Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Aplicar as Leis do Poder - Iteração com a Chefia

Na última revisão dos meus objetivos anuais ficou definido que iria escrever e publicar um artigo semanalmente aplicando um caso prático baseado nas 48 leis do poder de Robert Greene.

Pois bem, hoje é o dia em que inicio este hábito semanal, descrevendo uma iteração recente que tive com o meu superior.

A iteração com o superior

Esta manhã o meu chefe ligou-me a questionar um email que tinha enviado no dia anterior. Uma vez que considerava injusta a acusação, respondi nervosamente transmitindo o meu ponto de vista, quebrando a lei n.º 9 “Não discuta. Demonstre”. No meio da conversa comecei a falar que tinha muitas habilitações para a função quebrando a lei n.º 30 “Pareça com seja fácil e não se gabe”.

A perspetiva dos colegas

Mais tarde acabei por conversar com uns colegas próximos sobre este episódio. Um dos colegas transmitiu-me de que o meu superior poderia estar a utilizar um dos meus pontos fracos, com a provocação para me destabilizar, utilizando deste modo ele próprio a lei n.º 33 “Utilize a fraqueza dos outros”.

Outro colega disse-me que como profissionalmente era difícil apontar-me alguma coisa, pelo que o meu chefe poderia estar a arranjar um motivo qualquer para apontar. Talvez com a minha performance e produtividade crie alguma inveja e mau estar superior. Isto quebra a leis n.º 46 “Não provoque a inveja” e n.º 1 “Não se sobreponha ao mestre”.

Nesta iteração estão incluídas 5 leis do poder, 4 das quais quebrei, e outra que o meu superior possivelmente usou contra mim aproveitando-se das minhas fraquezas.

A dificuldade em aplicar as leis no momento

Torna-se muito difícil estar atendo e usar todas estas leis, especialmente no momento em que se quer uma reação rápida. No entanto estar atento a este facto é o primeiro passo. O segundo passo é desenvolver o mindfulness da comunicação que é outro dos meus objetivos, e que está relacionado com o mindfulness da respiração. Ao concentrar-me na respiração quando comunico irei provavelmente ouvir melhor e criar uma maior contenção no que digo, além de evitar reações emocionais desproporcionadas.

Checklist de hábitos diários

É tempo de conectar com a checklist de hábitos diários.

Cheklist hábitos diários

 

 

5 Formas de Aplicar o Mindfulness na Comunicação

Se já ouviu falar ou experimentou alguma forma de meditação mindfulness, está ciente dos inúmeros benefícios que pode trazer ao praticante.

O mindfulness é conhecido como a atenção plena, e tem inúmeros benefícios incluindo uma melhor concentração, maior consciência, maior paciência e estado de tranquilidade entre outros. Estes tipos de benefícios são considerados internos e pessoais, mas alguns aspetos importantes da prática também podem afetar positivamente a nossa experiência externa, como a comunicação.

De seguida descrevo os cinco passos que pode seguir para trazer mais mindfulness ou atenção plena à sua vida comunicativa, combinando as suas palavras com o significado que deseja transmitir.

1. Ter um compromisso claro

Quando comunicamos com os outros é importante manter um compromisso claro para centrar a sua atenção na conversa. Isto é especialmente crítico quando existem diferenças de opinião ou certas vulnerabilidades.

2. Escolher as palavras com cuidado

É fácil ser apanhado no desejo de sermos ouvidos, que perdemos a vista do que realmente queremos dizer. Quando estiver claro da sua mensagem, use um grande cuidado na escolha das palavras. Mahatma Gandhi dizia "Fale apenas se for melhor que o silêncio".

3. Ouça com muita atenção

Por mais eloquentes que sejamos, a capacidade de comunicar é tão boa quanto a capacidade de ouvir. Deixe a sua atenção repousar completamente nas palavras do outro. Sempre que os pensamentos ameacem distrai-lo, volte gentilmente ao ato de ouvir e centre a sua consciência novamente no que o outro diz.

4. A conexão é o seu guia

A comunicação é muito mais do que as palavras trocadas entre duas ou mais pessoas; inclui linguagem corporal, tom vocal, ritmo e outros. Ao envolver-se no ato da comunicação, pratique a sintonia com a outra pessoa. Elimine as distrações e permita conectar-se completamente.

5. Não se esqueça de respirar

Na prática do mindfulness, a respiração é uma das ferramentas mais importantes. Ajuda a libertar os nossos pensamentos e a entrar na experiência da vida, movendo-nos da impulsividade para a intencionalidade. Quando comunica com outras pessoas, lembre-se de se conectar com a respiração e use-a como uma maneira de ajudá-lo a realizar as quatro etapas anteriores.

A comunicação eficaz é uma competência valiosa que exige esforço, intenção e muita prática. Ao expandir o mindfulness ou atenção plena da meditação interna para as conversas diárias com os outros, tornará-se um melhor comunicador e enriquecerá os seus relacionamentos pelo caminho.

Artigo adaptado de Five Simple Ways to Start Communicating More Mindfully, Psychology Today

3 Aplicações Para se Recordar dos Aniversários de Familiares e Amigos Mais Próximos

Lembrar do aniversário dos nossos familiares e amigos mais próximos é um ato agradável e de atenção, tanto para aqueles que são recordados, como para nós próprios, pois acabamos por sair no nosso umbigo e focar-nos no outro, nem que seja por um instante.

No Facebook, a única notificação que tenho ativada via email, é a mensagem com o aniversário dos amigos. Acontece que nem todos os meus familiares e amigos mais próximos têm o seu aniversário na rede social. Alguns, inclusive, já não têm conta sequer.

Isto levanta um problema, de que não consigo recordar-me por iniciativa própria de todas as datas. Já há alguns anos que coloquei os aniversários dos contactos mais importantes na agenda do Android juntamente com os números de telefone. Todos os contactos sincronizam automaticamente entre os dispositivos, mas por predefinição o Android não notifica as datas do aniversário, e até recentemente não me tinha lembrado de pesquisar uma aplicação para estes lembretes.

Basicamente existem aplicações para tudo e alguma coisa. No Android tem por exemplo as aplicações Aniversários, Lembretes de aniversários e Contacts' Birthdays, mas existem outras mais, sendo uma questão de escola pessoal. Além da vantagem de ser automaticamente notificado, pode configurar ainda o lembrete para uma hora específica.

Assim, já não tem desculpa para não se lembrar dos seus. Quando um familiar ou amigo mais chegado fizer o aniversário, tem uma notificação conveniente no seu telefone, podendo fazer a tal chamada para dar um pouco de atenção ao próximo.

Chegou a Altura de Reduzir a Minha Atividade na Toastmasters

As circunstâncias atualmente mudaram e nos próximos meses vou reduzir a minha atividade na Toastmasters. Esta organização providencia um local para treinar o discurso público através de sessões semanais onde não existem formadores. Os membros aprendem "fazendo" avaliando-se mutuamente de acordo com padrões pré-definidos como a organização do discurso ou a variedade vocal.

O principal motivo que me levou a aderir a um clube Toastmasters foi poder treinar a minha oratória, pois não tinha a coragem para enfrentar uma audiência. Cheguei a um ponto em que consegui falar para uma plateia de mais de 100 pessoas, o que era inimaginável até então.

Este ano tinha previsto organizar um grande evento a nível nacional dentro desta organização, para cumprir determinados objetivos e chegar ao patamar máximo de reconhecimento. Acontece que atualmente os meus objetivos pessoais não estão alinhados com os da Toastmasters, pelo que deixo cair este projeto, pelo menos neste momento.

Vou começar a ir menos às sessões do meu clube, o mínimo para manter o contacto com outros membros, muitos dos quais formei uma amizade.

Não vou desistir da Toastmasters, apenas reestruturar a gestão do tempo em função das minhas prioridades atuais. A qualquer momento, e se o justificar, regresso mais ativamente às suas atividades.

Os 4 Estilos de Comunicação segundo a Toastmasters e Sua Importância

Existe um exercício na Toastmasters que consiste numa autoavaliação dos estilos de comunicação nas nossas relações interpessoais.

Este exercício tem dois objetivos: 1) conhecer os estilos de comunicação que naturalmente mais utilizamos e 2) adaptarmos aos estilos das outras pessoas de acordo com as suas preferências de comunicação.

Estilos de comunicação

A Toastmasters identifica quatro estilos de comunicação (direto, diplomata, solidário e analítico), não existindo um estilo melhor que os outros, devendo ser utilizados em função de cada situação.

Comunicadores Diretos

Os comunicadores diretos preferem que se chegue ao ponto fulcral de maneira rápida e sucinta. Ao lidar com comunicadores deste tipo, seja específico e evite dar explicações excessivas ou ser repetitivo. Concentre-se nas soluções e só forneça detalhes quando lhe pedirem.

Comunicadores Diplomatas

Os comunicadores iniciativos valorizam a interação com outras pessoas e a partilha de histórias. Reserve algum tempo para socialização no início das reuniões e crie um ambiente amigável e não intimidativo. Dê-lhes tempo para expressar seus sentimentos e suas opiniões.

Comunicadores Solidários

Os comunicadores solidários apreciam uma abordagem tranquila e constante. Ganhe a confiança destes dando-lhes apoio e segurança. Ao pedir ideias e opiniões, encoraje-os a expressar suas preocupações e dê-lhes tempo para tomar decisões.

Comunicadores Analíticos

Os comunicadores analíticos gostam de factos e números. Apresente a estes a informação de maneira organizada e prepare-se para responder a perguntas. Seja paciente enquanto digerem e processam a nova informação.

O meu estilo de comunicação

Do auto-questionário resultou que os meus principais estilos de comunicação são o analítico e diplomático, seguido do direto. O estilo solidário é o menos utilizado. Importa com este exercício conhecer as minhas preferências de comunicação, e ter a consciência de utilizar todos os estilos de modo a adaptar-me à pessoa ou público em questão.

A Coragem de Lutar por um Cargo Melhor dentro de uma Organização

Homem a usar casaco de fato a apontar o dedo

Existem duas formas de progredir na carreira numa organização. A primeira é ser promovido para um cargo superior e a segunda é encontrar uma melhor posição noutra organização.

Existem também duas formas de abordar os elementos decisores para o reconhecimento. A primeira é a indireta em que tentamos fazer um bom trabalho e criar bons relacionamentos na expetativa que sejamos recompensados. A segunda é a direta em que nos candidatamos a determinada posição que pode estar anunciada ou não.

Esta semana resolvi fazer algo ousado na minha empresa e candidatar-me internamente para uma eventual posição de direção.

Trabalho numa grande organização há muitos anos, como técnico, e nunca fui reconhecido com um cargo superior, embora tendo um grande desempenho. Já que a abordagem indireta não tem funcionado, resolvi desta vez tentar a abordagem direta, e envie um email para as principais pessoas de gestão de topo revelando as minhas intenções.

No email constava a minha intenção, seguida de uma breve descrição das minhas competências e concretizações profissionais recentes, e finalmente um convite para uma conversa com o objetivo de explorar uma oportunidade.

Confesso que foi um ato de coragem, até porque não existe nenhuma posição superior aberta de momento, tratando-se de uma candidatura espontânea dentro da organização. De qualquer modo, penso que na generalidade as pessoas são escolhidas previamente, constituindo a fase oficial de candidatura a determinada posição apenas como validação.

Tive conhecimento que a equipa executiva encontra-se a reestruturar a empresa, e é nestes momentos que surgem as melhores oportunidades de progressão interna. Quanto melhor é o cargo, mais concorrência existe, e mais difícil se torna conquistar uma posição, pelo que a celeridade de resposta às oportunidades é essencial.

Na progressão da carreira, é importante olhar inicialmente para as perspetivas internas de novos cargos, e concorrer indiretamente ou mesmo diretamente com fiz desta vez. Teoricamente isto é mais fácil, tendo em conta que já conhecemos os elementos decisores e possa haver uma boa relação com eles.

Contudo, também poderá haver a possibilidade de não ser promovido dentro de uma organização. Nestes casos o melhor é procurar outras oportunidades noutras organizações.

A melhor solução é seguir o exemplo dos verdadeiros profissionais de gestão de carreiras, e procurar oportunidades dentro e fora da sua organização. Como alguma sorte, é possível ter várias ofertas em simultâneo, e assim negociar melhores condições para a nova posição.

Photo by Lukas from Pexels
 

Monetizar um Blogue: Nem tudo é o que Parece

calculadora com moedas

Em conversa com um familiar, e depois de falar deste blogue, perguntou-me quantos subscritores é que tinha. Respondi-lhe que tinha dois subscritores. Depois riu-se e disse: “É tempo de encontrares alguma coisa para fazer dinheiro”.

Ainda tentei desculpar-me dizendo que não fazia promoção do blogue e que os objetivos eram outros, mas depois desisti. Este comentário, fez no entanto pensar na utilidade final deste blogue, e noutros projetos que estou envolvido, que basicamente não produzem qualquer resultado financeiro.

Acredito que escrever é uma forma de terapia que ajuda a organizar e a encontrar novas ideias. Por isso não escrevo por dinheiro aqui, mas para procurar inspiração ligando conceitos e experiências do meu dia-a-dia em assuntos que são importantes para mim e de que gosto.

Já tinha referido há dias atrás sobre o processo criativo da escrita, para quem não sabe sobre o que falar, é escrever regularmente sobre qualquer coisa, de preferência diariamente, que muito possivelmente irá encontrar um padrão temático nos seus textos nos meses seguintes.

Na minha opinião, um blogger deve motivar-se pela paixão dos assuntos que escreve, nem que seja pela própria escrita. Por outras palavras, pode ter uma abordagem não ficcional ou  ficcional na sua escrita.

Se o blogue dá dinheiro ou não, deverá ficar em segundo plano para evitar frustrações. As formas comuns de monetização direta de um blogue, como a publicidade ou programa de afiliados, são no mínimo anémicas, não justificando qualquer trabalho neste sentido, pelo menos nos primeiros tempos do blogue.

Já a monetização indireta, como a possibilidade de mostrar determinada especialidade ou conhecimentos em determinada área, poderá ser útil. Neste último caso, um blogue funciona como uma máquina de relações públicas, uma porta de entrada para se estabelecer uma relação e poder tirar dividendos no futuro.

Voltando à pergunta inicial do meu familiar, se tenho subscritores e se estou a fazer dinheiro com este blogue, a resposta continua a ser não. Escrevo sobre o que gosto, melhoro as minhas capacidades de redação e acima de tudo procuro ser uma pessoa mais criativa e encontrar soluções para antigos problemas através de um blogue.

Apresentações e Falar em Público: A Importância da Avaliação

Feedback escrito em qjuadro

Na passada semana tive a oportunidade de fazer duas apresentações ao público em registos diferentes. A primeira apresentação num discurso breve de dez minutos perante uma audiência da Toastmasters, e a segunda apresentação numa exposição de 45 minutos perante uma audiência numa associação profissional.

Raramente tenho o hábito de rever as minhas apresentações gravadas em vídeo, mas desta vez acabei por rever, e ainda bem que o fiz, pois encontrei várias oportunidades de melhoria.

A apresentação da Toastmasters foi curta, e tratando-se de uma organização de desenvolvimento e prática do discurso público, tem seis objetivos bem definidos avaliados de 1 a 5.

1 Clareza. A linguagem falada é clara e facilmente compreendida (5/5).

2 Variedade vocal. Utiliza o timbre, velocidade e volume da voz adequadamente (5/5).

3 Contacto visual. Utiliza eficazmente o contacto visual para envolver a audiência (4/5).

4 Nível de conforto. Aparenta estar confortável perante a audiência (5/5).

5 Movimentação corporal e gestos. Movimenta-se e utiliza linguagem gestual adequadamente (3/5).

6 Consciência em relação ao público. Demonstra consciência em relação às necessidades da audiência (5/5).

A apresentação na associação profissional foi de carácter técnico, perante uma audiência de colegas, em que se apresentaram os resultados de um trabalho académico desenvolvido em 2018. Esta exposição teve quatro objetivos.

1 Clareza vocal. A linguagem falada é clara e facilmente compreendida (5/5).

2 Dispositivos de apresentação. Os gráficos e quadros utilizados foram facilmente compreendidos (4/5).

3 Nível de conforto. Aparenta estar confortável perante a audiência (5/5).

4 Interesse. Envolve a audiência com conteúdos interessantes e bem construídos (3/5).

5 Comunicação. Transmite claramente os benefícios da temática no mundo profissional (3/5).

Na apresentação na Toastmasters os objetivos foram de uma forma geral atingidos, apontando como melhoria a necessidade de contacto visual com todas pessoas da audiência e uma maior consciência com a movimentação corporal. Neste último ponto não mexer tanto a cabeça e parar por alguns momentos no palco para evitar distrair a audiência.

Na apresentação na associação profissional existem alguns pontos de melhoria, como simplificar gráficos e quadros, incluir conteúdos interessantes e transmitir os benefícios da temática.

No final dos eventos tive a oportunidade de falar com algumas das pessoas e obter uma avaliação extra. Os pontos de melhoria incluem fazer uma introdução mais objetiva evitando desenvolver assuntos menos relevantes, não me desculpar em alguma observação, e a necessidade de ser menos humilde mostrando as minhas qualidades.

A avaliação útil, seja feita pelo próprio ou por outra pessoa, constitui um dos melhores mecanismos para se melhorar apresentações e discursos públicos, sendo como outra atividade qualquer aperfeiçoada com a prática.

A Importância de Criar um Site Profissional e sua Interligação com o Linkedin

Pessoas em reunião com computador portatil

Prevê-se que a produção de conteúdos na Internet continue a crescer nos próximos anos, e torna-se cada vez mais difícil ter uma voz no mundo digital. A proliferação das redes sociais, que inclui o Linkedin como rede profissional, tem tido igual crescimento com cada vez mais pessoas a aderir e a interagir neste tipo de plataformas.

Torna-se portanto urgente criar uma forma de diferenciação para o profissional que se quer distinguir na sua indústria. A criação de um site profissional é uma dos meios disponíveis para este fim.

O site por si só não produz maiores valias se for utilizado isoladamente, assim como o Linkedin não é suficiente por si próprio. É importante ter uma estratégia global utilizando o site como um local para mostrar a marca pessoal e as características únicas do profissional, e o Linkedin para criar momento e fazer com que os decisores das organizações visitem o site e possam eventualmente estabelecer um contacto de interesse nos serviços.

Para a criação de um site profissional existem vários pontos a ter em consideração.

Domínio próprio ou não.

Um site pode ser alojado numa plataforma gratuita como o wix, weebly, wordpress.com ou webnode e ficar com o nome de dominio nomedoprofissional.wordpress.com. Ou pode ser registado um domínio próprio ficando por exemplo nomedoprofissional.com.

Tratando-se de um site profissional, deve-se escolher a utilização de domínio próprio pois transmite um maior profissionalismo.

Algumas empresas de registo de domínios na Internet:

https://www.dominios.pt/

https://www.namecheap.com/

Alojamento gratuito ou não

As plataformas acima referidas permitem alojamento gratuito, sendo que perdem-se determinadas funcionalidades. O alojamento próprio tem atualmente baixo custos e permite através por exemplo do wordpress.org criar qualquer tipo de site ou blog, sendo o “céu” praticamente o limite. Como desvantagem, o alojamento próprio necessita de uma curva de aprendizagem.

Se o profissional não tiver os conhecimentos necessários para alojar o seu site, pode registar um domínio próprio e utilizar uma das plataformas de alojamento gratuito. A maioria destas plataformas permite utilizar domínio próprio, e o profissional pode migrar posteriormente o seu site se o assim entender.

Algumas empresas de alojamento:

https://www.webhs.pt/

https://www.iberweb.pt

https://www.webtuga.pt/

Idioma em português ou inglês

O tipo de idioma deve refletir a audiência alvo. Se o principal público fala o português deve-se utilizar o português no site. Se o público for diverso e internacional, então o inglês deve ser a escolha.

Existe também a possibilidade de criar-se um site bilingue, utilizando dois idiomas como o português e o inglês. O trabalho necessário para a sua manutenção pode não justificar, exceto em casos bastante específicos.

Uma forma de compromisso será escolher um idioma principal, e utilizar-se dois idiomas em conteúdos estáticos como a biografia ou o curriculum vitae. A produção de conteúdos como no caso de artigos ou blog, neste caso ficará com o idioma principal.

Conteúdos

Um site profissional deve conter no mínimo resumo biográfico, curriculum vitae, contactos e ligação ao Linkedin.

A criação de artigos de interesse à audiência alvo é também desejável, demonstrando os conhecimentos específicos do profissional, conhecido por thought leadership no inglês.

Neste último caso, o Linkedin já permite a publicação de artigos à semelhança de um blogue, pelo que é importante decidir-se como se irão gerir os conteúdos.

Existem três opções de gestão de conteúdos de artigos.

A primeira opção é escrever o artigo completo no site divulgando o mesmo no Linkedin através de uma publicação normal.

A segunda opção é escrever o artigo completo no site e na área de artigos do Linkedin. Neste caso deve-se ter em atenção para fazer a publicação em primeiro lugar no site, e só depois no LInkedin, de forma ao Google poder indexar primeiro o site e dar maior relevância.

A terceira opção é escrever o artigo completo no Linkedin e publicar unicamente o título do artigo no site criando-se uma ligação para o Linkedin.

Existem vantagens e desvantagens na escolha de cada uma das opções. De um modo geral ao fazer com que as pessoas visitem o seu site irá dar maior relevância ao mesmo e permite que o Google o possa listar mais facilmente nos seus motores de busca. Por outro lado, grande parte da sua audiência é encaminhada através do Linkedin para o seu site, e sair desta plataforma pode constituir uma barreira para algumas pessoas.

Uma presença online que faça a diferença é necessária

Longe vão os tempos em que apenas o curriculum vitae e carta de apresentação são suficientes para a pesquisa de novas oportunidades profissionais. De um modo geral, é importante ter site próprio, saber interligar e tirar o máximo partido da rede Linkedin, para os que querem aumentar as possibilidades de evolução nas suas carreiras.

Photo by rawpixel.com from Pexels

Se Quer Ser Promovido na Sua Empresa, Modere o Seu Comportamento

Pessoas numa sala de reunião

Esta semana em conversa com um amigo, referiu o mesmo que na sua empresa um dos colegas tinha sido promovido. Até aqui nada de especial, pois é comum haver, em maior ou menor grau, e consoante a empresa, promoções.

O que chamou a atenção foi ter referido que determinadas pessoas não tinham o perfil para cargos maiores porque eram consideradas “bruscas”. Foi exatamente este o termo utilizado. No dicionário Priberam a palavra brusco é um adjetivo significando 1) arrebatado e áspero (no falar), 2) rápido, desabrido, desagradável, escuro ou 3) súbito, inesperado.

Embora tenha conhecimento de pessoas que foram promovidas apenas pela sua rede de contactos, o certo é que se uma pessoa evitar atitudes “bruscas” e trabalhar para ser uma pessoa mais agradável com os outros, poderá aumentar as suas hipóteses de sucesso na sua subida pela carreira.

A gestão e progressão de carreira está interligada com dois fatores principais: conhecimentos técnicos e relacionamento interpessoal.

Os conhecimentos técnicos estão relacionados com o desempenho da profissão em si e pode envolver formação específica para o exercício da profissão. São as chamadas competências hard skills no inglês.

O relacionamento interpessoal é saber comunicar com as outras pessoas, trabalhar em equipa e desenvolver a liderança. São as chamadas competências de soft skills no inglês.

Uma pessoa pode ser um grande especialista na sua área profissional, mas senão souber como relacionar-se com os outros terá muitas dificuldades em progredir na carreira.

O local de trabalho é um terreno fértil para a existência de conflitos, porque os indivíduos têm expetativas e objetivos diferentes, e muitas vezes é preciso encontrar um compromisso e haver cedências, o que nem sempre é fácil.

Nesta tentativa de negociação, surgem os comportamentos “bruscos” que levam muitas vezes a desentendimentos desnecessários.

Os líderes que detêm o poder nas organizações, pretendem de um modo geral, que exista um ambiente livre de conflitos no seio das suas estruturas. Quando selecionam alguém para uma promoção vão ter naturalmente em consideração o seu comportamento.

É por isso que muitas vezes assistimos a situações em que determinados colegas foram promovidos com base na sua capacidade de relacionamento pessoal, mesmo tendo poucos conhecimentos técnicos, e ficamos a pensar porque não fomos escolhidos sabendo que somos melhores profissionais.

Na próxima vez que estiver perante um conflito no seu trabalho, pense duas vezes antes de ter uma atitude “brusca”, mesmo tendo a razão do seu lado.

Photo by rawpixel.com from Pexels