Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

O Investimento em Obrigações como uma Alternativa aos Depósitos a Prazo

Reunião de finanças

O investimento em obrigações como uma Alternativa aos Depósitos a Prazo

Muitas pessoas têm as suas poupanças aplicadas em depósitos a prazo com juros perto do zero. Se pensarmos que os maiores bancos em Portugal começaram a cobrar comissões de gestão significativas, isto significa que para grande parte dos indivíduos está a pagar mais de comissões do que recebe em juros das suas aplicações bancárias. É o mesmo que dizer que preferimos pagar ao banco para não ter o dinheiro debaixo do colchão.

Tem de existir uma melhor forma de rendimento do nosso dinheiro com um baixo risco baixo ou similar aos depósitos a prazo. A aplicação do dinheiro em divida pública tem baixo risco e de uma forma geral taxas de juro mais atrativas que os depósitos a prazo convencionais. Este tipo de investimento tem a designação comum de obrigações de divida pública.

Na Agência de Gestão da Tesouraria da Divida Pública (IGCP) estão anunciados vários instrumentos de divida como as Obrigações do Tesouro, Bilhetes do Tesouro, Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV), Certificados de Aforro e Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC).

À primeira vista pode parecer complicado conhecer todos estes mecanismos de investimento, mas nos próximos artigos irei escrever sobre cada um. Quero, no entanto, deixar alguns conceitos gerais sobre obrigações neste artigo.

Quando um investidor compra uma obrigação a uma empresa ou governo está essencialmente a comprar dívida com a expetativa de obter lucro no futuro. A permanências de tempo das obrigações é conhecida como o período de maturidade. No final do período de maturidade é devolvido um valor acordado ao investidor (chamado de valor nominal) acrescido ou não de juros consoante o caso. Os juros nas obrigações são também conhecidos como cupão e podem ser fixos ou variáveis.

O lucro nas obrigações pode ser medido de duas formas. (1) Pelos juros recebidos no caso do investimento inicial ser igual ao valor restituído no final do período de maturidade (valor nominal), ou (2) pelos juros recebidos mais a diferença entre o valor investido inicialmente e o valor restituído no final da maturidade, no caso destes dois valores serem diferentes.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.