Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

As 48 Leis do Poder de Robert Greene, Resumo do Livro - As minhas notas, Parte 5 de 5

As 48 leis do poder, Greene

ATUALIZADO a 09/03/2020: Para uma informação mais completa do trabalho de Robert Greene, consulte o novo blogue 48-leis-do-poder-blogs.sapo.pt, com o resumo alargado do livro.

Esta é a parte 5 das minhas notas do livro As 48 Leis do Poder de Robert Greene, onde irei transcrever os pontos que considero mais relevantes das leis 31 a 40. De referir que em grande parte das leis pode aplicar-se o inverso, e dependendo do contexto.

Este livro contém algumas instruções pouco convencionais, e pode ser suscetível aos mais sensíveis. No entanto revela a verdade nua e crua de como se move o mundo do poder e dos que ambicionam lá chegar.

As 48 Leis do Poder - Parte 1 - Leis 1 a 10
As 48 Leis do Poder - Parte 2 - Leis 11 a 20
As 48 Leis do Poder - Parte 3 - Leis 21 a 30
As 48 Leis do Poder - Parte 4 - Leis 31 a 40
As 48 Leis do Poder - Parte 5 - Leis 41 a 48

Lei #41 – Evite seguir os passos de um grande homem

O que acontece em primeiro lugar parece sempre melhor do que o que vem a seguir. Se substituir em grande homem ou tiver um pai famoso é necessário fazer o dobro do que eles fizeram para brilhar mais. Não se deve ficar perdido na sai sombra ou preso a um passado que não foi obra sua: estabeleça o seu próprio nome e identidade mudando de curso. “Destrua” a ideia do pai dominador, menospreze o seu legado e conquiste o poder com a sua própria luz.

O inverso: Pode ser vantajoso usar a sombra de um grande predecessor se esta for escolhida como um truque, uma tática de que se possa descartar depois de conquistado o poder. Exagerar na ostentação de um estilo diferente dos seus antecessores pode fazê-lo parecer infantil e descontrolado, a não ser que as suas atitudes tenham uma lógica própria. Finalmente, é bom estar atento aos jovens, os seus futuros rivais no poder. Assim como se tenta livrar do seu pai, os jovens em breve estarão a aplicar o mesmo truque consigo, denegrindo tudo o que conquistou. Enquanto sobe de status, rebelando-se contra o passado, não perca de vista os que estão atrás, e não lhes dê oportunidade de fazer o mesmo consigo.

Lei #42 – Ataque o pastor e as ovelhas dispersar-se-ão

A origem dos problemas, em geral, pode estar num único indivíduo forte – o agitador, o subalterno arrogante o envenenador da boa vontade. Se der espaço para estas pessoas agirem, outros sucumbirão à sua influência. Não espere para os problemas que eles causam se multiplicarem, não tente negociar com eles – eles são irremediáveis. Neutralize a sua influência isolando-os ou banindo-os. Ataque a origem dos problemas e as ovelhas dispersar-se-ão.

O inverso: Se agir e isolar o inimigo, garanta que ele não tenha como lhe pagar na mesma moeda. Se aplicar esta lei que seja de uma posição superior, para não ter nada a temer com o ressentimento do inimigo. Verá frequentemente que é melhor manter as pessoas ao seu lado, onde poderá observá-las, do que arriscar.se a criar um inimigo irado. Mantendo-as por perto, pode secretamente reduzir a sua base de sustentação de tal forma que na altura de as soltar, estas caiam no chão sem saber porquê.

Lei #43 – Conquiste o coração e as mentes dos outros

A coerção provoca reações que acabam por funcionar contra nós mesmos. É necessário atrair as pessoas para que elas queiram vir até si. A pessoa seduzida torna-se um fiel peão. Seduzem-se os outros atuando individualmente nas suas psicologias e pontos fracos. Amacie o resistente atuando nas suas emoções, ou jogar com aquilo que ele gosta muito ou teme. Ignore os corações e mentes dos outros e acabarão por odiá-lo.

O inverso: Não há inverso possível para esta lei.

Lei #44 – Desarme e enfureça com o efeito espelho

O espelho reflete a realidade mas é também a ferramenta perfeita para a ilusão. Quando espelhamos os nossos inimigos, agindo exatamente como eles agem, eles não entendem a sua estratégia. O efeito espelho ridiculariza-os e humilha-os, fazendo com que reajam exageradamente. Colocando um espelho em diante das suas psiques, seduzimo-los com a ilusão de que compartilhamos os seus valores; ao espelhar as suas ações, é-lhes prestada uma lição. Raros são os que resistem ao poder do efeito espelho.

O inverso: Com frequência sofre-se com a comparação, parecendo mais fraco do que o ocupante anterior da sua posição ou então estigmatizado por associações desagradáveis que outra pessoa deixou. Mesmo que a pessoa ou evento tenha associações positivas, sofrerá pela incapacidade de estar à sua altura, visto que o passado, em geral, parece maior do que o presente. Se notar que as pessoas o associam a algum evento ou pessoa do passado, faça tudo o que puder para se separar dessa lembrança e estilhaçar esse reflexo.

Lei #45 – Pregue a necessidade de mudança, mas não mude muita coisa ao mesmo tempo

Teoricamente, todos sabem que é preciso mudar, mas na prática as pessoas são criaturas de hábitos. Muita inovação é traumático e conduz à rebeldia. Se é novo numa posição de poder ou alguém de fora tem o intuito de destruir a sua base de poder, mostre explicitamente que respeita a maneira antiga de fazer as coisas. Se a mudança é necessária faça-a parecer uma suave melhoria do passado.

O inverso: O passado é um defunto para ser usado como achar melhor. Se o que aconteceu no passado recente foi doloroso e sombrio, é autodestrutivo associar-se a ele. Preste atenção à época. Se operar uma mudança ousada, deve evitar a todo o custo a aparência de vácuo, ou criará o terror. Mesmo uma feia história recente parecerá preferível ao espaço vazio. Preencha esse espaço, imediatamente, com novos rituais e formas. Tranquilizando e tornando-se familiar, irão garantir a sua nova posição entre as massas. Finalmente, as artes, a moda e a tecnologia parecem áreas em que o poder se originaria de uma rutura radical com o passado e a aparente nova era. Ma verdade, esta estratégia pode trazer um grande poder, mas é muito arriscada. É inevitável que as inovações acabe por serem ultrapassadas por outros. Precisa de um poder baseado em algo mais sólido. Usando o passado, remontando às tradições, jogando com as convenções para subverte-las dará às suas criações algo mais do que um encanto momentâneo.

Lei #46 – Não pareça perfeito de mais

Parecer melhor do que os outros é sempre perigoso, mas o que é muito perigoso é parecer não ter falhas ou fraquezas. A inveja cria inimigos silenciosos. É sinal de astúcia exibir ocasionalmente alguns defeitos e admitir vícios inofensivos para desviar a inveja e parecer mais humano e acessível. Só os deuses e os mortos podem parecer perfeitos impunemente.

O inverso: O motivo para se ficar atento com os invejosos é que eles são muito dissimulados, e encontrarão inúmeras formas de destruí-lo aos poucos. Mas ficar alerta, cheio de cuidados, em geral só aumenta a inveja que eles sentem. Percebem que está a ser cauteloso, e isso lhes parece ser mais um sinal da sua superioridade. Por isso, é preciso agir antes que a inveja fixe as suas raízes. Quando já existir a inveja, por sua culpa ou não, às vezes é melhor utilizar uma abordagem inversa: mostre um desprezo total por aqueles que o invejam. Em vez de ocultar a sua perfeição, torne-a óbvia. Faça de cada triunfo uma oportunidade para deixar os invejosos a contorcer-se. Se você alcançar uma posição de poder incontestável, a inveja deles não terá nenhum efeito sobre você, e a sua melhor vingança: eles ficam presos à inveja, enquanto fica livre com o seu poder.

Lei #47 – Não ultrapasse a meta estabelecida; na vitória, aprenda a parar

O momento da vitória é quase sempre o mais perigoso. No calor da vitória,a  arrogância e o excesso de confiança podem fazê-lo avançar além da sua meta e ao ir longe demais, conquista mais inimigos do que os que derrota. Não deixe o sucesso subir-lhe à cabeça. Nada substitui a estratégia e o planeamento cuidadoso. Fixe a meta e ao alcança-la, pare.

O inverso: Infligir meios castigos ou leves injúrias só criará um inimigo cuja amargura crescerá com o tempo, e que acabará por se vingar. Ao derrotar o inimigo, portanto, faça com que essa vitória seja total. Seja implacável com o inimigo, mas não crie outros indo além do necessário. Deixe o ímpeto para quem não pode confiar em algo melhor.

Lei #48 – Evite ter uma forma definida

Ao assumir uma forma, ao ter um plano visível, expõe-se ao ataque. Em vez de assumir uma forma que o seu inimigo possa agarrar, mantenha-se maleável e em movimento. Aceite o fato de que nada é certo e nenhuma lei é fixa. A melhor forma de se proteger é ser tão fluído e amorfo como a água; não aposte na estabilidade ou na ordem permanente. Tudo muda.

O inverso: Usar o espaço para dispersar o seu poder e criar um padrão abstrato não significa que desista de o concentrar quando tal lhe for útil. A informidade faz com que os seus inimigos corram atrás de si, espalhando para todos os lados as suas próprias forças, mentais e físicas. Ao assumir uma forma e atacar, use a concentração, a velocidade e o poder,