Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

O Poder das Imagens na Produtividade Pessoal

Paisagem natural de rio, árvores e montanha

Todas as manhãs de segunda-feira quanto chego ao trabalho a primeira coisa que faço é colocar uma nova imagem no ambiente de trabalho do computador. Esta imagem é habitualmente retirada do bing wallpaper, uma magnífica coleção de fotografias da Microsoft com alusão à natureza, arquitetura ou pontos singulares de interesse no mundo.

Outros imagens que costumo utilizar provêm de blogues e sites de arte contemporânea pela originalidade e inspiração que proporcionam (ver alguns exemplos no final deste artigo).

A minha área de formação base é a engenharia, e naturalmente o meu lado analítico tende a ser mais utilizado, quer no trabalho, quer às vezes em situações pessoais. A teoria da ciência é baseada na análise de circunstâncias e na tentativa contínua de resolução de problemas, sendo esta caraterística muito positiva.

No entanto, existem muitas situações em que o lado racional ou analítico pode não ser suficiente para progredir em determinados aspetos, e aqui a intuição e outras forma de pensar são desejadas.

A alguns dos leitores já deve ter acontecido quererem resolver um problema, debaterem as várias soluções possíveis, e não conseguirem chegar a uma solução, pela complexidade da situação ou outro aspeto qualquer. Possivelmente, e em algumas ocasiões, resolveram distanciar-se do problema, quer seja através de uma noite de sono, ou uns dias sem pensar no assunto.

Um dia, parecendo surgir do nada, surge uma nova ideia, e que parece resolver a situação. Este é caso típico da intuição a funcionar, ou o lado criativo que acaba por encontrar um caminho, e sem conseguirmos dar uma explicação plausível.

O poder das imagens, principalmente imagens inspiradoras e criativas, pode desencadear um processo de inovação, de olhar para as situações com outros olhos, fugindo do nosso lado racional que não conseguiu analisar e resolver o problema em primeiro lugar.

É fantástico pensar como algo tão simples como escolher uma nova imagem para o ambiente de trabalho do computador, que não leva mais de cinco minutos, retira-nos por momentos do nosso foco analítico ou racional, e permite ajudar a estabelecer o equilíbrio perante as dificuldades diárias.

Alguns blogues e sites para servir de inspiração:

Bing Wallpaper

This is tomorrow

The jealous curator

Colossal

Doodlers anonymous

Como Encontrar Boas Ideias para Títulos de Artigos ou Livros

Lámpada de teto acesa

Como apaixonado por livros que sou, tenho às vezes por hábito consultar a lista dos livros mais vendidos na Amazon na categoria de negócios e dinheiro, que são os temas que mais acompanho.

Esta lista consiste nos 100 livros mais vendidos de cada categoria ou subcategoria: O que mais aprecio nesta consulta é visualizar a capa dos livros e os respetivos títulos. Como os autores e as editoras tentam capturar a atenção dos leitores.

Nos mais vendidos, existem livros que continuam no topo de vendas ano após ano, como Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes de Stephen R. Covey, Como Fazer e Amigos e Influenciar Pessoas de Dale Carnegie, Pai rico Pai Pobre de Robert Kyosaki, etc.

O que me levou desta vez a consultar a Amazon foi a captura de novas ideias para este blogue na área da gestão de carreiras, algo que me pudesse inspirar para puder contar uma história e chamar a atenção dos leitores.

Foi na subcategoria da Amazon de marketing e vendas que encontrei alguns nomes apelativos de títulos como How to Talk to Anyone, Exactly What to Say, The 1-Page Marketing Plan, One Hour Content Plan, Little Red Book of Selling, How I Raised Myself From Failure to Success in Selling, If You Are Not First You Are Last, The Motivation Manifesto e To Sell is Human.

Estes títulos muitas vezes perdem-se na tradução do inglês para o português ou têm um menor impacto. Estão também associados mais ao marketing e vendas, mas na criatividade pode (e é até desejável) haver cruzamento de ideias para se gerarem novos conceitos.

Neste caso, na geração de novas ideias, a gestão de carreira, pode até ser encarada como um processo de gestão de marketing e venda de um produto (eu) e serviços (o que faço).

Fazendo um brainstorming rápido a misturar todas estas ideias dos títulos dos livros com o tema da carreira ou trabalho chega-se a: Como Fazer Networking Com Qualquer Pessoa, Exatamente o Que Dizer Numa Entrevista de Emprego, O Plano de Carreira de Uma Página, O Pequeno Livro da Carreira, Como Recuperei do Fracasso Para o Sucesso no Meu Trabalho, É Possível Chegar a Número Um, O Manifesto do Trabalho e É Humano Progredir na Carreira.

Deu para ter uma ideia das potencialidades desta técnica, tendo-se conseguido em pouco tempo vários títulos interessantes que podem ser adaptados para novos artigos ou quem sabe um livro.

Photo by Burak K from Pexels

Designing Your Life de Bill Burnet & Dave Evans, Resumo do Livro – As Minhas Notas, Parte 1

Designing Your Life de Bill Evans & Dave Burnett

Em Designing Your Life – Construir a Carreira Perfeita Passo a Passo, Bill Burnet e Dave Evans, escrevem sobre como podemos escolher e desenhar a nossa vida e carreira. Esta é a parte 1 do artigo com o resumo do livro e as minhas notas.

Designing Your Life - Parte 1
Designing Your Life - Parte 2
Designing Your Life - Parte 3

Burnet e Evans defendem que podemos aplicar os mesmos princípios que as empresas na criação de tecnologia e produtos, para a criação de uma vida com significado e preenchida.

Os autores são responsáveis pela produção de um popular curso com origem na Universidade de Stanford com o mesmo nome, e com o objetivo de ajudar alunos e pessoas de todas as idades a encontrarem as suas paixões e a gerirem a suas carreiras.

Começar onde está

Identificação de problemas + Resolução de problemas = Vida bem desenhada

A chave é livrar-se de ficar preso em alguma coisa que não é acionável, a que os autores chamam de problemas de gravidade. Quando fica preso num problema de gravidade, é uma situação permanente porque não existe nada que possa fazer, e os designers são acima de tudo pessoas de ação. A única resposta para problemas de gravidade é a aceitação.

A chave é não ficar preso em alguma coisa em que efetivamente não tem hipóteses de ser bem-sucedido. Se mantivera-se aberto o suficiente para a aceitar a realidade, ficará livre para reestruturar um problema acionável e desenhar uma forma de participar no mundo em coisas que lhe interessam e possam resultar.

Saber onde está

Para começar onde está deve avaliar a sua vida em quatro áreas: saúde, trabalho, lazer e amor.

A saúde significa bem-estar na mente, corpo e espirito. Saúde emocional, física e mental.

O trabalho significa a sua participação na grande aventura humana neste planeta, podendo estar ou não a ser pago para isso.

O lazer é tudo o que faz com alegria.

Todos sabemos o que é o amor e quando está presente nas nossas vidas.

A ideia é pegar no que desenhar primeiro, e ser curioso sobre como desenhar esta área particular na sua vida. Primeiro assegure-se que não está perante uma problemas de gravidade perguntando a si próprio se o problema é acionável?

É impossível prever o futuro, mas ao pensar como um designer e desenhar alguma coisa pode alterar o futuro que é possível de mudança.

Contruir um compasso

São necessárias duas coisas para construir um compasso: uma visão do trabalho e uma visão da vida.

Se conseguir ver as conceções entre o que é, o que acredita, e o que está a fazer, então saberá quando está no rumo certo, quando existe tensão, quando pode precisar de estabelecer alguns compromissos, e quando necessita de uma correção maior de rumo.

Todos querem geralmente o mesmo: uma vida longa e saudável, um trabalho que gostamos e que faça a diferença, amor e relacionamentos com significado, e uma vida divertida. A forma como que cada um pensa que chega lá é que é diferente.

Reflexão do trabalho

Esta reflexão deve levar cerca de 30 minutos e conter 250 palavras.

Aqui não se está interessado em que tipo de trabalho está interessado, mas porque trabalha. Não tem de incluir o serviço aos outros ou alguma ligação a assuntos sociais. Contudo, o psicólogo Martin Seligman descobriu que as pessoas que fazem uma ligação explícita entre o seu trabalho e um serviço social com significado para elas, podem encontrar uma maior satisfação, e estão mais aptas a adaptarem-se aos inevitáveis stresses e compromissos inerentes ao trabalho.

Uma reflexão da vida de trabalho pode incluir as seguintes questões:

  • Porquê trabalhar?
  • Para o que trabalhar?
  • O que o trabalho significa?
  • Como se relaciona com o indivíduo, os outros ou a sociedade?
  • O que define um bom ou digno trabalho?
  • O que o dinheiro tem a ver com o trabalho?
  • O que a experiência, crescimento, e satisfação tem a ver com o trabalho?

Reflexão da vida

Assim como a reflexão do trabalho, a reflexão da vida deve levar cerca de 30 minutos e conter 250 palavras.

Esta reflexão inclui as seguintes questões, que de certa forma são filosóficas e incluem a palavra Deus que pode ou não significar algo para o leitor.

  • Porque estamos aqui neste mundo?
  • Qual o significado ou propósito da vida?
  • Qual a relação ente o indivíduo e os outros?
  • Onde a família, país e o resto do mundo encaixam?
  • O que é o bem, e o que é o mal?
  • Existe algum poder superior, como Deus ou algo transcendental? E se sim, qual o impacto que tem na sua vida?
  • Qual o papel da alegria, tristeza, justiça, injustiça, amor, paz e conflito na vida?

Saber qual o nosso norte

A reflexão do trabalho e da vida deve estar articulada para nos dar o nosso norte, e deve ser feita pela menos uma vez por ano.

Cada vez que começar a sentir-se que a sua vida não está a funcionar, ou que está a atravessar uma grande transição, deve fazer uma recalibração no seu compasso.

Termina assim a parte 1 do resumo do livro com as minhas notas de Designing Your Life – Construir a Carreira Perfeita Passo a Passo, Bill Burnet e Dave Evans.

A Arte do Gamanço de Austin Kleon, Resumo do Livro - As minhas notas

A Arte do Gamanço de Austin Kleon

Um dos meus passatempos favoritos é visitar a FNAC e conhecer os novos livros de gestão expostos. Esta semana numa destas visitas encontrei um livro diferente com uma componente mais criativa. Este livro estava envolto em uma película para não permitir a sua abertura. No entanto despertou-me o interesse pelo título e também por aperceber-me que continha mais do que palavras no seu interior.

A Arte do Gamanço de Austin Kleon. Kleon é escritor e um artista talentoso, facto que se observa de imediato quando de desfolha o seu livro através das inúmeras ilustrações e fotos artísticas, todas elas a preto e branco. É um livro que tenta explicar onde as pessoas encontram a sua criatividade e desmitifica o ato de criar como algo totalmente novo ou original.

O autor defende que as pessoas consideradas mais criativas ou originais “roubam” as suas ideias aos seus ídolos ou outras pessoas talentosas, e combinam estas ideias para criar alguma coisa que nunca foi vista antes. Elucida ainda que as técnicas que os artistas utilizam para desbloquear a sua criatividade podem ser utilizada por todos nós.

Kleon enumera os dez passos para dominar a arte do “gamanço” e tornar-se um verdadeiro artista:

Passo #1 - Roube como um artista.

Passo #2 - Não espere até saber quem é para começar.

Passo #3 - Escreva o livro que quer ler.

Passo #4 - Use as mãos.

Passo #5 - Os projetos paralelos e os passatempos são importantes.

Passo #6 - O segredo: faça um bom trabalho e partilhe-o com outros.

Passo #7 - A geografia já não o limita.

Passo #8 - Seja simpático (o mundo é pequeno).

Passo #9 - Seja enfadonho (é a única maneira de conseguir produzir).

Passo #10 - Criatividade é subtração.

No final o autor diz que podemos utilizar os passos que quisermos e experimentar pois não existem regras.

Trata-se de um livro de rápida leitura, mas com dicas bem interessantes baseadas na vivência do autor. Se conseguir “gamar” boas ideias e torna-las nalgo de novo ao olhar do público, quem sabe não poderá ser o próximo artista ou CEO famoso.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub