Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Daily Habit

Diário de produtividade pessoal

The Dailies Edição #11: Uma Perspetiva Global

Esta é a edição número 11 do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, onde partilho o que mais de importante ando a fazer e as minhas reflexões sobre como aproveitar melhor o tempo. Trata-se de uma edição bastante completa e global abordando as finanças pessoais, gestão do tempo, carreira, trabalho de autor (escrita) e mindfulness.

Finanças pessoais

A minha estratégia de finanças pessoais consiste em poupar 10 a 20 % do meu ordenado mensal e rentabilizar este dinheiro nos mercados financeiros através do investimento em ações.

Este processo de rentabilização iniciou com uma vontade em ter um rendimento superior às taxas de juro próximas do zero praticadas pelos bancos. Tive um sucesso inicial de investimento da bolsa de valores, para depois voltar a perder tudo. Poderá ler esta experiência em detalhe no artigoO que Aprendi em 1 ano a Negociar na Bolsa.

Após as perdas não desisti, negociando diariamente em ações numa conta de simulação em dinheiro real, e após cinco meses de trabalho intenso encontro-me com resultados consistentes e promissores, voltando aos mercados com uma conta real ainda durante este mês de janeiro. A minha estratégia de investimento na bolsa é detalhada num outro site.

Gestão do tempo

Iniciei este blogue como diário de reflexão para encontrar formas de ser mais produtivo no trabalho e na vida. Ao nível da gestão de tarefas e projetos consegui desenvolver um sistema adaptado e melhorado dométodo de gestão do tempo GTD, que embora não seja perfeito, tenho um bom controlo sobre as minhas atividades diárias. O sucesso da conclusão da tese mestrado foi graças em grande parte a este sistema mais aTécnica de Pomodoro.

O que faltava era uma ligação entre as minhas tarefas de curto prazo eos objetivos de longo prazo. Não adianta ter a sensação de estar ocupado o dia todo senão realizamos as tarefas importantes que nos conduzam em última análise ao nosso propósito de vida.

No entanto este processo não é fácil, e assim como apirâmide das necessidades de Maslow em que as necessidades são preenchidas por prioridade, é muito difícil definir objetivos senão dominarmos as nossas tarefas e rotinas diárias em primeiro lugar.

Carreira

A minha carreira está estagnado há já alguns anos, principalmente por falta de objetivos concretos de progressão. No entanto, sinto-me relativamente confortável, e tenho alguma qualidade de vida. Talvez por isso nunca tenha tido uma motivação forte de progressão, com a exceção de uma maioe compensação financeira, que acaba agora por ser colmatada com o investimento na bolsa.

No artigoIdeias para Encontrar um Grande Propósito de Carreira ou Profissional, foi verificado que este propósito pode ser conseguido de múltiplas formas, não estando limitado apenas à progressão tradicional na carreira para cargos com maior poder e remuneração.

Se estivesse atualmente num cargo mais acima na minha organização, possivelmente não teria tempo para dedicar a outras atividades, pois inevitavelmente trabalharia mais horas e teria de participar em mais reuniões de trabalho.

Como se costuma dizer “fecha-se uma porta, abre-se uma janela”.

Trabalho de autor (escrita)

Sem dúvida nenhuma, uma das áreas em que investi mais nos últimos dois anos foi a escrita. Primeiro com a conclusão de uma tese de mestrado em 2018, e depois para não perder o momento iniciei este blogue onde tenho publicado artigos regularmente, muitas vezes diariamente.

Em 2019 iniciei também um site para acompanhar as minhas negociações na bolsa de valores e organizar a estratégia de investimento. Este novo site é em grande parte responsável pelos bons resultados que tenho tido.

Tenho uma ideia para a publicação de dois livros, em áreas distintas que provavelmente irão ser desenvolvidas oportunamente. A decisão neste momento prende-se com o facto de escrever um ou os dois livros em simultâneo. Hoje em dia não basta escrever esperando que os leitores apareçam. Tanto ou mais importante que a escrita, é criar uma plataforma de autor para promover o trabalho que inclui uma série de atividades, e isto exige mais disponibilidade de tempo.

Mindfulness

O conceito de mindfulness tem sido muito falado nos últimos anos, e por uma boa razão. Trata-se de  uma técnica  de meditação comprovada e suportada por vários estudos científicos, no alívio de condições como o stress, ansiedade, obsessões, compulsões e depressão.

O mindfulness é uma filosofia com origem na meditação budista, mas utilizada atualmente num contexto secular. A sua técnica é bastante simples e consiste em focarmo-nos no momento presente em sensações como a respiração, pensamentos, emoções ou sentimentos sem qualquer julgamento.

Aterapia cognitivo comportamental (TCC) desenvolvida no século XIX tem muitas das suas teorias emprestadas do mindfulness. A principal diferença entre a TCC e o mindfulness é que primeira analisa o momento presente através de vários exercícios escritos e tenta categorizar as distorções cognitivas. No mindfulness apenas nos limitamos a observar o momento presente e não existem estes exercícios escritos.

Na minha opinião, para quem tem algum distúrbio mental, deve iniciar por uma opinião médica, seguida da TCC. Depois das emoções controladas, e do pior passar, pode utilizar o mindfulness como medida de prevenção de recaídas.

O mindfulness pode ser praticado em qualquer circunstância, desdepraticar yoga, fazer uma caminhada, sentir a respiração, comer uma refeição e praticamente qualquer outra atividade.

Como os meus pensamentos têm tendência para estar acelerados com preocupações e planos constantes, vou estar mais consciente em aplicar o mindfulness na minha vida. Como é impossível estar sempre em modo zen (as preocupações e planos também têm o seu lugar ), este blogue serve como uma fuga ao modo presente para aprender com o passado e refletir em soluções de vida (do inglês life hacking) para o futuro.

Perfecionismo: As Voltas que Isto Dá

Nos últimos dias tenho pensado sobre a utilidade deste blogue e a sua relação com o perfecionismo, característica que de certa forma me define.

Quando iniciei este projeto não tinha um objetivo maior para o mesmo, servindo de plataforma para falar sobre os temas de que mais gosto, e de documentar alguns dos meus pensamentos na tentativa de levar uma vida mais produtiva e com maior significado.

Tendo alguma experiência no desenvolvimento de sites, já tinha decidido não incorrer em custos desnecessários com novos projetos online, a menos que tivesse uma ideia concreta de rentabilização de um projeto, o que nunca foi o caso para este blogue.

O que aconteceu é que acabei por adquirir dois domínios (productivitymethod e dailyhabitblog) para associar ao sapo blogs desde a sua criação (incurrendo em despesas). Também tinha pensado em mover o blogue para alojamento próprio no wordpress, uma plataforma de gestão de conteúdos bastante popular (também incorrendo em despesas).

Todas estas mudanças foram feitas com base em pressupostos pouco fundamentados de potencial rentabilidade no futuro, através de serviços de coaching em produtividade pessoal e gestão do tempo. Faltava no entanto uma peça fundamental: um plano de negócios ou de marketing.

Este é um blogue pessoal, em que não quero, nem pretendo ter uma agenda profissional, e muito menos despesas supérfluas, por mais pequenas que sejam.

Caro leitor ou cara leitora, estes são pensamentos com caráter perfeccionista, e que precisam de ser melhorados. No entanto, reconhecer os mesmos e falar sobre eles é um enorme passo para o crescimento pessoal. Afinal de contas, não será a vida um trabalho inacabado, repleta de desafios e em constante progresso?

The Dailies Edição #10: Um Calendário Preenchido e o que Ando a Ler

Máquina de escrever com folha e café

Esta é a edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, onde partilho o que mais de importante ando a fazer e as minhas reflexões sobre como aproveitar melhor o tempo e o que ando a ler.

Esta artigo coincide também com a revisão semanal das listas de tarefas inspirada no método de gestão do tempo GTD, onde são atualizados todos os projetos e tarefas na aplicação Nirvana.

Um calendário cheio

Os próximos dias vão ser atípico parcialmente ocupados por formação no trabalho mais algumas reuniões que vão exigir disponibilidade.

Quem acompanha este blogue, sabe que não sou defensor da generalidade das reuniões nem de eventos, considerando um dos maiores inimigos da produtividade. Para exigirem a minha atenção têm de ser realmente importantes.

Fazer escolhas

Por questões de equilíbrio não vai ser possível dedicar tempo à atividade de consultoria de engenharia nos próximos meses, além de recentemente ter mais uma responsabilidade como coach dentro dos Toastmasters, que exerço de forma voluntária sem qualquer remuneração.

Este projeto de coaching está integrado no processo de reconhecimento como Distinguished Toastmaster Member, a mais alta distinção dada aos membros desta organização.

O que ando a ler

Atualmente estou a ler o livro de investimento nos mercados financeiros Trader Vic - Methods of a Wall Street Master de Victor Sperandeo. Trata-se de um livro já com alguns anos (1991) que muitos consideram como um dos mais importantes em trading, sendo destinado a um nível intermédio de conhecimento. Ultimamente tenho lido mais versões eletronicas, mas neste caso não foi possível encontrar uma versão digital, pelo que encomendei o livro online.

Trader Vic de Victor Sperandeo

Quando compro livros em inglês na versão de papel quero gastar o mínimo possível, e adquiro em segunda mão. Este mercado é gigante na Amazon e poupa-se habitualmente mais de metade do preço comparativamente ao novo.

Escusado será dizer que os investimentos na bolsa são para continuar, ainda em paper trading, ou seja, numa conta de simulação sem dinheiro real. Logo que os meus objetivos sejam atingidos passarei para a minha conta de trading na Degiro. Em breve publicarei aqui um artigo sobre as possibilidades do trading e como se ganha dinheiro nos mercados.

Kafka à Beira Mar de Haruki Murakami

Por que a vida não é só dinheiro encontro-me a ler um romance delicioso de Haruki Murakami, Kafka à Beira Mar. Está à mesa de cabeceira e é um ótimo apoio a uma noite tranquila.

É tudo por esta edição do the dailies regressando em breve!

The Dailies Edição #9: O Foco nas Finanças Pessoais e a Técnica de Gestão do Tempo “Próxima Tarefa”

Máquina de escrever, folha e café

Esta é a edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, onde partilho o que mais de importante ando a fazer e as minhas reflexões sobre como gerir melhor o tempo.

Mês de agosto focado nas finanças pessoais

O mês de agosto foi dedicado às finanças pessoais. O dinheiro, por pouco que seja, tem de ser gerido da melhor forma e há que criar bons hábitos de poupança e investimento. Como adoro desafios, tenho dedicado grande parte do meu tempo livre à compreensão e prática do investimento a curto prazo nos mercados financeiros, conhecido como trading.

Existem três tipos de investimentos mais conhecidos: imobiliário, obrigacionista e acionista. Estes podem ser escolhidos em função do capital, personalidade e aversão ao risco de cada um. Não considero os depósitos a prazo como investimento, considerando as taxas de juro praticadas pelos bancos.

A forma mais básica de investimento imobiliário é a compra de habitação própria, como alternativa ao pagamento de uma renda a um terceiro. Os investimentos obrigacionistas e acionistas são mais sofisticados exigindo uma maior compreensão dos produtos financeiros.

O trading como mecanismo de investimento

O investimento a curto prazo nos mercados financeiros, ou trading, é talvez o que produz maiores retornos, mas com um maior risco associado. Para mitigar este risco é preciso muita educação e avançar passo-a-passo à medida que os resultados vão aparecendo. Este tipo de investimento não é para qualquer um, devendo ser encarado como um segundo emprego, considerando a volatilidade e atenção permanente que os mercados exigem.

Por este último fator, da necessidade de atenção permanente aos mercados, tive de colocar a minha atividade de consultoria de engenharia em segundo plano. A conjugação do meu trabalho com o trading e a minha vida pessoal torna difícil desenvolver a consultoria na sua plenitude.

O poder da técnica “próxima tarefa” na gestão de tempo

No entanto, este projeto não irá ficar totalmente parado, graças a uma técnica de gestão do tempo que tenho utilizado nos últimos anos com bons resultados. O nome desta técnica é a utilização da “próxima tarefa” baseada no método Getting Things Done de David Allen.

De acordo com esta técnica, quando olhamos para um projeto, podem existir dezenas de tarefas, o que nos pode desmotivar. No entanto, se pensarmos somente na próxima tarefa que tem de ser executada para avançar com o projeto, torna-se mais fácil. Quando se concluir uma tarefa, avança-se para a seguinte, e assim por diante até à conclusão do projeto.

A técnica da “próxima ação” tem sido uma dos aspetos que mais tem contribuído para o aumento da minha produtividade pessoal.

É tudo por esta edição do The Dailies, regressando novamente a esta rubrica logo que exista uma atualização de relevo na minha produtividade pessoal.

The Dailies Edição #8: Há que Fazer Escolhas

Máquina de escrever, folha e café

Esta é a edição número oito do The Dailes, o diário da minha produtividade pessoal.

Inicialmente tinha previsto fazer uma edição semanal com a retrospetiva da semana que passou e o planeamento da semana seguinte. Neste momento já não estou assim tão restrito quanto à periodicidade desta rubrica, publicando a mesma quando existam atualizações na minha produtividade pessoal que mereçam referência.

Esta rubrica coincide também com a revisão mensal onde atualizo a minha visão e missão pessoais, e que dão o rumo geral às minhas atividades do meu dia-a-dia.

A missão e visão pessoais dão origem a áreas de foco, sendo que este mês reduzi de cinco para quatro as áreas de foco (pessoal, trabalho, engenharia e finanças). Este blogue estava primeiramente inserido na área de produtividade que foi eliminada, um projeto de coaching de gestão do tempo e produtividade, sendo que inclusive já tinha adquirido um domínio para criar um portal de informação sobre esta temática e oferecer serviços de formação e de coaching.

O projeto da produtividade estava a ser desenvolvido a tempo parcial. Ou seja, não consigo dedicar tempo de qualidade a tantas áreas em simultâneo pelo que a área de produtividade foi eliminada. Esta área foi assim integrada na área pessoal em que continuo a escrever artigos neste blogue mas sem a parte comercial da formação e coaching.

Espero assim conseguir dedicar mais tempo a áreas com maior capacidade de remuneração como a engenharia e finanças.

A engenharia é a minha atividade profissional o qual exerço a tempo inteiro. Paralelamente pretendo prestar serviços de consultoria a tempo parcial a iniciar ainda em 2019.

Nas finanças estou a investir nos mercados financeiros, nomeadamente no mercado bolsista. Na bolsa existem dois tipos de filosofias de investimento: a análise fundamental e a análise técnica. A análise fundamental estuda as atividades das empresas, os seus dados financeiros e as perspetivas de novos produtos e vendas. A filosofia da análise técnica estuda os gráficos das ações fazendo-se previsões do movimento de preços. É esta última filosofia que utilizo nos meus investimentos.

A minha rentabilidade nos mercados financeiros acumulada em 2019 é de 21,6 %. Devo dizer que nada vem de graça nos mercados, sendo preciso trabalhar muito para se obterem resultados. Caso o investidor não queira estudar e trabalhar, está a apostar, e consequentemente perde dinheiro.

Termino assim esta edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal.

The Dailies Edição #7: Consolidação da produtividade pessoal

Secretária com máquina de escrever, agenda, caneta e café

Esta é a edição semanal da rubrica The Dailies, uma retrospetiva da semana que passou a nível da minha produtividade pessoal e o planeamento para a semana seguinte.

A necessidade de desenvolver o networking

A nível de conhecimentos técnicos já atingi a maturidade no meu serviço, talvez pelos mais de 15 anos de serviço e experiência profissional em projetos de relevância. Importa manter-me atualizado com formação contínua e acima de tudo desenvolver e aplicar as competências de relacionamento humano, principalmente o networking que considero a mais importante competência para a possibilidade de progressão na carreira.

Consultoria pós-laboral

Paralelamente ao meu emprego estou a criar novos serviços de consultoria em part-time. Uma vez que as horas são limitadas no pós-laboral, importa encontrar um foco de serviço que o mercado valorize. Neste momento estou a escrever artigos sobre a área da consultoria que quero promover pretendendo de seguida fazer uma série de seminários temáticos. De acordo com David Maister, um conhecido consultor para empresas na área dos serviços, este é o melhor caminho preconizado para promover os serviços de um negócio, vindo descrito no seu livro Managing the Professional Service Firm.

Serviços de coaching em stand by

Já tinha manifestado aqui no blogue que desejava desenvolver serviços de coaching e formação em produtividade pessoal e gestão do tempo. De momento este projeto está em stand by por uma questão de gestão de prioridades, mas ainda este ano penso retomar esta iniciativa. O objetivo é dedicar um mês lá mais para frente criando conteúdos nesta temática. Pretende-se que as pessoas que queiram desenvolver as suas competências de gestão do tempo, o possam fazer de uma forma sistemática, e de acordo com o seu grau de conhecimento e experiência, isto tudo de uma forma gratuita para os auto-didatas.

Finanças pessoais

Não importa o dinheiro que ganhamos, mas sim o que poupamos e como o investimos. A carência da literacia financeira da população no geral é escassa. O mais grave é que se aplicarmos todas as nossas poupanças nos depósitos a prazo correntes com os juros atuais abaixo da taxa de inflação, no futuro o nosso dinheiro irá valer menos do que hoje em termos de poder de compra. É preciso educar-nos financeiramente devendo cada um escolher as suas aplicações de investimento consoante os seus conhecimentos e capacidades de gestão do risco.

A semana que se segue

Estou a utilizar à cerca de três anos a técnica de gestão do tempo baseada no método GTD, tendo obtido grandes resultados incríveis com o mesmo. Este método tem como ponto forte a sua flexibilidade, baseando-se na criação de listas de tarefas e colocando no calendário apenas os compromissos como reuniões de trabalho ou consultas médicas por exemplo. O objetivo é deixar a agenda o mais livre possível para fazer o que é mais apropriado no momento e acomodar os inevitáveis imprevistos.

Esta semana não utilizarei os blocos de tempo e dias temáticos como parte do planeamento semanal, estando assim mais próximo das recomendações originais do método GTD. De referir que isto só é possível após alguma experiência com o método, sendo que para os iniciantes nas técnicas de gestão do tempo é desejável agendarem tempo nos seus calendários atempadamente para as tarefas mais importantes. No entanto não se deve abusar do calendário para colocar tarefas, e de modo a evitar frustrações de tarefas agendadas que não são executadas.

É tudo nesta edição do The Dailies, regressando para a semana com nova rubrica.

The Dailies Edição #6: Humildade e foco

Secretária com máquina de escrever, agenda, caneta e café

Esta é a edição semanal da rubrica The Dailies, uma retrospetiva da semana que passou a nível da minha produtividade pessoal e o planeamento para a semana seguinte.

A importância da humildade na gestão das finanças pessoais

Depois da "euforia" da semana anterior com os ganhos nos mercados financeiros, esta última semana acumulou prejuízos na minha carteira de investimento. Ainda estou a tomar o "pulso" a este novo tipo de rentabilização das minhas poupanças, e é natural que cometa alguns ou mesmo muitos erros.

Os erros geralmente são os nossos melhores professores, e o meu sucesso inicial na bolsa deu origem a um excesso de confiança levando-me a correr maiores riscos. Maiores riscos dão a possibilidade de maiores ganhos, mas também de maiores perdas. A lição que aprendi foi a manter a humildade, e a caminhar um passo de cada vez não expondo-me a riscos desnecessários que incorram em grandes perdas, e aprendendo o máximo que conseguir pelo caminho.

A educação contínua como mecanismo de valorização profissional

Esta semana recebi também o meu certificado de conclusão de mestrado, depois de ter concluído uma tese no ano anterior. Tinha a licenciatura pré-bolonha dos cinco anos, e sempre senti uma grande injustiça de não ser equiparado aos mestrados pós-bolonha. Com a indecisão dos sucessivos governos em resolver esta situação, resolvi "arregaçar as mangas", e trabalhar na tese numa universidade de referência nacional.

Utilizei um caso profissional na tese para de alguma forma ter uma aplicação prática e obtive uma nota de relevo. Foi um ano de muita dedicação interligando os estudos com o meu trabalho, mas graças às minhas novas técnicas e prática na utilização da gestão do tempo, consegui vencer este desafio.

É preciso resistência para correr uma maratona

Todo o trabalho que tive deu-me uma confiança renovada, e acima de tudo estâmina. De acordo com o dicionário Priberam, estâmina significa energia duradoura ou capacidade de resistência.

Esta nova energia conduziu-me a estabelecer e a trabalhar em novos projetos. Se por um lado isto é bom, por outro lado leva a uma dispersão e à possibilidade de cansaço, com o limite de um esgotamento nervoso. Se algum dos leitores teve ou conhece alguém que passou por um esgotamento, sabe o prejudicial que é para a saúde e as consequências nefastas que pode ter na vida de uma pessoa.

Acredito portanto que o sucesso não pode acontecer à custa da saúde ou de descuidar outras áreas importantes como a família ou o lazer.

O planeamento da próxima semana

Quanto ao planeamento da próxima semana não vou desta vez utilizar os blocos de tempo ou áreas temáticas que utilizei anteriormente. Vou continuar a utilizar o método GTD de gestão do tempo, que já pratico com sucesso à cerca de três anos, e acrescentar um objetivo SMART à semana.

O GTD inclui as listas de tarefas em que estou a trabalhar ao nível do trabalho, pessoal, finanças pessoais e consultoria, e permite escolher a atividade a executar e que parece mais relevante no momento. Inicialmente não é uma técnica fácil requerendo prática, mas depois de alguma habituação pode ser uma grande ajuda na melhoria da produtividade pessoal.

O objetivo SMART que escolhi é a consultoria, com a pesquisa e escrita de cinco artigos na área que pretendo desenvolver profissionalmente extra-trabalho, um artigo por cada dia da semana útil.

Termina assim esta edição da rubrica semanal do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal, regressando para a semana escrevendo sobre um tópico que nunca tinha aqui falado no blogue, que é a prática regular do yoga e como pode contribuir para melhorar o equilíbrio emocional e a produtividade.

The Dailies Edição #5: Momento de viragem

Secretária com máquina de escrever, agenda, caneta e café

Esta é a edição semanal da rubrica The Dailies, uma retrospetiva da semana que passou a nível da minha produtividade pessoal e o planeamento para a semana seguinte.

Confesso que ao escrever estas linhas sinto-me muito entusiasmado por ver que o trabalho árduo dos últimos meses (e anos) começa a dar frutos, e nas áreas menos esperadas.

A nível profissional, à exceção do salário, encontro-me satisfeito com o trabalho que desempenho na minha organização. Tenho a possibilidade de participar e liderar projetos de grande dimensão com um horário decente.

Infelizmente, as possibilidades de progressão internas são muito reduzidos, para não dizer anémicas, pelo que tenho tentado sempre compensar externamente esta situação.

Depois de ter tentado várias formas de produzir rendimentos extras sem sucesso, eis que surge uma janela de oportunidade, num âmbito que menos esperava, o investimento nos mercados financeiros, e através do trading (Ler o meu artigo anterior para saber mais sobre este mecanismo de investimento com a parte dois do resumo do livro como Como Fazer Crescer o Seu Dinheiro ao Longo da Vida de Pedro Barata).

Já há alguns atrás tinha tentado fazer este tipo de investimento com resultados negativos. Por isso no final do ano passado retomei esta atividade com algumas reservas, e com a função de apenas ter um retorno um pouco melhor que os atuais juros dos depósitos a prazo ou certificados de aforro.

Neste momento as minhas expetativas para o futuro na área das finanças pessoais são muito otimistas prevendo a curto prazo realizar nos mercados financeiros o valor de 30 a 40% do meu ordenado atual.

O trading envolve riscos consideráveis, podendo ganhar-se muito dinheiro como perder. Para gerir este risco é preciso dedicar tempo ao estudo dos mercados com uma boa gestão financeira e não arriscar em produtos complexos para o entendimento do próprio. A grande vantagem, e ao contrário da maioria das organizações onde trabalhamos, é que os mercados premeiam a dedicação e o mérito.

Além dos investimentos financeiros, estou envolvido em mais dois projetos pós-laborais. A consultoria externa na minha área profissional e o coaching em produtividade pessoal e gestão do tempo. Estes projetos não estão a ser monetizados, significando que não estou a obter quaisquer rendimentos dos mesmos.

Para uma melhor gestão do tempo, durante a próxima semana um destes projetos pós-laborais terá de ficar pendente, neste caso o coaching. Escolho assim prosseguir com a consultoria na minha área profissional.

A técnica dos blocos de tempo irá estar bastante facilitada durante a próxima semana. Nesta técnica é reservado tempo no calendário apenas para as atividades importantes, não se devendo sobrecarregar o calendário para dar espaço aos imprevistos.

De reparar também que nos blocos de tempo não descrimino as tarefas, e apenas menciono a área em que vou trabalhar. Quando chega o momento do bloco de tempo consulto a minha lista de tarefas e escolho o que vou fazer. Isto tem a grande vantagem se por algum motivo não conseguir trabalhar no bloco de tempo previsto, não ter de modificar os eventos do calendário. Num artigo posterior irei descrever como crio as minhas listas de tarefas.

Os blocos de tempo atribuídos para a próxima semana:

-Segunda-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Terça-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Quarta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Quinta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

-Sexta-feira: finanças pessoais 1 a 2 horas, consultoria 2 horas.

Termina assim esta edição da rubrica semanal do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal.

The Dailies Edição #4: Focar no que Importa

Máquina de escrever, agenda, caenta e café

Esta é a quarta edição da rubrica especial do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal. Uma retrospetiva da semana que passou e o planeamento para a semana seguinte.

Na semana passada utilizei uma nova técnica de gestão do tempo, atribuindo temas a cada dia. Os temas diários, ao contrário dos blocos de tempo que dedicam determinados períodos do dia para tarefas ou áreas específicas, atribuem um dia completo para trabalhar maioritariamente numa área específica.

Isto não significa que não se lidem com interrupções inevitáveis ou reuniões programadas. O objetivo deste método é o foco principal no tema escolhido para o dia, atendendo pelo caminho às obrigações diárias noutras áreas. Isto permite que para ser produtivo num determinado dia, tudo o que é feito fora do tema, será abordado no seu essencial.

Esta nova forma de organizar a semana funcionou bem, e as áreas escolhidas para a próxima semana serão as mesmas da anterior:

-Segunda-feira: finanças pessoais.

-Terça-feira: carreira.

-Quarta-feira: carreira.

-Quinta-feira: coaching.

-Sexta-feira: coaching.

Grande parte do meu trabalho na carreira e coaching envolve a produção de conteúdos, como por exemplo este artigo que estou a escrever agora. Tratam-se de tarefas que me dão um gozo especial mas que exigem concentração e tempo dedicado. Além do mais não dão resultados imediatos, constituindo uma espécie de investimento no futuro que pode ter ou não retorno. Como todos os investimentos tem o seu risco.

O princípio de Pareto também conhecida como a regra 80/20 diz que 80% dos nossos resultados advém de 20% dos nossos esforços. Esta percentagem poderá não ser exata, e variar em função da situação em particular. No entanto, pretende demonstrar que para obtermos os melhores resultados não significa exatamente que tenhamos de trabalhar desenfreadamente, e sim concentrar-nos nas tarefas que podem fazer a diferença para chegarmos mais rapidamente aos nossos objetivos.

O princípio de Pareto levanta outra questão. Como sabemos quais os 20% das tarefas que produzem os 80% dos resultados? Quando não se tem conhecimento dum determinado tema pode ser difícil responder a esta pergunta, mas à medida que se vai aprofundando o conhecimento torna-se mais fácil.

É tudo por esta edição do The Dailies, regressando a rubrica no próximo sábado.

The Dailies, Edição #3: A Semana em Retrospetiva

Backpacker a olhar paisagem em montanha

Este artigo pretende fazer uma retrospetiva da minha semana a nível de produtividade pessoal e gestão do tempo. Do que correu bem e o que podia melhorar.

Anteriormente esta rubrica chamava-se The Brief, tendo o nome mudado para The Dailies nesta edição, para ir de encontro ao nome do blogue propriamente dito, e também inspirado pelo coach de produtividade Mark Vardy de Productivyist.

Método GTD de gestão de tarefas

O sistema que estou a utilizar para gerir as minhas tarefas é baseado no método GTD de David Allen, e que vem descrito no livro do mesmo autor GTD - Fazer Bem as Coisas. Logo no início quanto comprei este livro não consegui implementar o método. Só mais tarde, à cerca de dois anos, e após ter lido o livro the How to be a Produtivity Ninja de Graham Allcott, que exemplifica como pode ser implementado o sistema GTD, consegui introduzir o mesmo na minha gestão de tarefas.

Este método é muito bom para compartimentar as áreas da minha vida, mas não tão bom no estabelecimento de objetivos e de uma visão geral para o futuro. Ainda estou a testar um novo método que possa ajudar neste sentido com algum grau de satisfação.

Aplicação de gestão de tarefas e áreas da minha vida

No meu programa de gestão de tarefas, o Nirvana, tenho atualmente cinco áreas que estou a desenvolver: trabalho, pessoal, carreira, finanças e coaching.

A área do trabalho tem a ver com o meu emprego propriamente dito, e inclui todas as tarefas relacionadas com a organização onde estou a exercer funções profissionais atualmente.

A área pessoal é tudo o que faço a nível pessoal e familiar, incluindo saúde e tempos livres.

A área da carreira inclui o desenvolvimento profissional e a procura por novas oportunidades de trabalho.

A área das finanças pretende conhecer as possibilidades de investimento e aplicar as minhas poupanças nos melhores produtos.

Por fim, a área do coaching está relacionada com o projeto de produtividade pessoal e gestão do tempo, em que se inclui este blogue.

Equilibrar as várias áreas

Com o feriado do dia 1 de maio e as férias da Páscoa, a semana passada acabou por ficar desequilibrada, não dando a devida atenção a certas áreas. Por vezes penso que talvez tenha áreas a mais, contribuindo para uma diminuição da minha produtividade.

As áreas trabalho e pessoal são essenciais e não facultativas, porque providenciam os meus rendimentos e o bem estar emocional. Já as outras restantes três áreas (carreira, finanças e coaching) são discutíveis em função das minhas prioridades.

Nestas últimas três áreas importa saber o tempo que pretendo dedicar a cada uma. Por exemplo, escolher um depósito a prazo corrente ou um certificado de aforro não exige muito tempo. Basta escolher vários produtos existentes no mercado, fazer um comparativo e depois aderir ao mesmo, só reiniciando o processo um ano depois quanto vencerem os juros.

Por outro lado, para fazer investimentos nos mercados financeiros com a possibilidade de ter algum sucesso, é preciso dedicar bastante tempo para estudar os métodos de análise e outras particularidades deste tipo de investimento.

Dividir a semana em dias temáticos

O perigo de mudar de contexto frequentemente é que perdemos tempo na mudança do tipo de atividade. Este facto está presente num estudo referido no livro Scrum - A Arte de Fazer o Dobro do Trabalho em Metade do Tempo de Jeff Sutherland.

Se considerar cada contexto como área, e de acordo com a teoria de Sutherland, será pouco produtivo trabalhar por exemplo todos os dias nas cinco áreas atrás referidas, pois a mudança constante de contextos irá fragmentar o meu tempo e reduzir o meu foco.

Como já tinha tinha sido referido atrás no artigo não posso mudar o trabalho nem a vida pessoal, mas posso gerir como dedico o meu tempo às áreas da carreira, finanças e coaching.

Assim sendo, na próxima semana irei dividir os dias por temas, também inspirado por Vardy, um dos grandes proponentes deste método de gestão do tempo. Ou seja, além das atividades diárias inerentes ao meu trabalho e vida pessoal, irei dedicar os dias da semana às seguintes atividades:

-Segunda-feira: finanças.

-Terça-feira: carreira.

-Quarta-feira: carreira.

-Quinta-feira: coaching.

-Sexta-feira: coaching.

Termino assim esta edição do The Dailies, o diário da minha produtividade pessoal com a retrospetiva da minha gestão do tempo semanal. No próximo sábado será publicada nova edição.