Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Afinal o Que é a Produtividade Pessoal

Mulher jogando duas bolas ao ar

Numa sociedade em que se confunde ser produtivo com o estar sempre ocupado, importa clarificar e discutir qual a melhor definição de produtividade pessoal.

A Agendor define a produtividade no trabalho como a relação direta entre a quantidade produzida de determinado produto ou serviço divida por algum elemento ou recurso necessário para a sua produção. Este conceito teve origem na revolução industrial com a relação da produção com o tempo e é a definição clássica de produtividade.

No Manual da Secretária é apresentada a definição de produtividade de Paulo J. Mayer em que a produtividade não pode ser um acidente, sendo sempre o resultado de um comprometimento com a excelência, inteligência, planeamento e esforço focado.

Na Prática refere a produtividade como estando em muitos aspetos relacionada com a qualidade de vida.

A evolução do significado de produtividade pessoal tem vindo a ser deslocada mais para o indivíduo, e as suas necessidades globais, à semelhança da evolução na psicologia. Aqui, a qualidade de vida que surge no pensamento mais recente é de vital importância.

Querendo manter a sentido de produtividade pessoal o mais simples possível para ter utilidade prática, deixo de seguida a minha definição:

Produtividade pessoal é a capacidade do indivíduo em envolver-se em tarefas e projetos que contribuam para os seus objetivos globais.

Por outras palavras, sem encontrar objetivos em primeiro lugar, não é possível ser produtivo, sendo que os objetivos devem ser considerados nas várias áreas da vida (social, trabalho, dinheiro, saúde, casa, espiritual, etc).

Photo by Juliana Romão on Unsplash

 

Do You Speak English?

Bandeira Reino Unido

Recentemente tenho pensado sobre a possibilidade de criar um novo blogue totalmente em inglês. Não tenho escrito na língua de Shakespeare tanto como gostaria, ao contrário de há uns anos atrás onde cheguei a escrever melhor em inglês do que em português.

Tudo é uma questão de prática, e o que não se pratica esquece-se. As minhas paixões andam à volta dos tópicos de produtividade, finanças, influência, saúde, yoga e mindfulness, pelo que naturalmente o novo blogue teria de ser nestas áreas. Escrever sem paixão deve ser a última coisa que um escritor deve querer.

A lista de blogues na língua inglesa sobre qualquer destes temas é infindável pelo que teria de ter um foco muito específico para ter alguma relevância. Não que queria rentabilizar o blogue, mas uma lista de leitores regulares, por mais pequena que seja, é motivadora.

Por outro lado, acredito na escrita como um processo de terapia para o próprio escritor, e que pode ser útil a outras pessoas que se revejam em situações similares. É um processo vencer-vencer para ambas as partes.

Uma excelente forma de encontrar um novo ângulo ou título para a criação de um blogue é pensar como se tivéssemos de escrever um livro. Como se sabe, a publicação de um livro é um processo que exige muito tempo para pesquisa, escrita e edição além de uma disciplina herculeana. Neste caso, a questão que o escritor deverá colocar é a seguinte: Se tiver de dedicar 3 horas por dia no próximo ano para escrever um livro, qual seria o título? A resposta daria supostamente a ideia para o nome é âmbito do blogue.