Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

19 Ideias Para Um Diário Profissional

O blog @Work: a career blog recomenda aos profissionais manterem um diário como forma de anotarem as suas realizações, traçarem objetivos de carreira e medir o progresso.

Manter um diário de carreira irá também ajudá-lo a perceber o que sente acerca do que faz no seu trabalho. Manter um registo dos bons e maus dias por ser útil para tomar decisões de carreira. As entradas no diário podem incluir notas sobre projetos em que está a trabalhar, discórdias entre membros da equipa, aspetos financeiros, ou mesmo a necessidade de mudar de organização.

Ainda não tem a certeza sobre o pode escrever num diário profissional?. Um artigo de Randall S. Hansen no Live Career sugere as seguintes ideias:

  1. Analisar a sua situação atual.
  2. Fazer brainstorming sobre os seus objetivos de carreira de longo prazo; vendo-se daqui a 5 ou 10 anos.
  3. Estabelecer objetivos e metas de curto prazo.
  4. Desenvolver planos de ação para alcançar os seus objetivos e metas.
  5. Acompanhar o seu progresso e realizações diárias.
  6. Criar listas de tarefas para mover os seus projetos em frente.
  7. Descobrir e explorar os valores do seu local de trabalho.
  8. Escrever uma declaração de missão pessoal.
  9. Preparar uma análise SWOT (forças, fraquezas, oportunidades, ameaças)
  10. Anotar informações chave, como contatos de rede, entrevistas informativas, realizações, resultados de entrevistas de emprego, etc.
  11. Expressar reações pessoais ao sucesso e fracasso no trabalho e na carreira
  12. Escrever e melhorar cartas de apresentação, currículos, cartas de agradecimento, etc.
  13. Praticar perguntas e respostas de entrevistas de emprego.
  14. Recolher informações sobre pesquisas salariais.
  15. Desenvolver planos para alcançar uma promoção.
  16. Encontrar estratégias para obter um aumento salarial, um bónus ou outras compensações e benefícios.
  17. Preparar as revisões de desempenho no trabalho
  18. Fazer relações públicas dentro da organização.
  19. Explorar qual a educação ou formação que poderá ajudar a acelerar na sua carreira.

Um diário pode ser um local para explorar ideias para o futuro: artigos que pretenda escrever, planos de carreira, talvez até começar um negócio. Vários estudos apontam para a evidência de que pessoas que escrevem os seus objetivos, conseguem atingir mais do que aqueles que não os escrevem.

Do que está à espera para começar o seu diário profissional?

A Vergonha dos Ordenados em Portugal

De acordo com um estudo da Adecco de 2019 consultado na HR Portugal, o salário médio em Portugal é 110% inferior à média da União Europeia, só estando atrás dos países da Europa Oriental ou de Leste.

O mais preocupante ainda é a distância que separa o ordenado mínimo do ordenado médio.

Aproximação dos ordenados mínimo e médio

Em Portugal o ordenadomínimo é atualmente de 635€ para um ordenado médio de 997€. Na União Europeia, a média do salário mínimo é de 930€ para um ordenado médio de 2091€.

Isto significa que o salário médio em Portugal é 57% superior ao ordenado mínimo enquanto na União Europeia o salário médio é 224% superior ao ordenado mínimo.

No título do artigo disse que considerava este facto uma vergonha, mas ainda é mais do que isso, se pensarmos que há 20 anos atrás a diferença entre o salário mínimo e médio era semelhante ao de hoje na União Europeia, em 224%.

Classe média esquecida 

A classe média foi completamente lapidada nestes últimos anos e politicamente nada tem sido feito para inverter esta situação. Profissionais de valor em todas as áreas tem sido constantemente mal tratados e subvalorizados.

Pessoalmente sinto-me indignado, e a minha atuação individual em pouco ou nada pode mudar alguma coisa deste cenário, a menos que seja candidato a primeiro ministro, o que não irá acontecer.

Também não irei aderir a qualquer sindicato, que só atua no ordenado mínimo. As ordens profissionais e afins nada fazem. No entanto tenho de adaptar-me.

Emigrar para fora cá dentro

A minha atuação profissional em Portugal na engenharia, é como um colega meu que diz: estamos em regime de voluntariado, com as despesas mínimas de sobrevivência garantidas, e com rendimentos extra para ir ao cinema de vez em quando e pouco mais.

Continuo a trabalhar por brilho profissional, e por gostar daquilo que faço, participando em projetos relevantes, mas pouco posso esperar, pelo menos da engenharia.

Os meus rendimentos estão a deixar Portugal. Hoje, com a globalização, já não é preciso emigrar, e para os mais ambiciosos e dedicados, felizmente existem outras formas de ganhar dinheiro em países com economias mais prósperas e vivendo em Portugal ao mesmo tempo.

Vergonha dos ordenados Portugueses? Sim.
Manter os braços cruzados? Não.

 

3 Medidas que o Irão Ajudar a Lidar com um Chefe Micro Gestor

Normalmente olhamos para o lado negativo das coisas em primeiro lugar, e ter um chefe micro gestor pode ser de facto um pesadelo.

Ninguém gosta de um chefe micro gestor. Alguém que acompanha o trabalho dos seus subordinados de perto, sendo picuinhas com tudo e com nada, andando constantemente a fazer pedidos e a solicitar alterações.

Existem certas medidas que podemos tomar para lidar com um chefe micro gestor, de modo a diminuir o impacto negativo das suas ações, e evitar afetar a nossa performance e bem estar.

1. Proteja as suas emoções

A primeira medida é cuidar do nosso ego, e não dar a importância ao chefe. A sua atitude provavelmente tem a ver com a insegurança e o perfecionismo, querendo controlar tudo com medo que falhe alguma coisa. Não leve para o campo pessoal, reconhecendo a situação e protegendo as suas emoções.

2. Delegue o trabalho ao seu chefe

A segunda medida é aproveitar o trabalho do seu chefe. Este tipo de pessoas, com medo que sejam cometidos erros ou que não sejam cumpridos prazos, acabam muitas vezes por fazer o trabalho dos seus subordinados. Isto pode ser desencorajador, mas se tiver muito trabalho a fazer e o seu ego controlado, acaba por conseguir delegar parte do seu trabalho ao seu chefe, libertando o seu tempo para outras tarefas.

A delegação é uma das técnicas essenciais para uma maior produtividade pessoal. O que maioria das pessoas desconhece, é que possível aprender a delegar trabalho mesmo que não tenhamos subordinados, incluindo ao chefe.

3. Distancie-se do seu chefe

A terceira medida é criar um distanciamento saudável do seu chefe. Para isso, terá de aprender a fazer alguns "jogos de poder" sem que ninguém se aperceba da sua estratégia, especialmente o seu chefe. Inclui-se aqui não responder imediatamente a todos os emails ou solicitações, falar o mínimo possível e evitar sentar-se numa mesa de trabalho com o seu chefe, especialmente se estiver sozinho. Se o seu chefe o chamar ao gabinete, mantenha-se de pé, e sai logo que possível, mesmo que o convide para sentar.

Ao aplicar estas três medidas, irá estar no bom caminho para lidar com um chefe micro gestor e manter a sua sanidade mental. Se tentar de tudo, e mesmo assim não conseguir controlar o seu chefe, a melhor medida será solicitar para mudar de departamento, ou mesmo de empresa se a primeira opção não for possível.

Ideias para Encontrar um Grande Propósito de Carreira ou Profissional

Conectar o nosso trabalho com a nossa verdadeira natureza é um dos maiores desafios da produtividade pessoal. Tentamos encontrar alguma coisa que dê significado ao que fazemos profissionalmente, e que vá para além dos nossos projetos e objetivos imediatos.

Michael Linenberger em Master Your Workday Now define dois caminhos gerais para este grande propósito:

  1. Procurar ser melhor e ter uma visão mais expandida do próprio, ser mais competente e mais eficaz.

  2. Fazer do mundo um lugar melhor e sentir orgulho em contribuir para o mesmo.

Linenberger deixa as seguintes ideias para o ajudar num brainstorming sobre potenciais grandes propósitos para a sua carreira.

Encontrar um propósito no atual emprego

- Poderá ler a visão da sua organização e tentar de alguma forma contribuir para a mesma.

- Se a visão da sua organização não o inspirar, poderá entusiasmar-se com o trabalho num novo produto ou numa nova equipa.

Encontrar um propósito avançando na sua carreira

- Subir verticalmente na sua organização para um cargo superior de gestão. Também pode incluir na subida uma nova organização na mesma área ou indústria.

- Se trabalhar num cargo técnico poderá avançar no sentido de uma maior especialização. Isto acontece sobretudo em empresas inovadoras ou tecnológicas.

- Aprender novas competências e experiências com desafios cada vez maiores. Isto è especialmente útil nos primeiros anos quando se entra no mercado de trabalho.

Encontrar um propósito num novo emprego

- Trabalhar numa startup ou uma organização sem fins lucrativos.

- Escolher uma nova profissão.

Desenvolver o seu próprio negócio

- Quando as vantagens de trabalhar para si são maiores que a segurança em trabalhar para os outros, poderá pensar em iniciar um negócio.

Outros propósitos

- Ajudar a desenvolver a carreira de outros profissionais através da mentoria ou coaching.

- Providenciar a sua família com tudo o que precisa incluindo amor.

- Ajudar a comunidade através de algum grupo ou causa.

-Contribuir para associações profissionais.

- Ser voluntário nalgum projeto em que acredita.

- Atividade em hobbies como arte ou desporto.

- Religião e crescimento espiritual.

Estas são algumas ideias para encontrar um grande propósito. Podem ser combinadas para encontrar novas possibilidades. Cada pessoa sabe a sua situação em particular e o que a irá motivar. O segredo por detrás de cada grande propósito é a paixão naquilo que se faz.

Porquê Aprender sobre o Poder?

Halterofilista a levantar pesos

Depois da injustiça no trabalho da semana passada com a minha avaliação, e da curta viagem neste fim de semana em que tive a oportunidade de ler A Grande Estratégia de John Lewis Gaddis, é tempo de iniciar a semana com uma nota positiva.

Nada melhor do que conhecer e dominar as dinâmicas do poder como parte da estratégia de evolução na carreira, pois como já tinha escrito no artigo anterior, ser bom naquilo que se faz é apenas 1/3 da batalha.

As dinâmicas do poder aplicam-se em todas as áreas

De acordo com Lucio Buffalmano em The Power Moves, as dinâmicas do poder aplicam-se em todas as áreas da vida e socialização, e não têm de ser necessariamente usadas para projetar poder, mas também para se conseguir uma maior justiça, prevenir a manipulação e desenvolver relações saudáveis em que todos ganham.

O domínio das dinâmicas do poder contribui ainda para melhorar a capacidade de influência e persuasão, liderança, relacionamentos, ambiente de trabalho e qualidade de vida.

Valores a cultivar no poder

Para desenvolver o poder deve abraçar os seguintes valores:

- O poder começa pela escolha de nunca ser uma vítima.

- Somos livres e virtuosos até ao momento que o nosso poder pessoal o permite.

- Procurar crescimento, e não ajuda.

- Questionar a autoridade e as fracas lideranças.

- Encontrar o próprio caminho, em vez de seguir o dos outros.

- A verdadeira liberdade só é conseguida através do entendimento do nosso inconsciente.

- Ter em atenção os grupos e adaptar um individualismo saudável (mesmo dentro de um grupo), porque os primeiros são facilmente manipuláveis.

Injustiça no Trabalho e a Grande Estratégia

A Grande Estratégia de John L. Gaddis

No final da semana de trabalho tive uma surpresa desagradável quando o meu superior apresentou a minha avaliação de serviço. No período anterior tive uma pontuação relevante, sendo que agora esperava a mesma pontuação ou superior, pois vi as minhas responsabilidades aumentadas.

Mas não aconteceu nada do que esperava e fiquei indignado com a injustiça praticada. Mas enfim, neste momento da minha carreira já devia ter aprendido que o mundo do trabalho não é justo.

Felizmente este fim de semana tive a oportunidade de fazer uma curta viagem, em que não conduzia, e aproveitei para agarrar o livro A Grande Estratégia de John Lewis Gaddis, que me ofereceram no passado natal, e que parece que estava a aguardar o momento certo para ser lido.

Sempre adorei as viagens, por mais pequenas que sejam, para pensar e colocar a vida em perspectiva, e nada como um bom livro para acompanhar.

Lucio Buffalmano, no seu site The Power Moves, escreve que ser bom no que se faz é 1/3 da batalha. Os restantes 2/3 são para vender o que se faz e chegar às pessoas que importam.

Não poderia estar mais de acordo com esta informação, e daí a necessidade de criar uma nova estratégiana minha carreira que deverá obrigatoriamente incluir o marketing pessoal e comunicação.

The Start Up of You de Reid Hoffman e Ben Cashnocha, Resumo do Livro - As Minhas Notas

The start up of you - Livro de Reid Hoffman e Ben Cashnocha

The Startup of You, Adaptar ao Futuro, Investir em Si e Transformar a sua Carreira* de Reid Hoffman e Ben Cashnocha é um dos livros obrigatórios para quem quer aprender a gerir melhor a sua vida profissional. A premissa do livro é de que devemos tratar as nossas carreiras como uma verdadeira startup, uma empresa em início de atividade com constante necessidade de adaptação. Afinal, o empreendedorismo está nosso DNA.

Homem em desenvovimento deste a pré-história

O que mais me impressionou é o facto de que Hoffman, como cofundador da rede profissional do Linkedin, incentiva o desenvolvimento e o cuidado no contacto presencial e pessoal como potenciador das grandes oportunidades profissionais.

Desenvolver uma vantagem competitiva

Para vencer a concorrência, as empresas desenvolvem razões claras porque um cliente deve escolhê-las em detrimento de outras alternativas, ou seja, diferenciam-se.

Da mesma forma, num mundo onde "milhares de pessoas podem fazer o seu trabalho," tem de traçar um plano de carreira que o distinga dos outros profissionais. Não precisa de ser melhor que todos os outros, apenas ser melhor num determinado nicho.

Peças do puzzle: Competências, Aspirações e Mercado

Existem três peças do puzzle que compreendem a sua posição no mercado ou vantagem competitiva e, quando combinadas com um plano, determinam o caminho que deverá seguir.

  1. Competências: As suas soft skills (conhecimentos, habilidades, conexões) e hard skills (dinheiro, imóveis, etc.).
  2. Aspirações & Valores: Onde se vê no futuro.
  3. Realidades de mercado: O que as pessoas precisam e estão dispostas a pagar.

Estas três peças funcionam em conjunto. Competências que não geram rendimentos não o vão fazer chegar longe. Seguir a sua paixão e não ser bom naquilo que faz, também não o vai levar a lado nenhum. Senão houver mercado para os seus serviços, a competência e paixão também não lhe vão adiantar de muito.

Uma forma de melhorar a sua vantagem competitiva é atualizar as suas competências ou mudar a realidade de mercado. Hoffman e Cashnocha dão o exemplo de um jogador de basquetebol que não teve sucesso nos Estados Unidos, mas que se transferiu para uma equipa europeia onde conseguiu vencer. As competências do jogador não mudaram, mas sim o mercado.

Planear para adaptar

Para maximizar a quantidade e qualidade de oportunidades, e adaptar-se, é necessário trabalhar em três planos.

Planos A, B e Z

Plano A

O que está a fazer agora e a implementação da sua principal vantagem competitiva, como o seu emprego ou negócio principal.

Plano B

O que está a desenvolver em paralelo à sua principal ocupação, para quando o seu plano A não funcionar ou encontrar uma forma melhor de atingir os seus objetivos, seguir o mesmo como plano principal.

Plano Z

O plano Z é o último de todos, e é o barco salva-vidas para quando todos os outros falham. É como um seguro, espera-se que nunca seja necessário, mas está lá em caso de extrema necessidade.

Desenvolver uma rede

As relações profissionais e pessoais são importantes para a sua carreira, porque em última análise, cada trabalho se resume a interagir com as pessoas. Pessoas controlam recursos, oportunidades e informação.

Rede social

O poder de um indivíduo é elevado exponencialmente com a ajuda de uma rede. Existem dois tipos de relações.

Aliados

Os aliados são as pessoas mais próximas de si e que consulta regularmente. Confia no seu discernimento, ajudando-se mutuamente na prossecução de oportunidades. Trata-se de um círculo interno com poucas pessoas.

Conhecidos

Embora não tão vital como os aliados, os conhecidos introduzem diversidade à sua rede. Tendem a ser de diferentes círculos sociais ou indústrias e assim podem ser úteis para encontrar oportunidades ou inteligência fora do seu círculo interno de aliados

As relações são como outra coisa qualquer: se não estão a ficar mais fortes, estão a ficar mais fracas. Fortaleça as suas relações através da partilha de artigos, apresentações, colaboração e outras ideias que tenha. Seja criativo!

Encontrar uma oportunidade única

As trajetórias das melhores carreiras não são lineares. Ao contrário, são marcadas por oportunidades ou momentos únicos que podem fazer toda a diferença e transformar a nossa carreira de um dia para o outro. Nunca se sabe verdadeiramente quando este momento pode surgir.

Homem em destaque

Hoffman e Cashnocha recomendam o desenvolvimento de dois importantes hábitos de comportamento com o objetivo de aumentar a probabilidade de sucesso:

  1. Estar em movimento e junto de novas ideias, pessoas e lugares formando novas combinações e oportunidades.
  2. Participar em associações, clubes ou conferências aumentando a sua exposição. Se sentir coragem criar o seu próprio projeto de networking e envolver os outros

É de realçar que irão existir alturas de muitas dificuldades ou falta de motivação. Estes momentos podem ser uma bênção disfarçada ajudando cada pessoa a melhorar e a resolver problemas que se traduzam em novas oportunidades. Afinal as maiores descobertas e sucessos de todos os tempos nasceram das dificuldades ou problemas iniciais que foram ultrapassados.

Assumir riscos inteligentes

O risco tende a ser mal visto. Associamo-lo as coisas como perder dinheiro nos mercados ou a não ter um emprego fixo. O risco por si só não é o inimigo, pois é uma parte constante da vida.

Interrogação?

Por outro lado, agir de um forma proactiva e inteligente sobre o risco é um pré-requisito para aproveitar as oportunidades. Se souber como gerir o risco, vai verificar que em certas situações, onde os outros vêm uma luz vermelha, poderá ver uma luz verde.

A melhor forma de aprender a lidar com o risco é envolver-se gradualmente em situações de incerteza que lhe deem algum desconforto. Ou seja, é enfrentar os seus medos, mas um passo de cada vez.

Conclusão

Comece a desenvolver a sua vantagem competitiva. Comece a desenvolver a sua rede. Comece a investir em novas competências. Comece a tomar riscos inteligentes. Comece a perseguir as grandes oportunidades. Acima de tudo, comece a diferenciar-se no planeamento da sua carreira e a encarar a mesma como uma verdadeira startup em constante adaptação.

*Traduzido do título original do livro The Start-up of You: Adapt to the Future, Invest in Yourself, and Transform Your Career.

Texto adaptado e imagens do site The Start up of You.

A Redução da Minha Pegada Digital no Linkedin e Afins

Luzes vermelha de dados

Depois do contacto recente no Linkedin de uma empresa de executive search, e entrevistas seguintes, resolvi reduzir a minha presença profissional online ao essencial.

Os vários profissionais de recursos humanos que me adicionaram na sua rede apenas tinham interesse em aceder aos meus contactos, e consequentemente à concorrência e a estudos de mercado. Na minha ingenuidade pensava que estavam interessados no valor que poderia oferecer aos seus clientes, e quem sabe, surgir uma oportunidade.

Não quer isto dizer que abandone ou não reconheça benefícios na rede, pelo contrário, mas não o que se habitualmente pode esperar da rede.

O próprio cofundador do Linkedin Hoffman recomenda no livro The Start-Up of You, e que recomendo vivamente (resumo para breve), o investimento no contacto pessoal regular com as pessoas que possam vir a fazer diferença na nossa carreira. Os restantes contactos no Linkedin destinam-se apenas a alargar a rede e aceder mais facilmente a informação.

As melhores oportunidades estão no mercado escondido, cargos que não são anunciados e são conhecidos através das relações pessoais e de referências.

Depois disto tudo passei à redução da minha pegada digital na Internet. Eliminei a seção "Sobre" do meu perfil no Linkedin, que algumas pessoas dizem ser a mais importante, e onde tinha uma descrição geral do meu percurso profissional. Também eliminei a ligação para o meu site profissional registado com domínio próprio, além ter colocado o site offline. Fiz depois uma limpeza geral ao perfil ficando o essencial. Finalmente eliminei os profissionais de recursos humanos que me adicionaram à sua rede com o objetivo de aceder aos meus contactos.

A partir de agora, vou apostar no mercado escondido se quizer localizar oportunidades de carreira.

Será que Existem Oportunidades Profissionais no Linkedin?

Imagem com logo linkedin

Recentemente fui contactado por uma empresa de executive search no Linkedin com uma oportunidade profissional. Há mais de 10 anos que tenho conta nesta rede, e confesso que não via a utilidade da mesma para a progressão na carreira.

No entanto, e fazendo uma retrospetiva, este contacto só apareceu depois de ter começado a otimizar o meu perfil do Linkedin há cerca de dois anos. Inclui no meu perfil os principais projetos em que participei por organização, solicitei recomendações de competências a outros profissionais e desenvolvi um texto mais apelativo na seção “sobre”.

Paralelamente à otimização do Linkedin, criei um site profissional em que publiquei vários artigos e partilhei os mesmos na rede ao longo deste último ano. Possivelmente estas medidas fizeram com que ficasse mais relevante na rede, e que os recrutadores me encontrassem mais facilmente.

Deste contacto nasceram duas entrevistas, sendo que irei seguir para a próxima fase. Manifesto ainda algumas reservas desta oportunidade, pois só depois de saber a proposta final, e se as condições são apelativas posso saber se este convite é real.

Comparo as oportunidades do Linkedin à venda de um imóvel comum. Os verdadeiros interessados são poucos, só aparecem de vez em quando, e não se pode ter pressa de vender sob pena de não conseguir fazer um bom negócio vendendo o imóvel abaixo do preço de mercado.

Para existir interesse num imóvel, é necessário ainda um cuidado especial na apresentação e divulgação do mesmo, senão muito dificilmente poderá ocorrer um contacto em primeiro lugar.

Extrovertido versus Introvertido: Escolher o Tipo de Ocupação em Função da Personalidade

Mulher de braços abertos no meio do campo

O famoso psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Jung dividiu a personalidade do ser humano em dois tipos: o extrovertido e o introvertido.

De uma forma geral, o extrovertido é aquela pessoa que gosta naturalmente de relacionar-se com outros, e energiza-se através do contacto e interação humanas.

O introvertido é geralmente a pessoa que prefere estar em solitude energizando-se com os seus pensamentos e as suas ideias.

Ninguém é totalmente extrovertido ou introvertido, sendo que a maioria das pessoas possui características de ambas as personalidades. No entanto, a personalidade de cada um tende a inclinar-se para um dos lados.

No meu caso, sou definitivamente mais introvertido, por gosto de desenvolver novas ideias, e não aprecio a presença de multidões que me tirem do foco. Não quero dizer com isto que não goste ou evite totalmente em estar com outras pessoas, até porque as relações interpessoais são fundamentais para um equilíbrio emocional.

Existem determinadas profissões ou trabalhos que são mais aptos para um extrovertido do que para um introvertido e vice-versa, mas com alguma criatividade podemos adaptar a nossa personalidade a qualquer tipo de trabalho.

Ao reconhecermos o nosso tipo de personalidade temos uma grande ajuda para tomar decisões, de forma a ocuparmos uma significativa parte do tempo fazendo o que nos motiva e dá energia.