Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Aplicar as Leis do Poder - Iteração com a Chefia

Na última revisão dos meus objetivos anuais ficou definido que iria escrever e publicar um artigo semanalmente aplicando um caso prático baseado nas 48 leis do poder de Robert Greene.

Pois bem, hoje é o dia em que inicio este hábito semanal, descrevendo uma iteração recente que tive com o meu superior.

A iteração com o superior

Esta manhã o meu chefe ligou-me a questionar um email que tinha enviado no dia anterior. Uma vez que considerava injusta a acusação, respondi nervosamente transmitindo o meu ponto de vista, quebrando a lei n.º 9 “Não discuta. Demonstre”. No meio da conversa comecei a falar que tinha muitas habilitações para a função quebrando a lei n.º 30 “Pareça com seja fácil e não se gabe”.

A perspetiva dos colegas

Mais tarde acabei por conversar com uns colegas próximos sobre este episódio. Um dos colegas transmitiu-me de que o meu superior poderia estar a utilizar um dos meus pontos fracos, com a provocação para me destabilizar, utilizando deste modo ele próprio a lei n.º 33 “Utilize a fraqueza dos outros”.

Outro colega disse-me que como profissionalmente era difícil apontar-me alguma coisa, pelo que o meu chefe poderia estar a arranjar um motivo qualquer para apontar. Talvez com a minha performance e produtividade crie alguma inveja e mau estar superior. Isto quebra a leis n.º 46 “Não provoque a inveja” e n.º 1 “Não se sobreponha ao mestre”.

Nesta iteração estão incluídas 5 leis do poder, 4 das quais quebrei, e outra que o meu superior possivelmente usou contra mim aproveitando-se das minhas fraquezas.

A dificuldade em aplicar as leis no momento

Torna-se muito difícil estar atendo e usar todas estas leis, especialmente no momento em que se quer uma reação rápida. No entanto estar atento a este facto é o primeiro passo. O segundo passo é desenvolver o mindfulness da comunicação que é outro dos meus objetivos, e que está relacionado com o mindfulness da respiração. Ao concentrar-me na respiração quando comunico irei provavelmente ouvir melhor e criar uma maior contenção no que digo, além de evitar reações emocionais desproporcionadas.

Checklist de hábitos diários

É tempo de conectar com a checklist de hábitos diários.

Cheklist hábitos diários

 

 

Oh Não! Objetivos 2020 Outra Vez (Parte 3)

Não basta traçar os objetivos anuais no início do ano e depois esperar pelo melhor. Possivelmente o que irá acontecer será a desistência ou esquecimento dos mesmos pelo caminho. É importante manter os objetivos relevantes e atuais através de uma revisão periódica.

Esta é a terceira e última parte da revisão trimestral dos meus objetivos para 2020, dando um exemplo pessoal, e demonstrando que é um trabalho que exige reflexão e tempo. Não seria de esperar outra coisa para almejar uma performance acima da média.

Um processo de três passos

Recomendo executar esta tarefa no final de cada trimestre, consistindo em três passos:

  1. Criação de um mapa mental ou lista com as ideias ou tópicos a desenvolver para o ano divido por áreas. Ler artigo Oh Não! Objetivos 2020 Outra Vez (Parte 1).
  2. Validação dos objetivos perguntando qual a razão por detrás de cada um (porquê) e escrever os mesmos de acordo com a fórmula SMART. Ler artigo Oh Não! Objetivos 2020 Outra Vez (Parte 2).
  3. Criar um plano de ação através de projetos, tarefas e hábitos de suporte aos objetivos. Este ponto é fundamental e o único que tem utilidade prática, fazendo a ligação entre a estratégia e a realidade. Neste artigo vou desenvolver este último ponto.

Um projeto é um conjunto de tarefas relacionadas com o mesmo tema, Um hábito é a mesma tarefa repetida periodicamente (diariamente, semanalmente, mensalmente, trimestralmente, etc).

De seguida é apresentado o exemplo para as áreas da saúde e trabalho dos meus objetivos pessoais. Deverá ler os artigos anteriores para ficar com o contexto geral.

Área da saúde

Ideias: relaxamento, visão, mindfulness

Hábitos:

  • Não usar aparelhos eletrónicos de leitura e fazer relaxamento da face e olhos a partir das 22h (diário).
  • Usar a técnica Pomodoro de gestão do tempo (diário).
  • Aplicar mindfulness na caminhada (diário).
  • Aplicar mindfulness na comida (diário).
  • Aplicar mindfulness na comunicação (diário).
  • Aplicar mindfulness na respiração (diário).

Ideias: alimentação, vegetariano

Hábitos

  • Cozinhar duas receitas vegetarianas à terça-feira e sábado (semanal)

Área do trabalho

Ideias: Leis do Poder, Greene

Hábitos

  • Escrever um artigo com a aplicação de um caso prático no meu trabalho inspirado da obra de Robert Greene As 48 Leis do Poder (semanal).

As áreas casa, social, pessoal, espiritual e dinheiro não precisam de um desenvolvimento como o realizado para as restantes áreas, e de modo a evitar complicar o processo de revisão dos objetivos. Os mesmos já estão engrenados nos meus hábitos, bastando recordar as ideias principais de vez em quando.

Deverá constar que neste exemplo os objetivos produziram hábitos, o que não é obrigatório. O resultado poderia ser também projetos e tarefas. No entanto os hábitos têm a vantagem de criar rotinas, que poderão tornar as coisas mais fáceis para muitas pessoas.

Usar uma checklist para os hábitos diários

Para não sobrecarregar as listas de tarefas com hábitos, vou apenas criar tarefas repetitivas na minha aplicação de apoio à gestão do tempo para os hábitos semanais. Os hábitos diários serão incluídos numa checklist para o efeito.

Termina assim esta série de três artigos dedicados à revisão trimestral dos objetivos anuais. Trata-se de uma atividade que não é fácil, mas que traz grandes recompensas àqueles que querem ter um ano mais produtivo e de sucesso. A alternativa seria mais um ano em que não se definem objetivos nem se atingem metas relevantes.

Quero também deixar claro que o processo de definição de objetivos não tem de iniciar no início do ano. Se ainda não traçou as suas metas para 2020, do que está à espera?

Quatro Semanas em Teletrabalho: Novos Hábitos de Produtividade

Parece incrível que já passaram quatro semanas desde que vim para casa em teletrabalho. Os primeiros dias custaram um pouco com a adaptação à nova realidade, mas neste momento já estou “a todo o vapor”.

Felizmente estou numa atividade, que embora afetada pela pandemia do Covid-19, não sofreu reduções drásticas como o turismo e lazer. Durante este tempo em teletrabalho, constatei uma melhoria da produtividade pessoal dos profissionais com que contacto.

Reuniões mais eficazes

Sempre reduzi ao mínimo as reuniões de trabalho, pois considero a maior perda de tempo nas organizações. A generalidade das pessoas agenda reuniões porque não consegue tomar decisões sozinha, ou por ter a sensação de que estar ocupado é o mesmo que ser produtivo.

Devido à necessidade das videoconferências, que são mais cansativas do que as reuniões presenciais, os profissionais tendem a realizar menos reuniões, e quando as realizam são mais objetivos.

Menos tempo ao telefone

O telefone é um meio útil para certos esclarecimentos ou urgências. Devido à desorganização de grande parte dos profissionais, que deixam tudo para a última da hora, estes usam e abusam do telefone, que é um meio intrusivo de interromper o outro.

A pandemia modificou o conceito de urgência do trabalho para a saúde. Afinal já não existe tanta coisa urgente, e consequentemente telefona-se menos.

Maior eficiência com o email

Com menos reuniões e telefonemas, o email é agora o meio predileto de comunicação, sendo o “rei da comunicação”. Os profissionais respondem mais prontamente aos emails enviados, e criam novos emails para verem as suas situações resolvidas.

Em termos pessoais, é o meu meio preferencial de comunicação, porque desligo as notificações e tenho horas determinadas para ler e responder a mensagens, constituindo assim um canal de comunicação não intrusivo.

Conclusão

A pandemia do Covid-19 veio trazer novos hábitos de produtividade aos profissionais, com a obrigatoriedade do teletrabalho para muitas pessoas e organizações. Se em termos gerais foi disruptivo, e condicionou a atividade de muitas organizações, por outro lado, trouxe mais produtividade no trabalho com a utilização dos meios tecnológicos de uma forma mais eficaz.

3 Aplicações Para se Recordar dos Aniversários de Familiares e Amigos Mais Próximos

Lembrar do aniversário dos nossos familiares e amigos mais próximos é um ato agradável e de atenção, tanto para aqueles que são recordados, como para nós próprios, pois acabamos por sair no nosso umbigo e focar-nos no outro, nem que seja por um instante.

No Facebook, a única notificação que tenho ativada via email, é a mensagem com o aniversário dos amigos. Acontece que nem todos os meus familiares e amigos mais próximos têm o seu aniversário na rede social. Alguns, inclusive, já não têm conta sequer.

Isto levanta um problema, de que não consigo recordar-me por iniciativa própria de todas as datas. Já há alguns anos que coloquei os aniversários dos contactos mais importantes na agenda do Android juntamente com os números de telefone. Todos os contactos sincronizam automaticamente entre os dispositivos, mas por predefinição o Android não notifica as datas do aniversário, e até recentemente não me tinha lembrado de pesquisar uma aplicação para estes lembretes.

Basicamente existem aplicações para tudo e alguma coisa. No Android tem por exemplo as aplicações Aniversários, Lembretes de aniversários e Contacts' Birthdays, mas existem outras mais, sendo uma questão de escola pessoal. Além da vantagem de ser automaticamente notificado, pode configurar ainda o lembrete para uma hora específica.

Assim, já não tem desculpa para não se lembrar dos seus. Quando um familiar ou amigo mais chegado fizer o aniversário, tem uma notificação conveniente no seu telefone, podendo fazer a tal chamada para dar um pouco de atenção ao próximo.

Momentos da Semana

Primeira semana em teletrabalho

Esta semana ficou marcada pela primeira semana na íntegra em teletrabalho, de segunda a sexta-feira. Os novos tempos requerem novos hábitos, sendo que notei que em casa é mais cansativo trabalhar que no escritório, possivelmente porque estou mais concentrado e não existem aquelas “mini pausas” em que se fala com um colega ou outro, aliviando a tensão do dia.

Praticar yoga online em direto

Nas dificuldades surgem oportunidades. O método de yoga que pratico não existe na minha área de residência, e sempre fui muito consistente fazendo yoga em casa quase diariamente ao longo dos últimos anos, com uma grande auto motivação e dedicação. Não compreendia porque não havia aulas em direto, para quem não tinha um professor perto. Agora tudo mudou, e muitas escolas de yoga ensinam o método que pratico em vídeo conferência. Fiz a minha primeira aula online em direto da Irlanda, sendo que vou comprar um passe online para continuar a prática junto da comunidade.

Quase a concluir o blogue leis do poder

Estou quase no final da maratona 48 Leis do Poder, em que escrevo uma lei por dia no blogue 48-leis-do-poder-blogs.sapo.pt. Nunca falhei um dia, e se tudo correr como previsto, terminarei este projeto durante a próxima semana. Esta obra de Robert Greene é um dos livros essenciais para quem quer conhecer como as manobras e os jogos do poder funcionam, sendo útil a quem queria progredir numa organização, fazer carreira na política ou apenas evitar manipulações daqueles que nos tentam usar para seu próprio benefício.

Investir na bolsa de valores

Continuo com o investimento na bolsa, através da negociação de ações recorrendo ao que é conhecido como day trading, comprando e vendendo a mesma ação no próprio dia. Trata-se de um método muito ativo de rentabilização financeira nos mercados, exigindo muitas horas, dias e semanas de trabalho a analisar títulos acionistas. Os mercados estão extremamente voláteis com o impacto do Covid-19, apresentado muitos riscos, mas também muitas oportunidades.

Hábitos Checklist #10 (semana de 9 a 15 de março)

Mapa de hábitos diários n.º 10

Esta semana com o início da expansão da pandemia Covid-19, todos os hábitos diários permaneceram os mesmos, com a exceção de "tomar café com colegas/família", pela necessidade óbvia de isolamento social sempre que possível.

A prática de yoga é feita em casa, pelo que continuarei esta atividade física e meditativa regular sem quebra na rotina.

Existem dois hábitos que merecem destaque e que tenho seguido "religiosamente": 1) escrever artigo lei do poder e 2) atualizar diário da bolsa.

Dominar as leis do poder é um objetivo pessoal, para controlas as dinâmicas sociais e evitar manipulações. Ou seja, quero ser eu a "dar as cartas", em vez de esperar que os outros decidam o meu destino e permeiem as minhas ações.

O investimento na bolsa é outra das principias atividades, associado ao objetivo de atingir a independência financeira através do trading. Desenvolvi um "desejo obsessivo" por esta atividade e não vejo outra opção que não seja atingir o objetivo.

Estou a evoluir muito lentamente na prática do falar menos e ouvir mais, e esta semana vou adaptar este hábito. Em vem de concentrar-me apenas em falar menos, vou acrescentar o falar mais devagar sempre que possível.

De resto é dedicar mais tempo ao relaxamento da visão, já que passo tanto tempo no computador, seja no trabalho, a negociar nos mercados financeiros ou a escrever artigos.

Hábitos Diários Checklist #7: Escrever, Mindfulness e Visão

Hábitos Checklist 7

Esta é a lista de verificação de hábitos diários na semana de 17 a 23 de fevereiro. Pretende-se cultivar bons hábitos como escrever regularmente ou relaxar a visão, e eliminar maus hábitos como falar muito ou alimentar-me com comidas pouco saudáveis.

O projeto das leis do poder baseado no trabalho de Robert Greene foi cumprido na sua totalidade. Durante a semana passada publiquei todos os dias uma lei no blogue As 48 Leis do Poder. O objetivo é concluir este projeto em 48 dias, e rever esta obra magnifica, aprendendo os métodos por detrás da influência dos poderosos, e as suas táticas de manipulação individuais e das massas.

O hábito diário do mindfulness, estar presente no momento sentido as minhas reações à envolvente: pensamentos, emoções e sensações, está a começar, e é um projeto, se poderemos chamar assim, de longo prazo. Não será espectável que consiga ter uma consciência plena de tudo o que me rodeia de um dia para outro. Possivelmente levarei meses até sentir alguma evolução, e talvez anos prosseguindo nesta arte.

A minha paixão pela leitura não ficcional, e procura de conhecimento, não me tem deixado relaxar a visão à noite tanto como gostaria. Pretendo a partir das 22h desligar completamente o dispositivo de leitura que utilizo, um iPad, e não está a ser fácil. É uma espécie de obsessão pelo saber, enraizada numa ansiedade latente na incerteza de querer aprofundar e trabalhar a fundo em tudo aquilo em que me empenho.

Termina assim a revisão da lista de hábitos diários, regressando a esta rubrica na próxima semana.

Converter Voz para Texto no Telemóvel: Será que Vale a Pena?

Autores e outras pessoas que têm o hábito de escrever regularmente, querem encontrar técnicas ou métodos para serem mais produtivos, e compor textos mais rapidamente. Hoje com a tecnologia, existem inúmeras aplicações disponíveis para facilitar a vida a escritores.

No resumo do livro sobre A Grande Estratégia de John Lewis Gaddis, e a título de experiência, utilizei a aplicação gratuita Speech to Text no Android, para ditar as várias citações que transcrevi para o artigo. Existem muitas outras aplicações disponíveis no Android e outras tantas no IOS.

Na altura de ditar as citações para o smartphone, tinha previamente anotado as que considerava mais importantes, e que queria incluir no artigo. Tenho por hábito nos melhores livros que leio, sublinhar a marcador as passagens mais interessantes (tanto em versão de papel como digital).

No final foram ditadas mais de 1000 palavras para o telemóvel. O trabalho não acabou por aqui, e tive de fazer a edição do texto no PC, pois havia muito vocabulário que não tinha sido corretamente convertido para texto pela minha voz.

Concluindo, e se voltaria a escrever um novo artigo com este tipo de aplicação. Possivelmente teria de fazer um novo teste e experimentar outras aplicações. Se no final, o tempo disponibilizado de dição mais a edição fosse significativamente inferior ao tempo da escrita de um artigo normal, então com certeza que valeria a pena, com a poupança de tempo conseguida.