Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Introdução aos Mercados Financeiros

Mão com caneta junto a gráficos e calculadora

Em setembro o Banco Central Europeu (BCE) voltou a descer as taxas de juro de depósito de -0,4% para -0,5%. A taxa de juro de depósito é a taxa que os bancos comerciais na zona euro recebem do BCE para depositarem o seu dinheiro. Neste caso, como a taxa é negativa, os bancos têm de pagar dinheiro nos seus depósitos.

Consequência dos juros negativos

A consequência direta dos juros negativos são os depósitos a prazo dos consumidores com juros perto do 0% de rendimento. Só não estão negativos porque que caso contrário as pessoas levantariam todo o seu dinheiro dos bancos. Por este motivo as comissões das operações bancárias continuam a aumentar, como forma de compensação por parte das entidades financeiras.

Lupa com gráfico

Alternativas de investimento

Como não compensa ter o dinheiro parado no banco, os investidores deslocaram os seus investimentos para investimentos alternativos como o imobiliário e os mercados financeiros. O resultado tem sido o aumento galopante dos preços das casas, e do período de crescimento mais longo de sempre do maior índice de ações do mundo, o índice norte-americano s&p 500, que engloba as 500 empresas mais relevantes da economia americana (análogo ao PSI20 em Portugal mas com um dimensão completamente diferente).

Os mercados financeiros são atualmente muito complexos. Nomes como opções, futuros, valores imobiliários, exchanged traded funds (ETF’s) e produtos derivados (CFD’s) fazem parte do vocabulário das praças financeiras, que pode levar a pessoa comum a desistir logo à partida de obter um maior conhecimento.

A boa notícia é que basta apenas conhecer e investir num tipo de produto para se conseguir obter um bom rendimento, pelo que no resto deste artigo, e para efeitos de simplificação, irei apenas falar sobre o mercado de ações.

Prédios com vários andares

O investimento em ações

O aumento da volatilidade de preços no mercado acionista traduz-se em novas oportunidades, mas também em novos riscos. Como pode o investidor médio aproveitar esta volatilidade a seu favor sem ficar na bancarrota?

Existem duas medidas que podem ser tomadas para colocar as probabilidades a favor do investidor. Nos mercados financeiros não existem certezas, apenas probabilidades de lucros e perdas.

Calendário

Prazo da aplicação financeira

Quando se fala no investimento em ações o prazo de aplicação é o primeiro fator a considerar. Vai-se negociar numa ação mantendo a mesma 1) dias a semanas, 2) semanas a meses ou 3) meses a anos?

A resposta a esta pergunta depende da disponibilidade que o investidor tem para acompanhar os mercados, sendo que quanto mais curto for o prazo da aplicação, maior é a necessidade de tempo para seguir as ações.

Os investidores de curto prazo também são conhecidos como traders.

Globo mundial com várias localizações

Como selecionar as melhores ações

Existem duas principais escolas de pensamento no que toca à análise das ações: a análise fundamental e a análise técnica.

Análise fundamental

A análise fundamental foca-se na informação dos relatórios de atividades das empresa e nos indicadores económicos no geral. Está análise pretende determinar o valor das empresas e comparar com o valor de mercado de forma a descobrir oportunidades de negócio. Um dos investidores mais famosos do mundo, Warren Buffet, utiliza este tipo de análise.

Análise técnica

A análise técnica foca-se no movimento dos preços, ou no estudo dos gráficos, com o objetivo de prever movimentos futuros. Está análise utiliza os preços históricos das ações desenhando padrões gráficos com o objetivo de detetar novas oportunidades de negócio. George Soros é um dos investidores mais conhecidos do mundo utilizando esta análise.

Megafone

Gestão do risco

Pela natureza incerta do mercado de ações não se pode esperar que se ganhe sempre em todos os negócios, e à semelhança do que acontece com as empresas. O sucesso dos investimentos é medido pela soma de todos os lucros e prejuízos.

A gestão do risco surge para auxiliar o investidor, com a finalidade de identificar e analisar os riscos, e criar medidas para os eliminar ou mitigar. Por exemplo, a execução de um stop loss após a compra de uma ação é uma das medidas de redução do risco, fazendo com que o investidor não perca mais do que uma quantia predeterminada.

Outra forma de redução do risco é testar a estratégia de investimento em ações numa conta simulada (isto é, sem dinheiro real), até se ganhar alguma consistência nos resultados.

Conclusão

As taxas de juro negativas do BCE conduziu a que particulares e investidores procurassem outras formas de rendimento em alternativa aos tradicionais depósitos a prazo e produtos mais conservadores. Isto conduz a um novo desafio, que é a necessidade de conhecimento deste tipo de produtos financeiros. O mercado de ações constitui para os interessados que querem dedicar tempo ao seu conhecimento, uma opção de aplicação das suas poupanças.

Icons made by Freepik from www.flaticon.com

1 comentário

Comentar post