Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

Manter a Calma e Racionalidade num Ambiente Hostil

Uma das leis do poder de Robert Greene é vencer pelas atitudes e não discutir, enquanto um dos princípios de Dale Carnegie é não criticar, não condenar e não se queixar.

Em retrospetiva, penso que fui bastante prejudicado na minha carreira por não obedecer a esta lei e princípio. Em vez de jogar o jogo do poder, deixo que as ações das outras pessoas “fervilharem” na minha cabeça, causando um aumento súbito da ansiedade.

O resultado é uma resposta desadequada, que embora ajude a proteger o meu ego e aliviar o stress no momento, a longo prazo é uma estratégia que se vira contra mim.

Poderei ter razão em relação às ações dos outros, que poderão não ser as mais corretas, mas a minha reação acaba por dar aos meus oponentes factos que poderão utilizar no futuro contra mim.

Aliás, esta é uma das leis do poder, agitar as águas para atrair o peixe, em que descreve que raiva e reações emocionais são contraproducentes do ponto de vista estratégicos, e que se conseguirmos irritar o inimigo sem perder a calma, adquire-se uma enorme vantagem.

Se vou seguir ou não estas leis e princípios no futuro, e se quero progredir na minha carreira profissional, não existe outra alternativa senão seguir as mesmas. Poderei por exemplo, e nos dias em que os outros “agitam as minhas águas”, deixar as decisões para o dia seguinte, onde já consigo olhar mais racionalmente para a situação em questão, evitando reações imediatas.

Mesmo que não pretenda progredir profissionalmente, é uma questão de respeito, e dos outros não abusarem das suas posições.

Extrovertido versus Introvertido: Escolher o Tipo de Ocupação em Função da Personalidade

Mulher de braços abertos no meio do campo

O famoso psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Jung dividiu a personalidade do ser humano em dois tipos: o extrovertido e o introvertido.

De uma forma geral, o extrovertido é aquela pessoa que gosta naturalmente de relacionar-se com outros, e energiza-se através do contacto e interação humanas.

O introvertido é geralmente a pessoa que prefere estar em solitude energizando-se com os seus pensamentos e as suas ideias.

Ninguém é totalmente extrovertido ou introvertido, sendo que a maioria das pessoas possui características de ambas as personalidades. No entanto, a personalidade de cada um tende a inclinar-se para um dos lados.

No meu caso, sou definitivamente mais introvertido, por gosto de desenvolver novas ideias, e não aprecio a presença de multidões que me tirem do foco. Não quero dizer com isto que não goste ou evite totalmente em estar com outras pessoas, até porque as relações interpessoais são fundamentais para um equilíbrio emocional.

Existem determinadas profissões ou trabalhos que são mais aptos para um extrovertido do que para um introvertido e vice-versa, mas com alguma criatividade podemos adaptar a nossa personalidade a qualquer tipo de trabalho.

Ao reconhecermos o nosso tipo de personalidade temos uma grande ajuda para tomar decisões, de forma a ocuparmos uma significativa parte do tempo fazendo o que nos motiva e dá energia.

A Personalidade Difícil de Uma Escritora que Conduziu ao Fracasso

Mulher com as mãos na cabeça

Esta semana vi um filme incrível na televisão sobre a história da escritora norte americana Lee Israel (1939-2014), intitulado Can You Ever Forgive Me? - Memórias de Uma Falsificadora Literária. Para ultrapassar as dificuldades económicas na altura, Israel ficou conhecida por ter falsificado mais de 400 cartas de autores famosos como Dorothy Parker, Noël Coward ou Ernest Hemingway, vendendo depois as cartas a livrarias especializadas em troca de dinheiro.

Israel até teve algum sucesso inicial, escrevendo biografias, e com um livro na lista dos mais vendidos no jornal New York Times, mas este sucesso durou pouco tempo, seguindo depois uma espiral descendente.

O que me impressionou mais no filme foi o facto de Israel ser uma escritora com um mau temperamento, o que incomodava os seus pares, e sobretudo a sua editora. Numa das cenas do filme, e depois de muitos telefonemas sem resposta, Israel encontra-se com a sua editora, implorando-lhe por trabalho. Esta ultima é extremamente franca e responde que a carreira de Israel está acabada, pois não consegue controlar as suas ações, além de se ter tornado alcoólica.

O ponto a que quero chegar com este artigo é que a construção de relações positivas na progressão de carreira ou de um negócio contam. Salvo raras exceções de certos génios, mais vale a pena pecar por excesso do que por defeito na simpatia quanto comunicamos com os outros.

Devemos tentar ser sempre atenciosos e agradar o próximo, pois nunca se sabe quando surge uma oportunidade. Se quiser uma ajuda nesta área, leia Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas de Dale Carnegie, um dos livros mais populares de sempre no desenvolvimento pessoal.

Photo by Atul Choudhary from Pexels

Principais Diferenças entre o Extrovertido e o Introvertido e a sua Influência na Produtividade Pessoal

Várias pessoas da cintura para baixo

As tarefas que predominantemente tendemos a escolher dependem das nossas apetências e preferências pessoais. Senão houverem outros fatores a considerar na gestão das nossas prioridades, como a satisfação de necessidades básicas (alimentação, saúde, etc.), as nossas escolhas são feitas em função da nossa personalidade.

Carl Jung, o famoso psicólogo Suíco, definiu dois tipos de personalidade predominantes em cada pessoa: a extrovertida e a introvertida.

De acordo com a New World Encyclopedia a pessoa extrovertida encontra significado fora dela preferindo o mundo exterior dos objetos, pessoas e atividades. Os extrovertidos tendem a ser energéticos, entusiastas, orientados para a ação, faladores e assertivos. Uma pessoa extrovertida tem tendência para gostar de estar com outras pessoas e não se sente bem em estar sozinha. Acima de tudo os extrovertidos sentem-se energizados quando estão com outras pessoas e ficam cansados e aborrecidos quanto estão muito tempo sozinhos.

Ainda de acordo com a New Worl Encyclopedia, o introvertido é introspetivo, preferindo o mundo interior dos seus pensamentos, emoções e fantasias. Os introvertidos tendem a ser mais calmos, reservados, deliberados e afastados da parte social. Preferem estar sozinhos em tarefas contemplativas que consideram gratificantes. Tendem a evitar eventos sociais não por serem tímidos, mas porque o escolhem. Estes encontram a solidão dos seus pensamentos restaurativa e energética.

Jung acreditava que todas as pessoas exibiam simultaneamente estas duas personalidades, embora uma delas fosse dominante.

De facto, ambas as personalidades têm de ser utilizadas se queremos ter maior sucesso. Por exemplo, um escritor que acabou de finalizar o seu livro, teve geralmente um grande prazer na escrita do mesmo (senão não tinha enveredado por esta grande aventura!), através de um comportamento introvertido passando tempo sozinho com a organização dos seus pensamentos e processo de escrita.

Após a conclusão do livro, e se este escritor quer ter leitores, terá de sair "do seu mundo" e publicitar o mesmo, contactando inevitavelmente com outras outras pessoas promovendo palestras, dando entrevistas, estando presente em eventos literários e todas outras atividades inerentes à divulgação do seu trabalho. O escritor, mesmo que não o queira, tem de ser extrovertido nesta fase crítica de promoção.

No entanto, este mesmo escritor passou 80% do seu tempo a pesquisar e a escrever (personalidade introvertida) e 20% do seu tempo em atividades promocionais (personalidade extrovertida). Ambas as personalidades foram utilizadas, mas com a dominância da personalidade introvertida.

O que quero dizer com isto é que se queremos ser mais produtivos, devemos selecionar as tarefas e projetos que nos dão um maior gozo e de acordo com a nossa personalidade predominante, que segundo a teoria das personalidades de Jung, varia em função da nossos traços de personalidade como extrovertidos ou introvertidos.

Em suma, devemos escolher aquilo que nos dá maior energia e entusiasmo, sem nunca esquecer que como em tudo na vida deve existir um balanço, não sendo possível ser puramente extrovertido ou introvertido.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D