que falo.

Esta semana pesquisei vários artigos na expectativa de encontrar alguma nova técnica ou método que me ajudasse. O blogue A Conscious Rethink tem um artigo muito interessante com dicas para parar de falar tanto.

Conhecer as razões por detrás do falar muito

É apresentado no ínicio do artigo que devemos conhecer primeiro as razões por detrás de falar tanto se queremos ter sucesso em deixar este mau hábito.

Aparecem dez razões para alguém falar muito: comportamento impulsivo, massagem ao ego, ser apreciado, dar opiniões, estar certo, apreciar drama e conflitos, pensar alto, nervosismo, silêncio e finalmente perturbação mental.

Dicas para o comportamento impulsivo

Cada pessoa pode rever-se em uma ou mais razões para falar muito. As soluções apresentadas para o controlo do comportamento impulsivo que é mais o meu caso, são as seguintes:

  • Fazer uma pausa conscenciosa antes de abrir a boca cada vez que falar, quer esteja a agir ou não por impulso.
  • Não interromper o outro até este parar de falar e fazer-se um silêncio. Até ao silêncio acontecer focar no que o outro está a dizer.
  • Pensar antes de falar.

Aplicação prática

Estás três soluções apresentam pausas e silêncios como forma de controlar a necessidade de falar muito por impulso. Como aplicação prática destas dicas, vou ler as mesmas no início do dia com o planeamento diário de tarefas a executar.

Comunicação 80/20

Homem com boca tapada

Um dos meus meus objetivos de 2020 para o trabalho é fazer uma comunicação 80/20, escutando 80% do tempo enquanto falo 20% do tempo. Este número é inspirado no Princípio de Pareto em que 80% dos resultados advêm de 20% do esforço. Esta lei pode ser aplicada a quase tudo, sendo uma medida contemporânea usada em muitos sistemas para a melhoria da produtividade pessoal.

Falar menos pode parecer contraproducente à primeira vista como ponto de melhoria na eficácia no trabalho, mas é essencial para quem quer ser respeitado e ganhar mais influência dentro de uma organização.

Nos livros as 48 Leis do Poder de Robert Greene “Diga sempre menos que o necessário” é a lei 4, e em Como Fazer Amigos e Influenciar se Pessoas de Dale Carnegie “Deixe a outra pessoa fazer grande parte da conversa” é o princípio 15.

Estes grandes dois livros de poder e influência enfatizam o valor menores como característica essencial. Ao falarmos muito, além de revelarmos aos outros as nossas intenções, acabamos por ser corriqueiros ou banais não estando atentos ao próximo, e não ouvimos informações que nos podem ser úteis.

A comunicação 80/20 não tem de seguir exatamente a proporção 80% a ouvir e 20% a falar. Pode ser adaptada consoante a situação para 70/30 ou 60/40, o importante é ter em atenção para deixar o outro ou outra fazer grande parte da conversa.

Afinal o Que é a Produtividade Pessoal

Mulher jogando duas bolas ao ar

Numa sociedade em que se confunde ser produtivo com o estar sempre ocupado, importa clarificar e discutir qual a melhor definição de produtividade pessoal.

A Agendor define a produtividade no trabalho como a relação direta entre a quantidade produzida de determinado produto ou serviço divida por algum elemento ou recurso necessário para a sua produção. Este conceito teve origem na revolução industrial com a relação da produção com o tempo e é a definição clássica de produtividade.

No Manual da Secretária é apresentada a definição de produtividade de Paulo J. Mayer em que a produtividade não pode ser um acidente, sendo sempre o resultado de um comprometimento com a excelência, inteligência, planeamento e esforço focado.

Na Prática refere a produtividade como estando em muitos aspetos relacionada com a qualidade de vida.

A evolução do significado de produtividade pessoal tem vindo a ser deslocada mais para o indivíduo, e as suas necessidades globais, à semelhança da evolução na psicologia. Aqui, a qualidade de vida que surge no pensamento mais recente é de vital importância.

Querendo manter a sentido de produtividade pessoal o mais simples possível para ter utilidade prática, deixo de seguida a minha definição:

Produtividade pessoal é a capacidade do indivíduo em envolver-se em tarefas e projetos que contribuam para os seus objetivos globais.

Por outras palavras, sem encontrar objetivos em primeiro lugar, não é possível ser produtivo, sendo que os objetivos devem ser considerados nas várias áreas da vida (social, trabalho, dinheiro, saúde, casa, espiritual, etc).

Photo by Juliana Romão on Unsplash

 

Do You Speak English?

Bandeira Reino Unido

Recentemente tenho pensado sobre a possibilidade de criar um novo blogue totalmente em inglês. Não tenho escrito na língua de Shakespeare tanto como gostaria, ao contrário de há uns anos atrás onde cheguei a escrever melhor em inglês do que em português.

Tudo é uma questão de prática, e o que não se pratica esquece-se. As minhas paixões andam à volta dos tópicos de produtividade, finanças, influência, saúde, yoga e mindfulness, pelo que naturalmente o novo blogue teria de ser nestas áreas. Escrever sem paixão deve ser a última coisa que um escritor deve querer.

A lista de blogues na língua inglesa sobre qualquer destes temas é infindável pelo que teria de ter um foco muito específico para ter alguma relevância. Não que queria rentabilizar o blogue, mas uma lista de leitores regulares, por mais pequena que seja, é motivadora.

Por outro lado, acredito na escrita como um processo de terapia para o próprio escritor, e que pode ser útil a outras pessoas que se revejam em situações similares. É um processo vencer-vencer para ambas as partes.

Uma excelente forma de encontrar um novo ângulo ou título para a criação de um blogue é pensar como se tivéssemos de escrever um livro. Como se sabe, a publicação de um livro é um processo que exige muito tempo para pesquisa, escrita e edição além de uma disciplina herculeana. Neste caso, a questão que o escritor deverá colocar é a seguinte: Se tiver de dedicar 3 horas por dia no próximo ano para escrever um livro, qual seria o título? A resposta daria supostamente a ideia para o nome é âmbito do blogue.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub