Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

8 Estilos de Liderança Segundo a Toastmasters

Peões de várias cores sobre tabuleiro de jogo

Esta semana vou ter uma apresentação com um discurso público na Toastmasters sobre o tema da liderança, em que irei falar sobre os diferentes estilos, e em que contextos poderão ser usados para uma maior eficácia do líder.

Os líderes eficazes capacitam os outros a atingir metas pessoais e contribuem para a concretização dos objetivos coletivos.

Liderar e gerir não são a mesma coisa

Embora uma pessoa possa ser tanto líder como gestor, o conjunto de competências exigido para cada uma destas funções é diferente. A gestão encarrega-se do planeamento, organização e supervisão de tarefas específicas. Já a liderança envolve pessoas, sejam elas indivíduos ou grupos. Os grandes líderes inspiram os outros a segui-los.

Atributos de um líder bem-sucedido

A par com os diferentes estilos de liderança, existem certos atributos transversais para uma liderança eficaz. Um líder bem-sucedido é:

  1. Comunicador eficaz.
  2. Lidera pelo exemplo.
  3. Otimista.
  4. De mente aberta.
  5. Demonstra integridade.

Os 8 estilos de liderança

É importante conhecer as características dos oito estilos de liderança, e em que circunstâncias devem ser utilizados. Dentro destes estilos, existem aqueles que o líder tem tendência a usar naturalmente mais. É no entanto necessário, para uma liderança eficaz e completa, saber utilizar todos os estilos de liderança em função das pessoas ou situações específicas.

De seguida apresento os oito estilos de liderança de acordo com a Toastmasters.

1# Burocrático

Estabelece e aplica as regras de forma rigorosa.

INDICADO PARA: Quando uma decisão precisa ser tomada num curto período de tempo.

NÃO INDICADO PARA: Para liderar indivíduos altamente qualificados, pois geralmente sentem-se incomodados com a microgestão.

#2 Autoritário

Proporciona orientação de longo prazo concentra-se nos objetivos finais.

INDICADO PARA: Eficaz quando há necessidade de mudança de rumo ou de visão.

NÃO INDICADO PARA: Quando há necessidade de orientação explícita.

#3 Inovador

Partilha uma visão de futuro e busca a excelência.

INDICADO PARA: Quando se solucionam problemas complexos.

NÃO INDICADO PARA: Quando os riscos assumidos deixam os membros da equipa apreensivos.

#4 Produtivo

Espera que seus colaboradores abracem novos projetos e ajam com rapidez, concentrando-se na produtividade.

INDICADO PARA: Quando os membros da equipa são auto-motivados e altamente qualificados.

NÃO INDICADO PARA: Se utilizado por um longo período de tempo.

#5 Democrático

Baseia-se na tomada consensual de decisões.

INDICADO PARA: Quando o conhecimento de toda a equipa é necessário para solucionar um problema ou para encontrar um rumo.

NÃO INDICADO PARA: Quando o tempo é limitado ou os membros da equipa não têm conhecimento ou experiência para fazer contribuições de qualidade.

#6 Harmonioso

Cria uma unidade coesa, enfatizando o trabalho em equipa e a harmonia.

INDICADO PARA: Para aumentar a motivação, reparar quebras de confiança e ultrapassar situações de pressão.

NÃO INDICADO PARA: Quando o líder tem dificuldades em dar feedback negativo.

#7 Coaching

Concentra-se em preparar as pessoas desenvolvendo as suas competências.

INDICADO PARA: Em contexto individual, no qual a pessoa sob orientação é recetiva ao próximo relacionamento profissional deste estilo de liderança.

NÃO INDICADO PARA: Quando as pessoas sob orientação são avessas à mudança.

#8 Altruísta

Personaliza diferentes abordagens para atender às necessidades individuais de cada elemento da equipa.

INDICADO PARA: Criar uma cultura positiva e promover uma moral elevada.

NÃO INDICADO PARA: Se não houver tempo suficiente para aplicar uma perspetiva de longo prazo.

Primeiro Pergunte Porquê de Simon Sinek, Resumo do Livro – As Minhas Notas

Primeiro Pergunte Porquê de Simon Sinek

Em Primeiro Pergunte Porquê, Simon Sinek apresenta a ideia de que os grandes líderes inspiram os outros a colocar o Porquê (propósito) antes do Como (processo) e do Quê (produto).

Ideias principais:

  1. Exemplos de Porquê:
    - Porque é que a nossa empresa existe? (não por causa de lucros; lucros são o resultado).
    - Porque é que as pessoas se deveriam importar?
  2. Para motivar alguém à ação, tem duas opções: pode manipular ou pode inspirar.
  3. A manipulação inclui preço, promoções, medo, aspirações, novidades, pressão dos pares, etc.
  4. A manipulação é utilizada para transações que possivelmente só acontecem uma vez, não para criar fidelidade.
  5. Inspirar pessoas requer um propósito real, um Porquê.
  6. Um Porquê bem expresso ajuda-o a diferenciar da concorrência.
  7. Os humanos querem pertencer a uma comunidade ou cultura, com um claro Porquê.
  8. Os clientes identificam-se com marcas que articulam um claro Porquê.
  9. Os clientes não se conseguem identificar com o Quê sem o Porquê.

Aplicação:

  1. O comportamento precisa de reforçar o Porquê.
  2. Seja autêntico. Conheça o seu Porquê e alinhe todas as suas decisões, ações e comunicações com o mesmo.
  3. Os seus princípios precisam de focar-se á volta de sentenças orientadas para a ação, e não apenas nomes.
    - Dizer encontrar formas criativas de resolver problemas, em vez de inovação.
  4. Ignore a competição, e foque-se no Porquê.

Citações selecionadas:

"Não são a lógica ou factos, mas o desejo e sonhos, o coração e instinto, que conduzem as pessoas a tentarem novas coisas."

"A confiança emerge quando sentimos que outra pessoa ou organização é conduzida por outras coisas que não apenas os seus interesses."

“Eu consigo tomar uma decisão com 30% da informação, Mais do que 80% é muito” - citação de Colin Powel mencionada no livro, anterior secretário da defesa norte-americano.

Fonte:

Start with Why: How Great Leaders Inspire Everyone to Take Action (book summary)

As 48 Leis do Poder de Robert Greene: Organização e Categorização

As 48 Leis do Poder de Robert Greene é uma obra indispensável para quem quer conhecer as ferramentas necessárias para 1) subir no poder e 2) defender-se de manipuladores.

Devido à extensão do número de leis, organizei as mesmas em cinco grupos, inspirado pelo site Shortforms, para ajudar na sua memorização e compreensão.

Como a célebre citação do tio do Homem Aranha (Peter Parker) dizia no filme: “Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”. Portanto, utilize estas leis com precaução e moderação, evitando excessos.

Existem exceções às leis, usadas dependendo de cada situação. Estas exceções são abordadas noutro artigo.

1. ADOTAR UMA MENTALIDADE DE PODER

Pontos principais: Seja calculista e estratégico, não emocional. Identifique os seus objetivos e persiga-os incansavelmente.

Lei 2 – Ter cuidado com os amigos. Usar os inimigos.
Lei 10 – A miséria é contagiosa. Evite-a como uma praga.
Lei 19 – Conheça as suas vítimas.
Lei 23 – Foque os seus esforços.
Lei 29 – Planeie até ao fim.
Lei 35 – Saiba qual o tempo certo.
Lei 36 – Ignore os pequenos problemas.
Lei 41 – Siga o seu próprio caminho.
Lei 48 – Seja elusivo.

2. COMUNICAR PODEROSAMENTE

Pontos principais: Demonstre em vez de dizer. Sintonize-se com os outros. Conquiste o coração dos seguidores.

Lei 4 – Diga o menos possível.
Lei 6 – Atraia a atenção.
Lei 9 – Não discuta. Demonstre.
Lei 12 – Desarme os outros sendo simpático.
Lei 13 – Mostre aos outros como podem beneficiar.
Lei 14 – Pareça um amigo. Aja como um espião.
Lei 25 – Reinvente-se.
Lei 27 – Crie um culto de seguidores.
Lei 32 – Cultive a fantasia dos outros.
Lei 37 – Crie um espetáculo.
Lei 43 – Conquiste corações e mentes.
Lei 44 – Espelhe as emoções dos outros.

3. ADOTAR COMPORTAMENTOS QUE REALÇEM O PODER

Pontos principais: Esconda as suas intenções. Cai na graça. Tire partido das suas manobras ocultas.

Lei 1 – Não se sobreponha ao seu chefe.
Lei 3 – Não revele os seus objetivos.
Lei 5 – Guarde a sua reputação.
Lei 7 – Obtenha o crédito pelo trabalho dos outros.
Lei 16 – Não se exponha demasiado.
Lei 17 – Seja imprevisível.
Lei 21 – Faça os outros sentirem-se inteligentes.
Lei 24 – Siga as regras do jogo.
Lei 30 – Pareça com seja fácil.
Lei 34 – Aja como a realeza,
Lei 38 – Misture-se com o rebanho.

4. TOMAR AÇÃO DECISIVA

Pontos principais: Seja implacável com os seus inimigos. Explore a fraqueza dos outros.

Lei 8 – Lance o isco para virem até si.
Lei 11 – Faça com que precisem de si.
Lei 15 – Aniquile o seu inimigo.
Lei 22 – Renda-se para ganhar.
Lei 28 – Seja ousado.
Lei 31 – Controle as opções.
Lei 33 – Utilize a fraqueza dos outros.
Lei 39 – Agite os seus inimigos.
Lei 40 – Utilize o dinheiro como ferramenta.
Lei 42 – Elimine o desordeiro.

5. EVITAR ESTAS ARMADILHAS

Pontos principais: Manter as leis do poder sob controlo. Não as levar ao extremo. Prestar atenção às contra reações

Lei 18 – Não se isole.
Lei 20 – Não tire partidos.
Lei 26 – Não suje as suas mãos.
Lei 45 – Introduza a mudança aos poucos.
Lei 46 – Não provoque a inveja.
Lei 47 – Saiba quando parar.

Como Criar Um Plano de Sucesso em 6 Passos

“Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável.” —  Séneca

Esta citação de Séneca reflete bem a necessidade implícita da criação de objetivos e de um plano, pois sem um rumo, será difícil senão mesmo impossível, criar e aproveitar novas oportunidades que conduzam a uma vida com mais significado.

Neste artigo, quero partilhar com o leitor como poderá criar um plano de sucesso simples em seis passos, para ganhar a motivaçao de que precisa.

Puzzle

Passo 1 – Definir as áreas de sucesso

As áreas de sucesso são as zonas das nossas vidas que desejamos melhorar, e devem ser genéricas.

Exemplo de áreas: carreira, finanças, pessoal.

Abacus

Passo 2 – Definir o horizonte temporal

Um plano de sucesso não deve ser para o imediato. Devemos ser ambiciosos e pensar em grande. Trata-se da visão onde queremos chegar, recomendando um espaço temporal de um a cinco anos para a concretização do plano.

Exemplo de horizonte temporal: escolho o prazo de um ano para concretizar o meu plano de sucesso nas áreas da carreira, finanças e pessoal.

Objetivo

Passo 3 – Definir os objetivos

Aqui são definidos os objetivos em função das áreas de sucesso e do horizonte temporal. Pode utilizar a fórmula SMART neste passo para ajudar na criação dos objetivos.

Ter em atenção a ambição excessiva de objetivos, porque temos uma quantidade limitada de tempo, mas também de energia. A gestão de prioridades assume especial significado neste passo.

Exemplo de objetivos:

No prazo de um ano quero atingir os seguintes objetivos nas áreas escolhidas.

Pessoal

Objetivo 1 – Ter um dia 100% livre por semana sem estar ligado a computadores ou telemóveis, dedicado inteiramente à família.

Objetivo 2 – Ter uma alimentação vegetariana em pelo menos metade das refeições.

Finanças

Objetivo 3 – Ter uma taxa de retorno anual financeira de 100%, através do investimento na bolsa de valores, com operações de curto prazo e otimização da gestão do risco.

Objetivo 4 – Testar a hipótese de monetizar o blogue Daily Habit, com a angariação de um projeto de coaching em gestão do tempo e produtividade pessoal.

Carreira

Objetivo 5 - Dominar e praticar as regras do poder, partindo do trabalho desenvolvido por Robert Greene, Sun Tzu e Nicolau Maquiavel.

Projetos e tarefas

Passo 4 – Definir projetos e tarefas

Cada objetivo deve ser decomposto em projetos e tarefas, para operacionalizar a sua concretização. De acordo com o método de gestão do tempo GTD, um projeto é um conjunto de duas ou mais tarefas. Um projeto deve conter obrigatoriamente tarefas, mas uma tarefa pode ser única não tendo de estar obrigatoriamente incluída num projeto.

Quadro de pernas

Passo 5 – Afixar o plano em local visível

O plano de sucesso deve ser impresso e colocado em local visível, para recordarmos regularmente que as tarefas diárias contribuem para o nosso plano maior de sucesso. Este plano deverá também ajudar a despertar a nossa motivação.

Cabeça a pensar

Passo 6 – Rever o plano regularmente

As prioridades mudam, a vida muda e os imprevistos acontecem. O nosso plano tem de acomodar as incertezas da vida, e por isso, recomendo a revisão trimestral do plano de sucesso.

Nesta revisão podem ser acrescentados, eliminados ou modificados os objetivos, bem como atualizadas as áreas de sucesso.

Conclusão

Espero que este artigo possa contribuir para estimular a sua criatividade, e criar o seu próprio plano de sucesso. A última finalidade, é que navegue em direção ao seu destino com vento favorável, vivendo a vida com alegria e significado.

Icons made by Kiranshastry from www.flaticon.com

Porquê Aprender sobre o Poder?

Halterofilista a levantar pesos

Depois da injustiça no trabalho da semana passada com a minha avaliação, e da curta viagem neste fim de semana em que tive a oportunidade de ler A Grande Estratégia de John Lewis Gaddis, é tempo de iniciar a semana com uma nota positiva.

Nada melhor do que conhecer e dominar as dinâmicas do poder como parte da estratégia de evolução na carreira, pois como já tinha escrito no artigo anterior, ser bom naquilo que se faz é apenas 1/3 da batalha.

As dinâmicas do poder aplicam-se em todas as áreas

De acordo com Lucio Buffalmano em The Power Moves, as dinâmicas do poder aplicam-se em todas as áreas da vida e socialização, e não têm de ser necessariamente usadas para projetar poder, mas também para se conseguir uma maior justiça, prevenir a manipulação e desenvolver relações saudáveis em que todos ganham.

O domínio das dinâmicas do poder contribui ainda para melhorar a capacidade de influência e persuasão, liderança, relacionamentos, ambiente de trabalho e qualidade de vida.

Valores a cultivar no poder

Para desenvolver o poder deve abraçar os seguintes valores:

- O poder começa pela escolha de nunca ser uma vítima.

- Somos livres e virtuosos até ao momento que o nosso poder pessoal o permite.

- Procurar crescimento, e não ajuda.

- Questionar a autoridade e as fracas lideranças.

- Encontrar o próprio caminho, em vez de seguir o dos outros.

- A verdadeira liberdade só é conseguida através do entendimento do nosso inconsciente.

- Ter em atenção os grupos e adaptar um individualismo saudável (mesmo dentro de um grupo), porque os primeiros são facilmente manipuláveis.

Injustiça no Trabalho e a Grande Estratégia

A Grande Estratégia de John L. Gaddis

No final da semana de trabalho tive uma surpresa desagradável quando o meu superior apresentou a minha avaliação de serviço. No período anterior tive uma pontuação relevante, sendo que agora esperava a mesma pontuação ou superior, pois vi as minhas responsabilidades aumentadas.

Mas não aconteceu nada do que esperava e fiquei indignado com a injustiça praticada. Mas enfim, neste momento da minha carreira já devia ter aprendido que o mundo do trabalho não é justo.

Felizmente este fim de semana tive a oportunidade de fazer uma curta viagem, em que não conduzia, e aproveitei para agarrar o livro A Grande Estratégia de John Lewis Gaddis, que me ofereceram no passado natal, e que parece que estava a aguardar o momento certo para ser lido.

Sempre adorei as viagens, por mais pequenas que sejam, para pensar e colocar a vida em perspectiva, e nada como um bom livro para acompanhar.

Lucio Buffalmano, no seu site The Power Moves, escreve que ser bom no que se faz é 1/3 da batalha. Os restantes 2/3 são para vender o que se faz e chegar às pessoas que importam.

Não poderia estar mais de acordo com esta informação, e daí a necessidade de criar uma nova estratégiana minha carreira que deverá obrigatoriamente incluir o marketing pessoal e comunicação.

O Sucesso segundo a Pirâmide de Maslow

Pirâmide de Maslow

Imagem: verywellmind

A Pirâmide de Maslow, é uma teoria desenvolvida pelo psicólogo norte-americano Abraham H. Maslow na década de 50, com o objetivo de determinar as condições necessárias para a realização do indivíduo. Na sua essência, a teoria tenta responder à questão das motivações das pessoas que estão por detrás do significado de sucesso.

De acordo com Maslow, o sucesso é definido como uma satisfação progressiva de necessidades, até se chegar ao último nível de realização pessoal com a independência, quer seja de valores, criatividade, espontaneidade, financeira ou outra.

Para o indivíduo atingir o último nível de realização pessoal, e segundo esta teoria, precisa primeiro de ver os quatro níveis anteriores satisfeitos, cada um construído em cima do nível anterior, e de acordo com a seguinte descrição acompanhada pela analogia de um edifício.

1.º Nível – Necessidades fisiológicas (as fundações do edifício)

Tratam-se das necessidades básicas de qualquer pessoa como ter saúde e garantir a sua sobrevivência.

2.º Nível – Necessidades de segurança (o teto e paredes do edifício)

Após a satisfação das necessidades fisiológicas, o indivíduo volta-se para a sua segurança, como ter um emprego que permita ter um rendimento garantido e conseguir proteger a sua família.

3.º Nível – Necessidades de amor e relacionamentos (as infraestruturas básicas: água, eletricidade, gás, televisão e internet)

Este nível inclui a necessidade de convivência com a família e das relações intimas. Também é considerado neste nível o lado social do indivíduo como os amigos ou a participação em grupos, associações, clubes, etc.

4.º Nível – Necessidades de autoestima (conforto com sistemas de climatização e aquecimento).

A autoestima do indivíduo é conseguida através de dois meios: concretização de objetivos e o reconhecimento dos outros.

5.º Nível – Necessidades de realização pessoal (todas as comodidades de um edifício inteligente moderno)

De acordo com a teoria de Maslow, este é o último nível de satisfação de necessidades do indivíduo, e que corresponde ao sucesso. Como referido no início do artigo, a caraterística mais marcante deste nível é sentir a independência, ou liberdade.

Observações

Na sociedade ocidental, vemos muitas vezes o termo liberdade utilizado, especialmente pela classe politica. Os políticos baseiam-se em estudos, e sabem que no fundo a liberdade é o que as pessoas mais anseiam e desejam. Quem não desejaria ganhar o euromilhões para ser livre e fazer o que quiser, sem ter de dar satisfações a ninguém?

Um Novo Projeto de Coaching (Como Voluntário!)

Treinador adulto em campo com intercomunicador

Esta semana tenho uma apresentação em público no âmbito de um projeto de coaching na Toastmasters.

A Toastmasters é uma organização internacional, presente em Portugal desde 2006, com o objetivo de desenvolver as competências de comunicação dos seus membros, em especial o falar em público.

Trata-se de um projeto voluntário, existindo atualmente dezenas de clubes espalhados um pouco por todo o país.

Apoiar um clube Toastmasters na sua formação

O objetivo da minha apresentação é apoiar um novo clube na atração de novos membros, transmitindo o meu conhecimento e experiência que adquiri ao longo dos últimos anos com esta organização. Por outras palavras, é ajudar a fechar as vendas com novos membros.

A minha apresentação centra-se em três partes: qualidade das sessões, benefícios de adesão a um clube toastmasters e o processo de inscrição.

A qualidade das sessões

As sessões semanais de um clube são o produto da Toastmasters, pelo que é fundamental demonstrar a sua qualidade. Isto inclui começar e terminar cada sessão no horário previsto (cada sessão dura em média 1h30), os officers do clube (responsáveis pela organização) devem cumprir as suas responsabilidades, e os membros devem mostrar entusiasmo nas sessões.

Benefícios de adesão

Dentro dos benefícios em aderir à Toastmasters encontra-se perder o medo de falar em público (80% das pessoas aderem por este motivo), o desenvolvimento da liderança, melhoria das capacidades de relacionamento interpessoal e o aumento da autoconfiança.

O processo de inscrição

Quando um convidado manifesta interesse em aderir à Toastmasters, o processo de inscrição deve ser o mais simples possível. Deve ainda ser assegurado que trata-se de uma relação ganhadora para ambas as partes. O officer responsável pela inscrição de novos membros deve apoiar o novo membro no preenchimento da ficha de inscrição e esclarecer quaisquer dúvidas e reforçar os benefícios em aderir a um clube.

Conclusão

Recebi inúmeros benefícios quando aderi à Toastmasters sendo importante partilhar com outras pessoas que possam beneficiar, nomeadamente através deste projeto de coaching com um novo clube. Demonstrar o meu entusiasmo com o programa será possivelmente o ponto mais forte que poderei mostrar na apresentação desta semana.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

O que ando a ler

/

Informação legal

Este blogue transmite a opinião do autor e pode conter imprecisões. Nas suas decisões, faça a sua própria pesquisa ou procure ajuda de um profissional.