Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Monetizar um Blogue: Nem tudo é o que Parece

calculadora com moedas

Em conversa com um familiar, e depois de falar deste blogue, perguntou-me quantos subscritores é que tinha. Respondi-lhe que tinha dois subscritores. Depois riu-se e disse: “É tempo de encontrares alguma coisa para fazer dinheiro”.

Ainda tentei desculpar-me dizendo que não fazia promoção do blogue e que os objetivos eram outros, mas depois desisti. Este comentário, fez no entanto pensar na utilidade final deste blogue, e noutros projetos que estou envolvido, que basicamente não produzem qualquer resultado financeiro.

Acredito que escrever é uma forma de terapia que ajuda a organizar e a encontrar novas ideias. Por isso não escrevo por dinheiro aqui, mas para procurar inspiração ligando conceitos e experiências do meu dia-a-dia em assuntos que são importantes para mim e de que gosto.

Já tinha referido há dias atrás sobre o processo criativo da escrita, para quem não sabe sobre o que falar, é escrever regularmente sobre qualquer coisa, de preferência diariamente, que muito possivelmente irá encontrar um padrão temático nos seus textos nos meses seguintes.

Na minha opinião, um blogger deve motivar-se pela paixão dos assuntos que escreve, nem que seja pela própria escrita. Por outras palavras, pode ter uma abordagem não ficcional ou  ficcional na sua escrita.

Se o blogue dá dinheiro ou não, deverá ficar em segundo plano para evitar frustrações. As formas comuns de monetização direta de um blogue, como a publicidade ou programa de afiliados, são no mínimo anémicas, não justificando qualquer trabalho neste sentido, pelo menos nos primeiros tempos do blogue.

Já a monetização indireta, como a possibilidade de mostrar determinada especialidade ou conhecimentos em determinada área, poderá ser útil. Neste último caso, um blogue funciona como uma máquina de relações públicas, uma porta de entrada para se estabelecer uma relação e poder tirar dividendos no futuro.

Voltando à pergunta inicial do meu familiar, se tenho subscritores e se estou a fazer dinheiro com este blogue, a resposta continua a ser não. Escrevo sobre o que gosto, melhoro as minhas capacidades de redação e acima de tudo procuro ser uma pessoa mais criativa e encontrar soluções para antigos problemas através de um blogue.

A Importância de Criar um Site Profissional e sua Interligação com o Linkedin

Pessoas em reunião com computador portatil

Prevê-se que a produção de conteúdos na Internet continue a crescer nos próximos anos, e torna-se cada vez mais difícil ter uma voz no mundo digital. A proliferação das redes sociais, que inclui o Linkedin como rede profissional, tem tido igual crescimento com cada vez mais pessoas a aderir e a interagir neste tipo de plataformas.

Torna-se portanto urgente criar uma forma de diferenciação para o profissional que se quer distinguir na sua indústria. A criação de um site profissional é uma dos meios disponíveis para este fim.

O site por si só não produz maiores valias se for utilizado isoladamente, assim como o Linkedin não é suficiente por si próprio. É importante ter uma estratégia global utilizando o site como um local para mostrar a marca pessoal e as características únicas do profissional, e o Linkedin para criar momento e fazer com que os decisores das organizações visitem o site e possam eventualmente estabelecer um contacto de interesse nos serviços.

Para a criação de um site profissional existem vários pontos a ter em consideração.

Domínio próprio ou não.

Um site pode ser alojado numa plataforma gratuita como o wix, weebly, wordpress.com ou webnode e ficar com o nome de dominio nomedoprofissional.wordpress.com. Ou pode ser registado um domínio próprio ficando por exemplo nomedoprofissional.com.

Tratando-se de um site profissional, deve-se escolher a utilização de domínio próprio pois transmite um maior profissionalismo.

Algumas empresas de registo de domínios na Internet:

https://www.dominios.pt/

https://www.namecheap.com/

Alojamento gratuito ou não

As plataformas acima referidas permitem alojamento gratuito, sendo que perdem-se determinadas funcionalidades. O alojamento próprio tem atualmente baixo custos e permite através por exemplo do wordpress.org criar qualquer tipo de site ou blog, sendo o “céu” praticamente o limite. Como desvantagem, o alojamento próprio necessita de uma curva de aprendizagem.

Se o profissional não tiver os conhecimentos necessários para alojar o seu site, pode registar um domínio próprio e utilizar uma das plataformas de alojamento gratuito. A maioria destas plataformas permite utilizar domínio próprio, e o profissional pode migrar posteriormente o seu site se o assim entender.

Algumas empresas de alojamento:

https://www.webhs.pt/

https://www.iberweb.pt

https://www.webtuga.pt/

Idioma em português ou inglês

O tipo de idioma deve refletir a audiência alvo. Se o principal público fala o português deve-se utilizar o português no site. Se o público for diverso e internacional, então o inglês deve ser a escolha.

Existe também a possibilidade de criar-se um site bilingue, utilizando dois idiomas como o português e o inglês. O trabalho necessário para a sua manutenção pode não justificar, exceto em casos bastante específicos.

Uma forma de compromisso será escolher um idioma principal, e utilizar-se dois idiomas em conteúdos estáticos como a biografia ou o curriculum vitae. A produção de conteúdos como no caso de artigos ou blog, neste caso ficará com o idioma principal.

Conteúdos

Um site profissional deve conter no mínimo resumo biográfico, curriculum vitae, contactos e ligação ao Linkedin.

A criação de artigos de interesse à audiência alvo é também desejável, demonstrando os conhecimentos específicos do profissional, conhecido por thought leadership no inglês.

Neste último caso, o Linkedin já permite a publicação de artigos à semelhança de um blogue, pelo que é importante decidir-se como se irão gerir os conteúdos.

Existem três opções de gestão de conteúdos de artigos.

A primeira opção é escrever o artigo completo no site divulgando o mesmo no Linkedin através de uma publicação normal.

A segunda opção é escrever o artigo completo no site e na área de artigos do Linkedin. Neste caso deve-se ter em atenção para fazer a publicação em primeiro lugar no site, e só depois no LInkedin, de forma ao Google poder indexar primeiro o site e dar maior relevância.

A terceira opção é escrever o artigo completo no Linkedin e publicar unicamente o título do artigo no site criando-se uma ligação para o Linkedin.

Existem vantagens e desvantagens na escolha de cada uma das opções. De um modo geral ao fazer com que as pessoas visitem o seu site irá dar maior relevância ao mesmo e permite que o Google o possa listar mais facilmente nos seus motores de busca. Por outro lado, grande parte da sua audiência é encaminhada através do Linkedin para o seu site, e sair desta plataforma pode constituir uma barreira para algumas pessoas.

Uma presença online que faça a diferença é necessária

Longe vão os tempos em que apenas o curriculum vitae e carta de apresentação são suficientes para a pesquisa de novas oportunidades profissionais. De um modo geral, é importante ter site próprio, saber interligar e tirar o máximo partido da rede Linkedin, para os que querem aumentar as possibilidades de evolução nas suas carreiras.

Photo by rawpixel.com from Pexels

Como Encontrar Boas Ideias para Títulos de Artigos ou Livros

Lámpada de teto acesa

Como apaixonado por livros que sou, tenho às vezes por hábito consultar a lista dos livros mais vendidos na Amazon na categoria de negócios e dinheiro, que são os temas que mais acompanho.

Esta lista consiste nos 100 livros mais vendidos de cada categoria ou subcategoria: O que mais aprecio nesta consulta é visualizar a capa dos livros e os respetivos títulos. Como os autores e as editoras tentam capturar a atenção dos leitores.

Nos mais vendidos, existem livros que continuam no topo de vendas ano após ano, como Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes de Stephen R. Covey, Como Fazer e Amigos e Influenciar Pessoas de Dale Carnegie, Pai rico Pai Pobre de Robert Kyosaki, etc.

O que me levou desta vez a consultar a Amazon foi a captura de novas ideias para este blogue na área da gestão de carreiras, algo que me pudesse inspirar para puder contar uma história e chamar a atenção dos leitores.

Foi na subcategoria da Amazon de marketing e vendas que encontrei alguns nomes apelativos de títulos como How to Talk to Anyone, Exactly What to Say, The 1-Page Marketing Plan, One Hour Content Plan, Little Red Book of Selling, How I Raised Myself From Failure to Success in Selling, If You Are Not First You Are Last, The Motivation Manifesto e To Sell is Human.

Estes títulos muitas vezes perdem-se na tradução do inglês para o português ou têm um menor impacto. Estão também associados mais ao marketing e vendas, mas na criatividade pode (e é até desejável) haver cruzamento de ideias para se gerarem novos conceitos.

Neste caso, na geração de novas ideias, a gestão de carreira, pode até ser encarada como um processo de gestão de marketing e venda de um produto (eu) e serviços (o que faço).

Fazendo um brainstorming rápido a misturar todas estas ideias dos títulos dos livros com o tema da carreira ou trabalho chega-se a: Como Fazer Networking Com Qualquer Pessoa, Exatamente o Que Dizer Numa Entrevista de Emprego, O Plano de Carreira de Uma Página, O Pequeno Livro da Carreira, Como Recuperei do Fracasso Para o Sucesso no Meu Trabalho, É Possível Chegar a Número Um, O Manifesto do Trabalho e É Humano Progredir na Carreira.

Deu para ter uma ideia das potencialidades desta técnica, tendo-se conseguido em pouco tempo vários títulos interessantes que podem ser adaptados para novos artigos ou quem sabe um livro.

Photo by Burak K from Pexels

Revelar ou não a Identidade Pessoal num Blogue?

Mulher a escrever em portátil

Esta semana li um artigo que não estou recordar exatamente a fonte, que dizia que uma pessoa que tem um emprego regular não deveria assumir a sua identidade num blogue, sob pena de poder ser descriminada pelo seu empregador e mesmo colegas.

O artigo mencionava uma das razões como o receio da entidade empregadora recear que os seus trabalhadores não dessem o máximo nas suas tarefas e dividissem o seu tempo entre o trabalho e o blogue.

Outra das razões incrivelmente apontada era o ciúme natural que algumas das pessoas pudessem sentir pelo blogger, e de alguma forma descriminá-lo por tentar fazer algo diferente.

Como é do conhecimento de alguns, mostrar a identidade num blogue pode ajudar a diferenciar um blogue de outros tantos, através da personalidade do autor.

Por outro lado, e tendo em conta as razões acima apontadas, o mesmo também poderá ser prejudicado no seu trabalho ou emprego se transparecer a sua identidade.

Como poderá o blogger ultrapassar esta situação, desenvolver um blogue se estiver empregado?

A resposta a esta pergunta poderá não ser fácil, e cabe a cada um pesar os prós e contras de mostrar a sua identidade consoante a situação em que se encontra.

Algumas dos pontos a analisar envolvem se o tema do blogue é relacionado com o seu trabalho ou não, qual os objetivos do blogue, qual a frequência de publicação, etc.

Por exemplo, no meu caso, e neste blogue em particular, optei por não revelar explicitamente a minha identidade porque escrevo maioritariamente sobre desenvolvimento pessoal não estando diretamente relacionado com o meu trabalho. Os objetivos do blogue são melhorar a escrita no português e consolidar conhecimentos a nível da liderança.

Ao escrever regularmente irei contribuir para melhorar o português e também a organizar mais facilmente as minhas ideias. É conhecido no meio da formação que só retemos cerca de 10% do lemos, pelo que é importante ir mais além, e a escrita no meu caso permite reter mais do que simplesmente ler.

No final cabe ao blogger determinar as vantagens e desvantagens de mostrar a sua identidade em função da sua situação.

Utilizar um Blogue com a sua Rede Profissional Linkedin

Pessoa a escrever em portatil

A produção de conteúdos Online é cada vez maior, e a utilização de blogues e redes sociais continua a crescer.

Se no entanto muitas empresas já capitalizam a Internet para se promoverem e alcançarem mais clientes, no que toca aos profissionais, a utilização destes meios, talvez à exceção do Linkedin, ainda é pouco utilizada.

O Linkedin é uma ferramenta muito importante para conectar-se com uma rede profissional, mas por si só ineficaz se for utilizado isoladamente por carecer de fator de diferenciação.

Um profissional pode beneficiar e chegar mais longe se criar um blogue e utilizar as redes sociais para promover os seus artigos.

A criação de um blogue apresenta alguns desafios, principalmente a nível de disponibilidade de tempo, e que de certa forma leva a questionar as pessoas se realmente compensa o investimento. Outra dificuldade é determinar quais os temas a publicar e qual a estratégia a adotar.

Em relação ao tempo disponível é preciso programar tempo no calendário para planear, pesquisar, escrever, editar e publicar. Com a experiência é possível ter uma maior produtividade na criação de conteúdos e melhorar a qualidade.

Em relação aos temas abordados devem ser criados pelos menos duas páginas.

A primeira página apresenta o currículo e portfólio profissional, à semelhança do Linkedin, mas com a diferença que pode ser personalizado a nível de design e estrutura.

A segunda página contém os artigos sobre a especialista do profissional e demonstra o seu conhecimento em determinada área, conhecido na língua inglesa como thought leadership.

O Linkedin já possui uma plataforma de publicação, em que podem ser publicados artigos, mas mais uma vez não permite a customização e a organização das publicações.

Atualmente a utilização dos meios digitais para apoio na promoção profissional é fundamental. A utilização de um blogue em conjunto com o Linkedin permite criar uma imagem diferenciadora de outros profissionais e mostrar o domínio de conhecimentos nas áreas ou setores pretendidos.

Como Encontrar um Emprego com a Ajuda de um Blogue

Homem e mulher em mesa com portatil

Quando procuramos um emprego geralmente a primeira ideia que vem à cabeça é localizar oportunidades de carreira, utilizando o curriculum vitae e a carta de candidatura como principais recursos de promoção pessoal.

Muitos vão mais longe e utilizam as redes socais, nomeadamente o Linkedin, para uma maior alcance e exposição a potenciais cargos.

Estes meios têm o seu peso na procura de emprego, mas acabam por já estar normalizados e são de uso corrente, fazendo com que o candidato se diferencie pouco ou nada ao utilizar os mesmos.

Uma das ferramentas que poderá diferenciar e ser utilizada na procura de oportunidades de emprego é a criação de um blogue pessoal. Os blogues já são amplamente utilizados pelas empresas para a promoção de conteúdos e reconhecimento de autoridade, mas ainda pouco utilizados na gestão de carreiras por indivíduos.

As vantagens de criar um blogue para encontrar emprego

De acordo com um artigo da MichaelPage, um blogue pessoal destinado à procura de emprego é uma excelente oportunidade de realçar as competências de um candidato, mostrando que é:

  • Inteligente, criativo e capaz de escrever sobre tópicos relevantes.
  • Motivado e interessado
  • Perito numa determinada área
  • Dedicado à sua profissão
  • Interessado no diálogo e envolvimento com os seus pares
  • Capaz de se encaixar numa determinada cultura empresarial

Como criar um blogue

Hoje em dia existem plataformas de simples utilização como o Wordpress ou Blogger para a criação de um blogue. Existem inúmeros tutoriais para o efeito tais como em ResultadosDigitais e TudoSobreHospedagemdeSites.

Independentemente da plataforma que utilizar, a MichaelPage deixa as seguintes dicas para construir um blogue profissional e relevante:

  • Escrever sobre a sua especialidade unicamente em relação ao tipo de emprego que procura.
  • Assegurar que os textos que disponibiliza são confiáveis e bem escritos.
  • Comentar sobre a atualidade e tendências de mercado na sua indústria ou profissão.
  • Evitar desabafos ou conteúdos negativos.
  • Utilizar uma foto profissional.
  • Ligar-se a outros bloggers ou influenciadores do setor..
  • Utilizar as redes sociais para promover o blogue.
  • Manter o blogue com um tom profissional em vez de social.

Algumas estratégias importantes

De acordo com Allison Cheston na Forbes, e para que o blogue possa funcionar, é importante ter um objetivo claro e determinar os tópicos e palavras-chave a utilizar nos artigos.

Dever ser também identificada a audiência e as suas questões para se ter as respostas certas, contribuindo para uma boa consistência e uma forte mensagem do blogue

A regularidade na publicação é outro dos fatores de sucesso, para que os artigos tenham a possibilidade de passar por mais pessoas e ser indexados nos motores de busca

Independentemente do assunto, deve-se recorrer a entrevistas com peritos ou especialistas o mais cedo possível, publicando conteúdos interessantes acerca do setor. Aqui poderá ser utilizado o Linkedin para ajuda no contacto aos peritos.

Ajudar os leitores do blogue

Ainda segundo Allison Cheston na Forbes, os leitores devem receber um serviço na forma de informação e resolução de problemas. Esta questão deve guiar todos os esforços na identificação de soluções para o setor, demonstrando o benefício e utilidade dos conteúdos para os leitores e as suas organizações.

Como um candidato encontrou um emprego com o seu blogue

Victoria Michelson escreve na Idealistcareers, que fez uma experiência, em cada vez que se candidatava a uma vaga de emprego juntava um convite para visitarem o seu blogue. A resposta que teve foi fenomenal, com algumas das pessoas a darem os parabéns pelo blogue e a comentarem nos seus artigos. Conseguiu desta forma o emprego que pretendia numa organização sem fins lucrativos.

Michelson refere na Idealistcareers que os principais benefícios na criação de um blogue para encontrar emprego são as oportunidades de networking, mostrar as competências e assinalar uma marca pessoal.

A criação de um blogue para encontrar e conseguir um emprego exige disponibilidade de tempo e a estratégia certa para se conseguirem os melhores resultados. No entanto, para os que têm disponibilidade e motivação para seguir esta via, está-se perante um sistema que possibilita aos candidatos mostrarem as suas competências e credibilidade, e assim obterem mais facilmente a proposta de trabalho porque tanto ambicionam.

Photo by rawpixel.com from Pexels

Os 4 Dilemas de um Blogger

Mãos de mulher a trabalhar em portátil

Existem cada vez mais pessoas a iniciarem os seus blogues, sendo que as opções e decisões a tomar, quando alguém decide seguir por este caminho, são muitas.

Eu diria que existe um dilema na criação e gestão de um blogue. De acordo com o dicionário Online Priberam, dilema significa uma alterativa em que não há opção satisfatória ou o argumento formado por duas proposições que se contradizem mutuamente.

Domínio próprio vs domínio gratuito

A criação de um blogue inicia pela decisão de adquirir um domínio próprio através de uma empresa de registos como a Dominios.Pt e Namecheap, ou recorrer a uma plataforma gratuita como o Sapoblogs e Blogger.

Nome de domínio generalista vs nome de domínio específico

Depois de escolher o tipo de domínio, é altura de decidir o nome do domínio que deverá estar em consonância com o nome do blogue. Aqui as coisas tornam-se realmente difíceis porque um nome deverá transmitir a mensagem e tom do blogue. Um nome generalista permite ao blogger adaptar-se ao longo do tempo enquanto um nome específico é mais focado num nicho e pode ter um branding mais forte.

Artigos longos vs artigos curtos

Uma das dificuldades de um iniciado na criação de um blogue é encontrar a sua voz e articular a sua mensagem num artigo. Artigos mais longos e bem escritos permitem em teoria uma melhor indexação pelos motores de busca, enquanto artigos curtos são geralmente mais fáceis de escrever e permitem publicar mais frequentemente.

Escrever em português vs escrever em inglês

A língua oficial da internet é o inglês. Escrever em inglês permite chegar a um público mundial, e as possibilidades são ínfimas, sendo no entanto a concorrência enorme. Por outros lado, escrever na língua portuguesa pode ser mais fácil se o blogger estive mais confortável para se expressar na língua materna.

Em última análise, não existem escolhas fáceis para estes quatro dilemas. Talvez numa determinar altura do percurso de um blogger uma opção tenha mais sentido do que noutra.

O importante é começar a escrever, independentemente do percurso a seguir, esperando-se que as decisões sejam cada vez mais fáceis À medida que a experiência vai acumulando.

Photo by Kaboompics .com from Pexels

Conclusão do desafio escrever 30 artigos em 30 dias

Escrever artigo no blog

Hoje termino o desafio escrever 30 artigos em 30 dias neste blogue. A ideia original era escrever um artigo por dia durante 30 dias consecutivos com u mínimo de 300 palavras, de forma a desenvolver um ritmo de redação. Consegui escrever os 30 artigos, mas não foi possível publicar todos os dias devido a limitações de tempo.

De qualquer forma foi um desafio em que foram desenvolvidos temas de especial interesse na área de crescimento pessoal, aplicados às minhas necessidades e à dos leitores com interesses semelhantes, nomeadamente as categorias principais: carreira, dinheiro, produtividade e livros.

A carreira é atualmente uma das categorias mais relevantes a nível pessoal, pois encontro-me na meia-idade com a segunda metade da carreira pela frente. A primeira metade, infelizmente, não correu totalmente como desejava a nível de progressão salarial bem como a possibilidade de abarcar um projeto com uma posição de liderança mais relevante. Este aspeto foi minimizado pela oportunidade de participar em empreendimentos cativantes com boa satisfação no trabalho.

O dinheiro não tem sido abundante, principalmente por não ter tido progressão salarial na carreira como referido anteriormente, mas também por não ter uma boa política de investimento e falta de conhecimentos nesta área. Por estar a meio da minha carreira já só tenho outra metade contributiva pela frente pelo que a preocupação em aumentar os rendimentos e aplicar as poupanças da melhor forma torna-se cada vez mais pertinente.

A produtividade é uma das categorias que é transversal a todas as áreas sendo extremamente importante para um equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Não poderei dizer que sou das pessoas mais desorganizadas, mas tem faltado traçar e prosseguir determinados objetivos que são importantes. O tempo é limitado, e gerir da melhor as horas que temos é crucial para o sucesso e contribuir para a nossa felicidade.

A categoria dos livros não estava inicialmente planeada no blogue, mas umas das minhas paixões é a leitura de livros em áreas que gostaria de adquirir mais conhecimentos para poder inspirar-me e aplicar na minha vida. O resumo e as notas dos livros, embora de certa forma sendo um processo moroso, permite resumir os pontos principais e consolidar mais facilmente o conhecimento transmitido.

Embora não tenha escrito todos os dias, consegui publicar 30 artigos em cerca de quatro meses, alguns deles com mais de 1000 palavras ultrapassando o mínimo das 300 palavras pretendido. Possivelmente no futuro farei outro desafio semelhante, mas para já irei tentar escrever mais regularmente, embora não obrigatoriamente todos os dias.

Como Estruturar um Artigo de 300 Palavras

Escrever notas

Uma das dificuldades iniciais na escrita de artigos é a organização do texto. Infelizmente nem sempre é possível encontrar na Internet instruções simples na língua portuguesa para um texto de 300 palavras. Com o objetivo de demonstrar como se pode estruturar um artigo deste tamanho, irei de seguida descrever o processo inspirado na parte escrita do exame internacional de inglês TOEFL que adaptei ao português. A estrutura de um artigo de 300 palavras, que é relativamente pequeno, desenvolve-se em introdução, corpo e conclusão.

Na introdução é introduzido o tema e ideia principal do artigo. Inicia-se com uma frase que possa despertar curiosidade ou chamar a atenção. De seguida é introduzida a opinião do autor sobre o assunto a desenvolver. Por último poderão ser referidas as razões de suporte à opinião do autor, podendo esta parte ser opcional e as razões serem mencionadas nos parágrafos seguintes.

No corpo são introduzidos os pontos principais de apoio ao artigo podendo existir dois ou três parágrafos. Em primeiro lugar introduz-se o ponto principal a desenvolver-se no restante parágrafo. Em segundo lugar exemplifica-se uma situação que descreva a opinião do autor podendo ser utilizado um caso hipotético. Por último, e em terceiro lugar, desenvolve-se o exemplo explicando o efeito ou consequência e como suporta o ponto de vista.

Na conclusão é feito um resumo dos principais pontos abordados no artigo de uma forma sucinta. Descreve-se novamente o tópico abordado e a opinião do autor, e de seguida poderão ser novamente reintroduzidos os pontos principais de apoio ao texto.

Organizar um artigo nem sempre é fácil, principalmente para quem está a iniciar-se na escrita. Felizmente existem vários recursos disponíveis para ajudar neste processo de estruturação, nomeadamente as indicações da parte escrita do exame de inglês TOEFL que aqui adaptei ao Português pela simplicidade da sua estrutura. E se reparou, acabei de utilizar esta estrutura neste artigo.

Como criar o hábito de escrever: desafio 30 artigos em 30 dias

maquina-de-escrever.jpeg

 Talvez não exista uma melhor forma de iniciar este blog do que com um novo hábito diário. Escrever 30 artigos em 30 dias. Este desafio vem na sequência de já ter iniciado alguns blogs no último ano, mas não ter tido sucesso na sua continuação.

Cheguei a comprar alguns domínios no Namecheap e alojamento próprio no Wordpress, portanto incorri em despesas iniciais sem haver necessidade disso. De qualquer forma não quero desistir da blogosfera sendo que alguns dizem que a melhor forma de aprender é com os erros. Aqui estou para uma nova tentativa.

A dificuldade em escrever consistentemente não é nada de novo, e muitos bloggers e escritores têm desenvolvidos técnicas contra esta inércia. Uma das técnicas é dedicar um tempo todos os dias (criando um hábito) para escrever.

O National Novel Writing Month*, ou abreviadamente NaNoWriMo, lança um desafio aos participantes de escrever um romance em apenas 30 dias. No meu caso não irei escrever um romance (pelo menos por agora!), mas apenas dedicar algum tempo todos os dias a escrever um artigo e publicar neste blog.

Para que o desafio e os próximos 30 dias possam ter a melhor hipótese de sucesso é importante definir algumas regras à partida. Cada artigo não deve ser demasiado extenso tendo o mínimo de 300 palavras. Por outro lado é também importante criar logo desde o início o hábito dos artigos poderem ser otimizados para motores de busca.

A otimização para motores de busca, ou search engine otimization (SEO), é uma área muito vasta existindo sites e blogues dedicados exclusivamente a este tema. Irei introduzir duas técnicas simples de SEO: criar ligações para outros sites e blogs e adicionar uma fotografia a cada artigo.